Mercado

O que é Open Finance e o que abrange esse conceito?

Publicado em 17 de junho de 2022 por Redação Zoop
Avalie este post

Após entender o que é Open Banking e como ele funciona, chegou o momento de conhecer o que é Open Finance.

Open Finance pode ser definido como a evolução do sistema financeiro aberto. O motivo é que ele abrange o compartilhamento de dados e informações voltados para produtos bancários considerados não tradicionais, a exemplo de seguros e câmbio, indo além da proposta inicial.

No dia 24 de março de 2022, o Banco Central do Brasil anunciou oficialmente a mudança de nomenclatura, dando início a uma estratégia amplificada desse sistema. Além disso, a alteração do termo Open Banking para Open Finance também visa facilitar a compreensão do público quanto a esses conceitos.

Com essa abordagem, espera-se que a adesão dos clientes bancários ao sistema financeiro aberto aumente, considerando que o entendimento sobre a sua aplicação tende a ficar mais clara.

Mas, de forma prática, o que a chegada dessa nova fase pode afetar usuários de serviços bancários e instituições que aderiram ao Open Banking? Será que o Open Finance realmente vale a pena?

Continue a leitura deste artigo e confira essas e outras respostas sobre o tema.

O que é Open Finance?

Conforme mencionado na nossa explicação inicial sobre o que é Open Finance, trata-se da evolução do Open Banking, sistema financeiro aberto.

O Open Finance já estava previsto para acontecer na quarta fase do Open Banking, que foi iniciada em 15 de dezembro de 2021. Nessa etapa, a permissão de autorização de compartilhamento de dados vai além da aplicação para produtos e serviços bancários tradicionais.

Isso significa que a divisão e troca de informações entre instituições e empresas do setor financeiro, mediante prévia autorização do titular, passa a abranger também produtos bancários considerados não tradicionais, tais como investimentos, previdência, seguros, câmbio, entre outros.

A proposta do Banco Central com essa abordagem mais ampla segue o mesmo princípio do Open Banking, ou seja:

  • aumentar a competitividade entre instituições;
  • fomentar a criação de novas soluções financeiras;
  • contribuir para a oferta de produtos e serviços realmente personalizados;
  • manter o cliente bancário no centro das operações e estratégias.

Como foi feita a implementação do Open Finance?

Mas para saber o que é Open Finance de maneira mais completa, é bem importante entender também quais foram as mudanças que o Banco Central precisou fazer para a implementação dessa evolução.

A consolidação da migração de Open Banking para Open Finance acontece com a atualização do tratamento regulatório citado na Resolução Conjunta nº 1, de 2020, processo que é feito em conjunto pelo Banco Central e pelo Conselho Monetário Nacional.

A Resolução Conjunta nº 4 de 24 de março de 2022 dispõe sobre a alteração da nomenclatura, e determina:

“Art. 1º  O Sistema Financeiro Aberto de que trata a Resolução Conjunta nº 1, de 4 de maio de 2020, e demais atos normativos que disciplinam o tema, passa a ser denominado Open Finance”

Os demais normativos relacionados ao sistema financeiro aberto também serão alterados em períodos próximos. 

Somado a isso, também foi preciso modificar a estrutura definitiva de governança. A razão para essa mudança é que o órgão regulador notou a necessidade de deixar mais claro alguns deveres e atribuições no que se refere ao monitoramento e resolução de problemas causados pelo descumprimento das obrigações por parte das instituições participantes.

Essa reestruturação será aprovada pelo Banco Central até 30 de junho de 2022.

Não deixe de ler este artigo: “Regulamentação do Open Banking: quais oportunidades de crescimento gera para a sua empresa?

O Open Finance vale a pena?

De acordo com dados do próprio órgão regulador, citados em uma matéria do site G1 Economia, antes mesmo da implementação da 4ª fase — etapa que fomenta a importância de entender o que é Open Finance — 1 milhão de consentimentos para compartilhamento de dados já tinham sido registrados.

Ou seja, apenas com a possibilidade de dividir informações com foco em produtos bancários tradicionais, o número de pessoas que aderiram ao sistema financeiro aberto já era bastante elevado.

Esse comportamento leva a crer que, com a inclusão de produtos bancários não tradicionais, a tendência é que mais brasileiros deem consentimento para compartilhamento das suas informações financeiras.

Para as empresas participantes do mercado financeiro, é preciso considerar um apontamento feito em uma matéria do site O Globo Economia, a qual destaca que a atualização das regras do Open Finance abre espaço para a criação de “marketplaces de crédito”.

O marketplace de crédito seria uma plataforma na qual o cliente bancário pode receber diferentes ofertas de empréstimos e financiamentos, provenientes de vários bancos e instituições, em um mesmo ambiente.

Para quem busca esse crédito é uma boa maneira de fazer comparações mais rapidamente, encontrando em menos tempo a solução que melhor atende a sua necessidade naquele momento.

O ponto de vista de quem oferece — especialmente os players entrantes — é uma forma de competir de maneira igualitária com grandes bancos na disputa pelos clientes

Em outras palavras, é um caminho para evidenciar a marca e apresentar para potenciais contratantes de empréstimos esse e outros serviços e produtos bancários que a companhia tem a oferecer.

Dica de leitura: “Mercado de crédito: a influência do Open Banking nos custos e na expansão desse setor

Como o Open Finance pode ajudar o seu negócio?

Com o conceito sobre o que é Open Finance esclarecido, você deve estar se perguntando quais oportunidades ele pode gerar para o seu negócio, certo?

Entre as possibilidades que podem ser aproveitadas por empresas que atuam de alguma forma no mercado financeiro, as duas que mais se destacam são:

  • atender novas camadas de consumidores: isso acontece porque terá a chance de apresentar as soluções da sua companhia de um mesmo patamar que fazem os grandes bancos, assim como acabamos de explicar;
  • oferecer produtos e serviços realmente personalizados: afinal, você terá acesso ao perfil do potencial cliente e seu histórico financeiro, o que ajuda a identificar de maneira mais precisa suas necessidades e, com isso, criar soluções personalizadas, atraindo-o para a sua base.

 

Obviamente, tudo isso resulta na geração de uma nova fonte de receita para a sua empresa, destacando que é possível entrar para o mercado financeiro sem se desviar do seu core business, independentemente de aderir ou não ao Open Finance.

Como fazer isso? Confira este vídeo exclusivo da Zoop e entenda!

Avalie este post
Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo