Banking

O que significa ser um data-driven banking? Confira oportunidades e desafios

Publicado em 06 de janeiro de 2021 por Redação Zoop
5/5 - (1 vote)

Ser data-driven banking significa utilizar os dados gerados pela oferta de produtos financeiros como base para tomada de decisões.

Isso quer dizer que, ao transformar a sua empresa em um banco digital com a ajuda do Banking as a Service você pode, por exemplo, analisar o comportamento dos seus clientes e criar soluções financeiras ainda mais pontuais.

Uma pesquisa divulgada na Forrester mostrou que empresas que se baseiam em dados conseguem crescer mais de 30% ao ano. A estimativa é que o faturamento dessas organizações chegue a US$ 1,8 trilhão até 2021.

Ou seja, ao invés de se basear em “achismos” para criar e oferecer soluções financeiras para o seu público, se tornar um data-driven banking aumenta (consideravelmente) as chances de realmente entregar o que ele precisa.

Com isso, é possível tomar decisões mais assertivas, melhorar a performance do seu negócio e conquistar uma boa vantagem competitiva frente aos concorrentes.

Quais outras oportunidades um banco baseado em dados pode trazer? Há desafios a serem enfrentados? É sobre isso que vamos falar agora!

Como o data-driven banking está mudando e transformando as empresas?

Já parou para pensar no volume de dados que a sua empresa gera diariamente? Caso ainda não tenha visto por esse lado, saiba que você tem um verdadeiro tesouro nas mãos que pode (e deve) ser usado para alavancar o seu negócio.

Para se ter uma ideia da importância dessas informações, a Accenture, empresa multinacional de consultoria de gestão, tecnologia da informação e outsourcing, constatou que o valor do mercado de dados do Reino Unido atingiria £ 1,1 bilhão (US $ 1,58 bilhão) em 2018.

Vale ressaltar que, independentemente do segmento, utilizar dados como base para as decisões é uma excelente maneira de inovar e gerar mais valor aos produtos e serviços oferecidos.

Por exemplo, a Alibaba.com, ao utilizar dos dados gerados, se consolidou como a 12ª empresa em market cap no ano de 2017, segundo o Think With Google.

O mesmo levantamento mostrou que o Walmart, rede varejista, constatou que as conversões aumentavam 2% para cada segundo a menos que o cliente esperava para o site da empresa abrir em seu smartphone. 

O ajuste, que foi baseado em dados, resultou em um aumento de 8% nas conversões por esse canal.

No que diz aos serviços bancários, é importante lembrar que, cada dia mais, as empresas estão percebendo a importância e a necessidade de incorporar produtos financeiros aos seus serviços — e isso nos mais variados segmentos.

Dentro desse novo cenário, o uso do data-driven banking é uma maneira de trazer ainda mais inovação e de promover a criação de soluções financeiras realmente pontuais e competitivas.

Quais são as oportunidades e os desafios gerados pelo data-driven banking?

Como mencionado, o data-driven banking consiste na utilização dos dados gerados por um negócio como base para a tomada de decisões.

Graças às plataformas Banking as a Service, a entrega de produtos e serviços financeiros por empresas que não têm participação direta nesse mercado se expande a cada dia.

A prova disso são nomes como Magazine Luiza, Casas Bahia, Ponto Frio, Sami Sistemas e iFood, que criaram modelos de negócios inovadores com o Banking as a Service.

Confira tudo sobre a trajetória de inovação do iFood

 

 

No entanto, a geração de valor aos clientes é um dos pontos que vai ajudar as empresas a se destacarem na oferta de soluções financeiras. Quanto a isso, ser um data-driven banking pode fazer toda a diferença.

Um banco baseado em dados pode, por exemplo, não apenas identificar o comportamento financeiro dos seus usuários, mas também a frequência que utilizam os serviços e quais canais são os mais usados para realizarem as suas transações.

Com isso, é possível investir mais nos produtos que realmente estão fazendo a diferença no dia a dia dos clientes, bem como criar soluções que se antecipem às suas necessidades, saindo na frente dos concorrentes.

Oportunidades geradas pelo data-driven banking

É visível quantas oportunidades de crescimento podem ser geradas o data-driven banking, tanto para os bancos tradicionais quanto para as empresas que estão incorporando serviços financeiros ao seu portfólio.

Veja três das que mais se destacam:

  • aumento nas taxas de retenção e de atração de clientes;
  • alto potencial competitivo;
  • utilização mais abrangente do Open Banking.

Aumento nas taxas de retenção e de atração de clientes

Uma das principais vantagens do data-driven banking é poder conhecer com precisão o comportamento dos usuários dos seus serviços bancários.

Com isso, ao invés de seguir tendências ou de criar soluções baseadas no achismo, a sua empresa realmente pode desenvolver algo que agregue valor à jornada do seu cliente.

Aqui, vale lembrar que um dos objetivos do Banking as a Service é justamente criar produtos e serviços financeiros que resolvam as dores do seu público.

Ao se basear em dados para desenvolver novas soluções, as chances de conseguir atender essas necessidades aumentam ainda mais.

Isso, por sua vez, resulta em produtos mais aderentes, o que fortalece a sua base de clientes. Além disso, novos consumidores que sabem que a sua empresa oferece tais soluções se sentem mais atraídos a utilizar os seus serviços.

Alto potencial competitivo

Por mais que outras empresas do seu segmento também estejam oferecendo produtos financeiros, ao se tornar um data-driven banking você tem a vantagem de criar e entregar soluções antes dos seus concorrentes.

Isso complementa a oportunidade anterior, de atrair e fidelizar o público, e contribui para que a sua marca se destaque como pioneira em diferentes serviços, tornando-a ainda mais competitiva.

Utilização mais abrangente do Open Banking

Não temos como falar de banco baseado em dados sem citar o Open Banking. 

O Sistema Financeiro Aberto do Banco Central permite o compartilhamento de informações bancárias entre diferentes instituições, mediante prévia autorização do cliente.

Não deixe de ler “Regulamentação do Open Banking: quais oportunidades de crescimento gera para a sua empresa?

Considerando isso, as empresas que se transformaram em bancos digitais e participarem do Open Banking terão ainda mais dados que podem ser utilizados para aprimorar os seus serviços.

De acordo com a Accenture, esse sistema de compartilhamento não pode ser visto como uma ameaça, mas sim como uma excelente oportunidade de entrar no ecossistema de banco digital para empresas.

Tanto que um levantamento feito pela consultoria constatou que 65% dos bancos enxergam o Open Banking como uma oportunidade, e não como algo que possa ameaçar o seu posicionamento.

Além disso, 60% dos participantes desse setor veem esse sistema de compartilhamento como uma estratégia-chave para iniciar os seus processos de inovação.

Desafios gerados pelo data-driven banking

Mas se por um lado o Open Banking contribui para o data-driven banking, por outro pode ser justamente o desafio a ser enfrentado pelos players participantes.

Isso porque o compartilhamento de dados bancários esbarra na questão da segurança, receio de muitos usuários e até das empresas que oferecem serviços financeiros.

Por isso, a abertura das APIs, solução que transforma as empresas em bancos digitais e que também permite o acesso às informações bancárias, precisa ser desenvolvida de forma segura.

Uma das maneiras de fazer isso e se beneficiar de todas as oportunidades do Open Banking e do data-driven banking é contando com bons parceiros.

A Zoop, por exemplo, já solicitou junto ao Banco Central a participação nesse ecossistema. Por isso, nossas soluções já estão sendo criadas e adaptadas com base na possibilidade de compartilhar dados.

Conheça o Zoop Banking e crie hoje o banco do futuro! Entenda como falando com um dos nossos consultores.

5/5 - (1 vote)
Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo