Negócios

Como os produtos financeiros disruptivos podem alavancar as vendas de final de ano

Publicado em 15 de dezembro de 2020 por Redação Zoop

Os produtos financeiros disruptivos podem ser o segredo para aumentar o volume de vendas no varejo neste final de ano.

Não há como deixar de citar que 2020 foi marcado por diversas mudanças que afetaram não apenas a vida pessoal de todos, mas também modelos de negócios e até o comportamento de compra do consumidor.

Por exemplo, devido ao risco de contágio pelo novo coronavírus, a própria OMS, Organização Mundial de Saúde, orientou que fosse dada preferência aos pagamentos por aproximação.

O resultado foi que 69% dos brasileiros passaram a adotar esse meio de pagamento e 75% afirmam que continuarão utilizando o contactless mesmo ao término da pandemia.

Entre os motivos para essa adesão é que muitos consideram mais conveniente do que dinheiro (88%), outros julgam uma solução mais rápida (82%), além de mais segura (78%).

Em uma visão geral, produtos financeiros disruptivos como esse não apenas atendem às novas necessidades e expectativas dos clientes, mas também tornam o seu processo de compra muito mais rápido, melhorando a sua experiência.

Partindo desse princípio, o que pode ser ofertado para atender com ainda mais qualidade os consumidores, impulsionar as compras e, consequentemente, aumentar o faturamento do varejo nas compras de fim de ano?

Produtos financeiros disruptivos melhoram a experiência de compra

Os produtos financeiros disruptivos têm a característica de serem soluções antigas que foram melhoradas com o uso da tecnologia, ou novas que já nasceram com esse DNA.

Isso nos leva a relacionar esse tipo de oferta com a transformação digital nas empresas e com o processo de digitalização do dinheiro, o qual foi bastante impulsionado com a chegada da pandemia.

Ambos seguem a tendência do uso de soluções tecnológicas com o objetivo de aprimorar serviços e processos, bem como de atender ao atual comportamento do consumidor.

Cada vez mais o público busca por experiências de compra ágeis e dinâmicas. Nesse trajeto, o meio de pagamento escolhido não pode ser um obstáculo.

A ideia, portanto, é usar os produtos financeiros disruptivos como meios para entregar aos clientes processos mais fluidos e livres de ruídos.

A experiência que uma empresa proporciona a um consumidor é tão importante para ele que uma pesquisa da Walker apontou que, a partir de 2020, esse quesito teria mais peso do que os valores cobrados pelos produtos e/ou serviços.

Em outras palavras, o preço é considerado, mas se o cliente não tiver as suas expectativas atendidas, e se a experiência vivida não for agradável, pode finalizar o seu relacionamento com a marca, que perde em fidelização e lucratividade.

Produtos financeiros disruptivos que podem ser oferecidos para aumentar as vendas

A boa notícia é que existem várias opções de produtos financeiros disruptivos que podem ser oferecidos para aumentar o nível de satisfação dos clientes e o volume de vendas das empresas varejistas.

Entre as possibilidades que podem ajudar também o seu negócio estão:

  • Pagamento por aproximação
  • Carteiras digitais
  • QR Code
  • Pix

Pagamento por aproximação

Como citado anteriormente, o pagamento por aproximação ganhou mais adeptos nos últimos meses, grande parte impulsionado pela pandemia do novo coronavírus.

Dados da Abecs, Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços, referentes ao 3º trimestre de 2020, mostraram que o uso do contactless cresceu 622,5%, movimentando R$ 14,4 bilhões.

Nesse montante estão pagamentos via cartão de crédito (+ 189,5%), cartão de débito (+ 3.811,7%) e cartão pré-pago (513,2%).

Não deixe de ler “Tudo sobre pagamento por aproximação para o seu negócio!

Carteiras digitais

As carteiras digitais, ou e-wallets, seguem a mesma tendência de aumento do uso por conta do novo comportamento de compra do consumidor.

Entre os produtos financeiros disruptivos, a carteira digital foi o tipo de pagamento móvel via aplicativo mais utilizado nas lojas físicas. 

Segundo a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), essa foi a escolha de 85% dos entrevistados.

Essa solução, inclusive, se tornou uma das mais adotadas pelos varejistas que ajustaram os seus sistemas de pagamento digital durante a pandemia, representando 36% de adesão.

QR Code

Uma pesquisa realizada pela Mobile Time/Opinion Box em março deste ano constatou que 35% dos entrevistados já haviam feito pagamento de compras via QR Code.

Em apenas seis meses esse percentual subiu para 48%, de acordo com pesquisa atualizada da empresa.

Entre os motivos que levaram ao aumento do uso dessa solução está o fato que não é preciso encostar nas maquininhas na hora do pagamento. 

Ou seja, mais uma vez a pandemia motivou o uso de produtos financeiros disruptivos, colocando o QR Code na lista dos que podem ajudar a elevar o volume de vendas nos próximos meses.

Além disso, seu uso tende a ser ainda maior por ser uma das opções de pagamento via Pix.

Pix

Se o foco é aumentar o volume de vendas no final do ano com produtos financeiros disruptivos, obviamente, o Pix não poderia ficar fora da nossa lista de opções.

Leia também: “Tudo sobre o PIX: confira as 13 respostas que a sua empresa precisa saber e a opinião de grandes especialistas!

Já na Black Friday, 19% dos consumidores disseram que pretendiam usar esse meio de pagamento para realizar as suas compras, segundo a SBVC. Análises recentes mostraram que o Pix movimentou mais de R$ 3 milhões na ocasião. 

Até o momento o Pix, Sistema de Pagamentos Instantâneos do Banco Central, já movimentou quase R$ 30 milhões em mais de 30 mil transações.

O número de chaves cadastradas já passa de 92 milhões, sendo a maior parte de pessoas físicas (mais de 91 milhões).

Mas conforme o público vai percebendo as vantagens desse meio de pagamento, a tendência é que a sua adesão seja ainda maior.

No e-commerce, por exemplo, o pagamento instantâneo vai contribuir para otimizar o processo de envio da mercadoria, considerando que não será mais necessário aguardar a compensação dos valores pagos.

Nas lojas físicas, o Pix ajuda a reduzir filas, evita contato e manuseio de cartão e dinheiro e, a partir de 2021, vai permitir a realização de saques nas redes varejistas. Essa possibilidade é uma maneira de atrair mais público e gerar novas oportunidades de vendas.

Não deixe de ouvir este episódio do Papo na nuvem sobre o impacto do Pix no varejo:

Outras soluções que ajudam a atrair mais público para o varejo

Na lista de produtos financeiros disruptivos que podem ajudar a atrair mais público para o varejo e, com isso, aumentar o volume de vendas, temos a oferta de contas digitais.

A partir de plataformas Banking as a Service empresas não-financeiras podem entregar aos seus clientes a mesma experiência de um banco digital completo.

Quer entender melhor como funciona? Então leia o artigo “O que é Banking as a Service? Entenda o conceito, vantagens e por que vale a pena

Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo