6 de novembro de 2018

Já pensou em como criar uma fintech e no que é preciso para isso? Se a resposta for sim, mas faltam as ferramentas necessárias para tirar o seu projeto do papel e transformá-lo em realidade, a Zoop é a solução.

Um estudo feito pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), em 2018, mostrou que no Brasil 41% dos empresários não conseguem financiamento bancário e apenas 59% das organizações têm acesso a empréstimos em bancos, enquanto nos países desenvolvidos o percentual é de 95%.

Ou seja, considerando esses números, qualquer empresa que tenha relacionamento com comerciantes e varejistas (marketplace, ERP, empresa de software ou empreendedor) pode virar uma fintech e gerar receita com a movimentação de dinheiro de seus clientes.

Mas como abrir uma fintech? O que mudou com a regulamentação do Banco Central? Como as fintechs ganham dinheiro? Isso e mais é o que você vai descobrir agora!

Como as fintechs lucram?

Antes de você descobrir como criar uma fintech, é importante entender as formas que essas empresas lucram e qual o melhor modelo para implementar em sua fintech.

Desde abril de 2018, a regulação das fintechs feita pelo Banco Central permitiu que essas empresas fizessem a migração para se tornarem instituições financeiras, possibilitando irem além de simples correspondentes bancários.

As que optaram pela mudança e foram aprovadas se tornaram aptas a atuarem como:

  • SCD (Sociedade de Crédito Direto): podem realizar operações de crédito utilizando o próprio capital;
  • SEP (Sociedade de Empréstimos entre Pessoas): fazem a intermediação das operações denominadas peer-to-peer lending, ou P2P.

Assim, as fintechs ganham dinheiro de diferentes maneiras. Veja algumas possibilidades:

  • trabalhando com meios de pagamento (transferências, serviços de crédito etc.) e recebendo comissão por cada transação; 
  • com captação de leads, ou seja, cobrando taxas para enviar clientes às empresas parceiras;
  • facilitando transações, como serviços de câmbio e conversão de moedas;
  • fornecendo empréstimos diretos ou conectando pessoas que estão precisando de dinheiro àquelas que estão dispostas a emprestar, e recebendo uma porcentagem por isso.

Por que todos querem ganhar com serviços financeiros?

Após a abertura do mercado e a descentralização bancária, mesmo companhias tradicionais que lidam com algum tipo de movimentação financeira também estão vislumbrando na área de pagamentos mais uma oportunidade para lucrar. 

Empresas de software para lojistas, por exemplo, ao gerenciarem milhares de negociações diariamente, podem ofertar serviços financeiros como crédito ou alguma solução exclusiva ao público, sem precisarem investir tempo e dinheiro com regulamentação e tecnologia.

Em outubro, a líder brasileira em tecnologia para varejo montou uma subadquirente para gerenciar as transações de cartões dos seus clientes, o que resultará em um impacto significativo na sua receita. 

Utilizando a plataforma Zoop, a fintech não precisa se preocupar com toda a burocracia para se adequar a todas às exigências regulatórias de subadquirência (porque nós já fizemos isso para você) e, ainda, é possível ganhar com cada transação financeira.

Se olharmos globalmente, mesmo gigantes como Google, Apple e Samsung já tentam ganhar dinheiro como fintechs e entrar no movimento liderado pelas chinesas Alibaba e Tecent, criando um ecossistema que vai além do banco e do setor financeiro — recentemente, o Google se juntou a bancos da Índia para conceder empréstimo, por exemplo.

Essa nova dinâmica representa o amadurecimento das fintechs e caminha junto com a demanda dos empreendedores por serviços mais exclusivos e adaptados ao seu modelo de negócio. 

Mesmo o pequeno empresário quer um atendimento mais exclusivo. Os produtos financeiros apresentados ao dono da padaria são os mesmos cedidos ao salão de beleza ou ao médico. Mas cada negócio tem especificidades e oportunidades diferentes, uma vez que cada um move o dinheiro de uma forma distinta. 

Todo esse desenvolvimento está inserido no movimento da terceira onda de pagamentos e, por todos esses motivos, entender como criar uma fintech, especialmente com a Zoop, pode ser o segredo para que sua startup se torne um verdadeiro sucesso!

Por que criar uma fintech com a Zoop?

Endereçando os aspectos legais, financeiros e tecnológicos, a Zoop — que se propõe a ser a “fintech das fintechs” — desenvolveu uma plataforma completa para seus parceiros criarem produtos financeiros com pequenas integrações ou customizações de software. Isso possibilita rentabilizar com operações com cartões, por exemplo.

Veja o que diz o cofundador e CEO da Zoop, Fabiano Cruz:

A fragmentação do mercado de pagamentos no Brasil é enorme. Existem desde os grandes adquirentes, até os gateways de pagamento que exercem um papel importante em democratizar o pagamento on-line. 

Nesse contexto, a Zoop se propõe a oferecer algo novo, integrando essa “colcha de retalhos” com soluções de captura para venda presencial e virtual. Nossas soluções permitem ainda que seus parceiros desenvolvam suas próprias regras de negócios, por meio da movimentação de dinheiro em contas de pagamento.

Fazendo uma analogia, a Zoop busca seguir os passos da Amazon. A companhia americana criou uma estrutura de computação na nuvem, a Amazon Web Services (AWS), e disponibilizou serviços computacionais a todas as empresas através da internet, o que antes era restrito a grandes organizações.

A Zoop, por sua vez, trabalha para viabilizar uma nuvem de serviços financeiros que permita que qualquer negócio possa criar produtos de pagamento e mover dinheiro facilmente

Assim, tanto grandes players do setor de pagamentos quanto startups podem se beneficiar dos múltiplos módulos da plataforma da Zoop!

Quem já virou fintech com a ajuda da Zoop?

Agora que você sabe como criar uma fintech com a Zoop e seus principais benefícios, veja algumas empresas que já são sucesso com as nossas soluções.

Medicinae Solutions

Um exemplo prático de utilização da plataforma é o da Medicinae Solutions, startup de gestão financeira focada em médicos e pequenas clínicas. 

A solução oferecida organiza as finanças dos clientes e disponibiliza uma maquininha para pagamento particular com cartão, além de integrar e antecipar os recebíveis de planos de saúde e pagamentos de consultas em um único local. 

Com o terminal, os profissionais de saúde recebem por seus atendimentos particulares na hora, sem dependerem de dinheiro ou cheque, e ainda podem fazer automaticamente a divisão dos pagamentos (split) nos procedimentos que envolvam outros profissionais, como anestesista, cirurgião e instrumentador.

“Nunca pensamos em montar nossa própria solução de pagamentos. Ter uma plataforma à disposição, e customizável, fez toda a diferença para o negócio, além de ajudar a aumentar o caixa”, conta o fundador da Medicinae, Rafael Coda. 

Precisávamos de um sistema integrado e adaptado ao nosso serviço para oferecer uma experiência diferente na área de pagamentos, não só uma maquininha, até porque, hoje, elas são como commodities”.

Veja o depoimento completo dos responsáveis pela Medicinae neste vídeo:

Avec

O sistema de gestão de salão de beleza Avec também já tem retornos com as transações efetuadas. 

Inicialmente, a empresa só era remunerada pela mensalidade de uso do seu sistema, que inclui agendamento de serviços, frente de caixa e gestão financeira. Agora, parte da receita vem do Avec Pay, solução de pagamento exclusiva para o mercado de beleza. 

Desenvolvida na plataforma Zoop, a ferramenta engloba:

  • pagamentos de serviços e produtos em terminais dos estabelecimentos parceiros;
  • cobranças on-line no Avec Marketplace. 

Essa última solução oferece uma prateleira de produtos para os clientes. Quando a compra é efetivada, tanto o salão quanto os profissionais de beleza podem receber comissões sobre vendas feitas a partir de indicações. 

Todas as operações são realizadas usando os módulos de split e gestão de contas. A Avec ainda oferece antecipação de recebíveis e pagamento direto na conta dos profissionais, que ganham um percentual da transação definido pelo salão.

A parceria com a Zoop nos possibilitou oferecer pagamentos como um serviço, agregando valor ao nosso sistema de agendamentos aos salões de beleza e tornando a nossa solução muito mais completa. Além disso, substitui a necessidade de montar uma subadquirente, porque ela já possui toda a estrutura regulatória necessária para atuar no mercado de pagamentos”, conta Henrique Loyola, CEO da Avec.

Quer saber mais sobre essa empresa e como nossa plataforma fintech ajudou em seu crescimento? Então assista a este vídeo:

Como criar uma fintech com a Zoop?

Sua empresa precisa aumentar o faturamento e escalar a rentabilidade, mas você ainda não sabe qual estratégia adotar? Muitas delas envolvem barreiras que só aumentam riscos e incertezas no projeto.

Aqui vai uma boa notícia: agora, sua empresa pode construir suas próprias soluções de pagamentos integradas para ajudar seus clientes a crescerem, criando uma fintech de pagamentos dentro da própria operação. 

A Zoop possibilita que Marketplaces, ERPs, empreendedores e outros tipos de negócios passem a gerenciar o fluxo transacional de seus clientes, gerando novas receitas através de serviços de contas digitais, splits de pagamento e antecipação de recebíveis.

→  Converse com um especialista! ← 

Com nossa plataforma de serviços financeiros e meios de pagamentos White Label, que conta com tecnologias de captura para maquininhas, boletos e outros meios de pagamentos com sua própria marca, você elimina barreiras regulatórias, custos de desenvolvimento e tempo de implementação para sua empresa crescer focada no que faz melhor

Junte-se ao iFood, Sympla, Avec e outras grandes empresas que também geram valor com serviços financeiros. Veja como criar uma fintech agora!

Head de Marketing e Novos Negócios na Zoop.