Negócios

#3.9 Plataformas de e-commerce: cenário, oportunidades e tendências

Publicado em 13 de maio de 2021 por Redação Zoop

As plataformas de e-commerce são ferramentas que permitem que empresas e empreendedores desse segmento criem suas lojas online e gerenciem os seus negócios

Isso inclui a oferta de produtos, a administração de estoques, definição de preços e promoções, e outras soluções que fazem parte da rotina de uma loja virtual, como os meios de pagamento oferecidos.

Neste episódio do Papo na Nuvem, Gustavo Brigatto conversa com Lucas Buffo, CEO da Flores Online, o primeiro e-commerce de flores e presentes especiais do Brasil; e com Maurício Baum, diretor de produtos de pagamentos da VTEX, multinacional brasileira de tecnologia com foco em cloud commerce.

A ideia foi falar sobre o atual cenário das plataformas de e-commerce, as oportunidades, tendências e o impacto dos novos meios de pagamentos nas compras online.

Confira, agora, os principais pontos abordados nessa conversa.

O aumento das vendas online durante a pandemia

Todos sabemos que as vendas online aumentaram consideravelmente devido à pandemia. Inclusive, essa foi a saída e a salvação para inúmeros varejistas desde o início do isolamento social e o fechamento temporário dos comércios se fez necessário.

Brigatto destaca que restaurantes, empresas de diferentes portes, até pessoas que perderam o emprego foram para o mundo online.

A nossa visão é que o ano passado (2020), com a pandemia, o e-commerce avançou pelo menos uns quatro anos dentro de um. Com isso, os resultados que a gente estava esperando alcançar nesse período, conseguimos alcançar em apenas um ano”, ressalta Lucas. 

Ele ainda destaca que a Flores Online, por exemplo, teve um crescimento no faturamento de 120%, comparando 2020 com 2019. “Isso foi observado não só com a gente, em vários nichos, em vários outros segmentos do e-commerce”. 

Maurício chama a atenção que a experiência de primeira compra via internet, pela qual muitos consumidores passaram, aconteceu inclusive com ele:

Minha primeira compra de flores na internet foi durante a pandemia. E é interessante esse fenômeno porque o que aconteceu comigo, aconteceu com muita gente. Tivemos uma mudança forçada nos hábitos de consumo, por isso, passamos a comprar de casa, comprar online

 O diretor da VTEX destaca ainda que essa mudança de comportamento afetou não apenas os consumidores, mas as empresas também:

O comércio, como um todo, teve que se reinventar para sobreviver. Restaurantes que estavam com as portas fechadas, por exemplo, tiveram que investir em delivery ou ofertar os pratos em plataformas de e-commerce voltada para alimentos.

Farmácias, supermercados, entre outros, criaram diversos canais, como o WhatsApp, para poder receber pedidos e entregar na casa dos clientes.

 Tiveram que fazer isso de uma forma abrupta. Alguns projetos surgiram durante a pandemia, ou fez projetos engavetados saírem do papel em semanas.

 Isso deu um impulso incrível na omnicanalidade que é você vender em um canal, distribuir em outro, bem como na criação de marketplaces, assim, lojas que só vendiam os seus produtos passaram a vender produtos de terceiros”. 

Dica de leitura: “Omnicanalidade em meios de pagamento: por que e como oferecer?

O que esperar sobre o futuro do e-commerce

Ainda segundo Maurício, é muito importante reconhecer que o aumento da demanda no online durante a pandemia teve um papel fundamental na nossa sociedade, porque garantiu a saúde financeira de muitas empresas, o emprego de diversas pessoas e o sustento de várias famílias.

Além disso, muitas barreiras relacionadas ao comércio eletrônico foram derrubadas, o que afetou diretamente o futuro do e-commerce.

Os hábitos de consumo se transformaram e o próprio varejo se transformou. Soluções foram criadas, novos canais de venda e canais de distribuição. 

Se você for olhar, a gente tem o lado de quem demanda, tem novos hábitos pelo lado do consumidor, um mercado e uma oferta muito mais digitais. 

Temos todos os elementos para poder afirmar que não vamos voltar ao patamar original. Talvez só não em uma intensidade tão grande quanto estamos hoje na pandemia”.

O ponto de vista de Lucas também é o mesmo:

Ainda estamos em período de pandemia, mas já vejo um período de consolidação da evolução do que aconteceu no ano passado. 

Acredito também que nós não vamos voltar a patamares pré-pandêmicos né. Acho que o que veio, veio para ficar, mas creio também que muito desse hábito e dessa confiança vai ser consolidada a partir de boas experiências dos clientes”. 

Como as plataformas de e-commerce ajudam no crescimento do setor

E quando falamos em boas experiências dos consumidores, as plataformas de e-commerce têm grande peso e participação nessa oferta.

Nós percebemos que, no ano passado, as pessoas estavam muito mais tolerantes a algum tipo de problema ou de experiência não tão bacana que os e-commerces ofereciam, mas essa questão foi mudando. 

Por isso, acho que a consolidação do comércio eletrônico passa por uma boa experiência de compra”, salienta Lucas.

Para que os consumidores adquiram essa confiança, um dos cuidados que se deve ter é com os meios de pagamento e serviços financeiros.

Segundo Maurício, “não adianta ter um checkout que você tem que ficar horas ali e não ter, por exemplo, boas opções de pagamento”. 

As plataformas de e-commerce ajudam a resolver essa questão, melhorando a experiência do cliente e contribuindo para aumentar as taxas de conversão do varejista e seu faturamento.

Além disso, contribuem para aprimoramento da gestão de estoque e logística, oferta mais ampla de opções de pagamento, engajamento dos clientes e muito mais.

O diretor da VTEX também reforça que “é importante escolher uma plataforma de e-commerce que esteja preparada para aceitar diferentes funcionalidades, seja bastante tecnológica e integrada via API, para que possa receber módulos externos e se integrar facilmente com eles

Para Lucas, as plataformas de e-commerce também devem permitir personalizações, considerando as especificidades do segmento e a demanda do varejista.

Em complemento, Brigatto chama a atenção para os novos meios de pagamento que estão sendo utilizados no comércio online, a exemplo do Pix, e a necessidade de as plataformas de e-commerce se adequarem a essas novas opções, como o Pix Garantido e o Pix Cobrança.

Quer saber o desfecho dessa conversa e o que mais foi falado sobre plataformas de e-commerce, meios de pagamento online e o futuro do comércio eletrônico? Então confira, na íntegra, o episódio completo!

 

Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo
O que é o Papo na Nuvem?

Ouça em:
Download