Gestão

Securitização de recebíveis: o que é e como pode ajudar a sua empresa?

Publicado em 29 de junho de 2022 por Redação Zoop
Avalie este post

A securitização de recebíveis é uma estratégia na qual uma empresa vende seus direitos creditórios a uma organização especializada nessa prática em troca de recursos financeiros.

Explicando de uma maneira mais simples, imagine que o seu negócio está com diversas ordens de cobranças emitidas contra clientes — por exemplo, crediários não pagos.

Ao invés de esperar até que esses títulos sejam quitados, é possível vendê-los a instituições que trabalham com securitização de recebíveis, as quais pagarão-lhe um valor um pouco abaixo do original.

Ainda que tenha essa pequena perda financeira, a vantagem desse processo fica por conta da liquidez imediata do título. Ou seja, do recebimento de uma quantia próxima da inicial em bem menos tempo.

Com isso, você tem a chance de utilizar esses valores em outros pontos que considerar importantes para o crescimento do seu negócio, a exemplo de aquisição de novas tecnologias, maquinários, capacitação de profissionais, entre outros.

Para quem compra esses títulos, o ganho é decorrente dos juros que serão cobrados dos devedores.

Achou essa prática interessante? Considera que ela pode ajudar o seu negócio? Então continue a leitura deste artigo para conferir tudo sobre securitização de recebíveis.

O que é securitização de recebíveis? 

Como dissemos logo na abertura deste artigo, securitização de recebíveis é uma prática na qual detentores de direitos creditórios vendem esses documentos a empresas especializadas nessa estratégia em troca de liquidez imediata.

As securitizadoras, como são chamadas essas instituições, transformam esses documentos — que podem ser cheques, duplicatas, empréstimos, crediários, aluguéis, empréstimos, recebidos de cartões de crédito, entre outros — em títulos negociáveis no mercado de capitais.

Por conta disso, esse processo comumente engloba três membros, que são:

  • cedente ou originador: que é o credor ou a empresa detentora dos valores a receber;
  • securitizadora: instituição responsável por transformar os direitos creditórios em títulos que poderão ser negociados;
  • investidor: pessoa física ou jurídica que comprará os títulos e, por sua vez, assumirá o risco do pagamento a ser realizado pelo devedor.

 

De forma prática, a securitizadora trabalha como uma intermediária nessa transação financeira, fazendo a transformação dos créditos em títulos negociáveis, bem como realizando a “ponte” entre cedente e investidor.

Já o investidor é uma pessoa ou empresa que aposta em investimentos de risco em busca de retorno financeiro. Isso acontece porque eles pagam ao cedente um valor bem próximo da dívida original e ganham em troca os juros provenientes da cobrança realizada.

Por estarem comprando dívidas, estão cientes da possibilidade de inadimplência. Por outro lado, se receberem os valores, a lucratividade tende a ser bastante significativa.

Dica de leitura: “O que é antecipação automática de recebíveis? Vale ou não a pena?

Quais as vantagens dessa estratégia para a sua empresa?

Não são raras as vezes que uma companhia precisa de dinheiro para expandir, capital esse que pode ir além da sua reserva financeira ou quantia disponível em caixa.

Quando isso acontece, é comum os gestores pensarem em recorrer a empréstimos e/ou financiamentos para obter o valor necessário para colocar suas ideias de crescimento em prática.

O problema desse posicionamento é que essa obtenção de crédito junto a bancos ou financeiras sempre gera o pagamento de juros que, quando altos, podem comprometer o gerenciamento financeiro da empresa.

Então o que pode ser feito para ter o dinheiro necessário para investir no negócio sem que isso comprometa o seu fluxo de caixa ou ações futuras? Uma das opções é justamente a securitização de recebíveis.

Ao adotar essa prática a empresa tem liquidez imediata de papéis e transações que estavam parados aguardando o pagamento dos seus devedores. Em outras palavras, significa que você tem a garantia do recebimento desses valores, o que pode não acontecer naturalmente.

O que queremos dizer aqui é que esperar o pagamento por parte dos devedores é um processo isento de qualquer certeza. A depender da origem da dívida a sua empresa, infelizmente, pode ser vítima de inadimplência, o que resulta no não recebimento desses valores.

Já na securitização, como essas dívidas são compradas, você recebe imediatamente o valor delas — ainda que haja um pequeno desconto — garantindo que essa quantia entre no caixa do seu negócio.

Mas além da garantia de recebimento, visto que esses valores serão pagos pelos investidores e não pelos devedores, essa prática gera outras vantagens. Entre as que mais se destacam estão:

  • dispensa a necessidade de tomar medidas de cobrança junto aos clientes inadimplentes, considerando que essa ação passa a ser de responsabilidade do investidor;
  • evita que a própria empresa entre em dívidas provenientes da obtenção de empréstimos bancários;
  • antecipa o recebimento de valores, o que ajuda a manter a saúde financeira do negócio e a promover uma boa gestão.

 

Leia também: “O que é ponto de equilíbrio financeiro e como calcular?

Quais são os riscos e as desvantagens da securitização de recebíveis?

Em linhas gerais essa estratégia tem poucos riscos, especialmente se for realizada por intermédio de uma securitizadora de confiança e com experiência nesse mercado.

Isso acontece porque, ao vender os seus direitos creditórios, o comum é o investidor pagar a quantia relacionada imediatamente. A partir desse momento, ele passa a ser o detentor da dívida e a pessoa que deve tomar as medidas necessárias para recebê-la.

Ou seja, a sua empresa já estará em posse do valor daqueles débitos, ainda que eles não tenham sido pagos efetivamente pelos devedores.

No que se refere às desvantagens, pode ser o recebimento de uma quantia menor que o valor original da dívida, percentual esse que também entra como margem de lucro do investidor. Também é preciso considerar as taxas cobradas pela securitizadora para intermediar as operações.

Por fim, essa prática pode afetar a análise de crédito da companhia e comprometer a aprovação futura de empréstimos em bancos e financeiras.

Existem outras formas de levantar recursos financeiros?

Como você pôde ver, a securitização de recebíveis é uma forma de levantar recursos financeiros por meio da venda de direitos creditórios, por exemplo, ordens de cobranças emitidas contra os clientes que ainda não foram pagas por eles.

Mas caso uma empresa não trabalhe com esse tipo de título, existe outra maneira de levantar recursos provenientes de negociações já concluídas, mas que ainda não foram liquidados. No caso, estamos falando da antecipação de recebíveis.

A antecipação de recebíveis consiste em receber antes do prazo valores de vendas feitas via cartão de crédito, boleto bancário, ou outra forma de pagamento com data de vencimento futura. Ou seja, são pagamentos já garantidos para a companhia, mas que somente não chegaram no dia de recebimento.

Quer saber como isso pode ser feito? Confira todos os detalhes no artigo “O que é antecipação de recebíveis on-line? Oferecer esse tipo de serviço financeiro realmente vale a pena?

Avalie este post
Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo