Banking

Bancos de varejo: o que são e quais as vantagens desse modelo de negócio?

Publicado em 01 de abril de 2021 por Redação Zoop

Está sem tempo de ler agora? Que tal ouvir o artigo? Experimente no player abaixo!

Bancos de varejo são instituições que realizam transações e que oferecem produtos e serviços financeiros diretamente para os seus consumidores, ou seja, para pessoas físicas.

Na rede varejista, a ideia de agregar esse tipo de solução tem ganhado cada dia mais força e adeptos.

Empresas como Casas Bahia, Ponto Frio, Riachuelo, Magazine Luiza, entre outras, já são conhecidas do público por seus cartões e conta digital com a própria marca, ambos criados especialmente pensando no perfil dos seus clientes.

O iFood, empresa líder em delivery de alimentos, também seguiu essa linha e lançou o chamado “banco dos restaurantes”, um banco digital criado para atender exclusivamente aos donos de estabelecimentos comerciais cadastrados na sua plataforma.

Por que os varejistas estão cada vez mais interessados em lançar os seus próprios serviços e produtos financeiros? Quanto esse tipo de oferta beneficia o negócio e o público atendido?

Qual a proposta por trás dos bancos de varejo?

Os bancos de varejo, criados por esse segmento, têm a proposta de oferecer soluções para atender de maneira mais precisa e completa ao seu público.

Trata-se de ir além da venda de produtos e agregar serviços que vão melhorar não só a jornada de compra do cliente, mas também o seu dia a dia.

Os bancos de varejo têm uma grande vantagem quando comparados aos bancos tradicionais: a proximidade com o cliente.

Esse relacionamento mais estreito permite conhecer as dores e as necessidades do público de maneira mais clara e profunda. Com isso, as empresas varejistas conseguem criar e entregar soluções financeiras que realmente mudam a vida dos seus consumidores, além de agregar mais valor à sua marca.

Essa forma de atuação dos bancos do varejo também contribui para promover a inclusão financeira colaborando, assim, com o processo de bancarização

Dica de leitura: “Banco digital para empresas: quais as vantagens e como se tornar um?

Quais as vantagens dos bancos de varejo para empresas e clientes?

Entre as vantagens para o público, os bancos de varejo ajudam a desburocratizar processos. Um bom exemplo são as redes varejistas que trabalham com empréstimos. 

De modo geral, basta o cliente ir até uma das lojas e solicitar o serviço. Atendendo às condições impostas pela marca, o dinheiro é retirado na hora, no próprio caixa da loja.

Outra vantagem diz respeito ao horário de atendimento. Nos bancos de varejo os clientes têm acesso a diferentes transações além do horário bancário tradicional, incluindo finais de semana e feriados, se a loja estiver aberta nesses dias.

Além desses pontos, a proximidade de relacionamento e a confiabilidade que se tem com as redes varejistas dá a esse público acesso facilitado a diversos serviços, ao contrário do que geralmente acontece nos grandes bancos.

Já para as empresas que agregam soluções financeiras ao seu portfólio e se tornam bancos de varejo, as vantagens que mais se destacam são:

  • oferta de produtos aderentes que contribuem para a fidelização dos seus clientes;
  • aumento no seu poder de atração, ajudando a conquistar novo público;
  • ganho de um diferencial competitivo;
  • geração de novas oportunidades de venda;
  • obtenção de uma nova fonte de receita.  

Como os bancos de varejo podem aprimorar os seus serviços?

Em uma entrevista para a Folha de São Paulo, Gustavo Gawryszewski, gerente de produtos da Zoop, comentou que as soluções financeiras no varejo crescem conforme as empresas identificam a necessidade de apresentar aos seus clientes um diferencial.

E quando falamos em diferencial, é preciso considerar que uma maneira de promover a adesão à oferta que está sendo feita é realmente entregando algo de valor ao cliente.

Como mencionado anteriormente, as empresas varejistas têm a vantagem de ter dados que permitem conhecer de maneira profunda o comportamento e perfil de consumo do seu público. Com isso, conseguem oferecer a eles os produtos certos.

Somado a esse ponto, o Open Banking é outra solução que tem tudo para contribuir para que os bancos de varejo aprimorem ainda mais os seus serviços.

Além de contar com a sua própria base de informação, o compartilhamento de dados e informações bancárias vai permitir a essas empresas conhecerem a relação que os seus clientes têm com outras instituições e organizações.

Isso vai possibilitar, por exemplo, fazer uma análise de risco de crédito mais precisa e rápida, bem como conhecer os produtos que o cliente usa e oferecer soluções com condições melhores, a fim de atraí-lo para a sua base.

Não deixe de ler: “Open Banking do Banco Central: aceleração do crescimento das empresas por meio da tecnologia” 

Qual o futuro dos bancos de varejo?

Todo o conceito de bancos de varejo é baseado no chamado embedded finance. Consiste em incluir soluções financeiras próprias ao portfólio de empresas que não fazem parte desse segmento.

Em outras palavras, são empresas que não têm o seu core business no mercado de serviços financeiros, mas, a fim de atender de maneira mais completa as necessidades do seu público, passam a trabalhar com produtos e meios de pagamento próprios.

Considerando ser um modo de atuação bastante promissor, a tendência é que os bancos de varejo ganhem cada vez mais espaço.

Um dos principais motivos é que essa oferta se tornou um canal de democratização desses serviços, atendendo especialmente a população de baixa renda.

Em entrevista dada para a Zoop, André Calabro, diretor executivo da Via Varejo, empresa responsável pelas Casas Bahia, comentou:

Esse setor tem uma responsabilidade e uma oportunidade muito grande de trazer essas pessoas que hoje estão fora do sistema financeiro e poder proporcionar serviços que façam diferença na vida delas

Confira a entrevista completa, e opinião de outros especialistas sobre as oportunidades em serviços financeiros embarcados para 2021, assistindo a este vídeo:

 

Como se tornar um banco de varejo?

Ainda que muitas redes varejistas estejam solicitando ao Banco Central permissão para atuarem como banco, como foi o caso do Carrefour, a parceria com as fintechs é um dos caminhos mais indicados para que essas empresas adentrem nesse mercado de forma rápida e simplificada. 

Isso acontece porque as startups de serviços financeiros facilitam a entrada de novos players no setor, com a entrega de soluções White Label, ou seja, que levam a marca da empresa, praticamente prontas para uso.

Entenda tudo sobre esse assunto no artigo “Fintech as a service: o que é e por que você deve contratar uma

Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo