Mercado

Serviços financeiros digitais: quanto evoluiu e quais as próximas tendências?

Publicado em 22 de dezembro de 2020 por Redação Zoop
5/5 - (1 vote)

Os serviços financeiros digitais vêm passando por uma intensa e considerável revolução nos últimos anos. 

Se um dia o Internet Banking já foi considerado o processo mais tecnológico relacionado a um banco, hoje, os clientes sequer precisam estar em posse de seus cartões para realizarem um pagamento.

A necessidade de criar soluções bancárias digitais inovadoras vai ao encontro de uma soma de fatores: uso cada vez maior da tecnologia, mudança no comportamento do consumidor, chegada das fintechs, modificações nas regulamentações do sistema financeiro, entre outros.

Por fim, todos esses pontos têm os mesmos objetivos: fomentar a criação de produtos e serviços financeiros mais acessíveis e desburocratizados, a fim de melhorar a experiência do cliente.

Vale lembrar que a evolução dos serviços financeiros digitais não para de acontecer. Este ano, inclusive, é um dos que mais inovações está trazendo para o setor. 

Quais seriam esses serviços? Que tendências tornarão o mercado financeiro mais acessível ao público e rentável aos players? Descubra agora!

A evolução dos serviços financeiros digitais

O uso cada vez maior da internet promoveu a transformação digital das empresas de diferentes setores. Nesse cenário, os serviços bancários não podiam ficar de fora.

As fintechs causaram uma verdadeira revolução nesse setor, o que também “obrigou” os bancos tradicionais a se adequarem às mudanças para não perderem espaço.

Entenda melhor ouvindo este podcast do Papo na Nuvem

Uma pesquisa realizada pela Fujitsu, líder em tecnologia da informação e da comunicação (TIC), mostrou que os brasileiros são muito mais abertos a utilizarem serviços financeiros digitais do que qualquer outro país.

Segundo o levantamento, 4 a cada 5 entrevistados daqui querem que os bancos com os quais mantêm relacionamento sejam mais inovadores.

Somado a isso, a pesquisa da FEBRABAN constatou que, a cada 10 transações bancárias, mais de 6 são realizados por meios digitais.

As movimentações via Mobile Banking são as que mais se destacam: foram 39,4 bilhões de transações por esse canal em 2019, contra apenas 16,8 bilhões via Internet Banking, o que representa 44% das transações totais do ano analisado.

Com taxa de crescimento nos últimos 5 anos de 37%, esses números indicam que, em breve, as transações bancárias realizadas via celular representarão metade de todas as operações financeiras.

Soluções bancárias digitais em destaque

Mas a evolução dos serviços financeiros digitais vai muito além dos aplicativos para smartphones. Recentemente, uma solução bancária digital que ganhou bastante espaço foi o pagamento por aproximação.

Além dessa, os lançamentos aguardados este ano para o setor são o Pix e o Open Banking, ambos provenientes da atuação do Banco Central.

Pagamento por aproximação

Impulsionado pela pandemia do novo coronavírus, 69% dos brasileiros disseram que passaram a utilizar mais esse meio de pagamento e 75% afirmam que continuarão com essa solução mesmo ao término desse período.

Além da mudança de comportamento causada pelo risco de contágio, parte dessa intenção de continuar a usar o contactless é atribuída pelo público por ser uma solução mais conveniente do que o dinheiro (88%), um meio de pagamento mais rápido (82%) e mais seguro (78%).

Aqui, é importante ressaltar que, apesar de ser evidenciado neste período, o contactless é uma solução bancária digital que já vinha apresentando considerável crescimento.

De acordo com um estudo da Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços), o pagamento por aproximação cresceu 565% em 2019, movimentando mais de R$ 6 bilhões.

É fundamental que as empresas entendam que esse é um dos serviços financeiros digitais que veio para ficar, e que a sua oferta é uma maneira de aumentar as vendas

A prova disso é que 69% dos consumidores afirmam que preferem comprar em lojas que trabalham com contactless como opção de pagamento, e 61% que essa se tornou a sua forma preferida de pagar por algo.

Pix

O Pix, sistema de pagamento instantâneo do Banco Central, é uma solução que permite pagamentos e transferências de valores em poucos segundos, a qualquer hora ou dia da semana.

Uma alternativa aos já conhecidos TED e DOC, o Pix vai agilizar a movimentação de valores entre quem paga e quem recebe, sejam essas pessoas físicas ou jurídicas.

Previsto para ser lançado em novembro deste ano, esse é um dos serviços financeiros digitais que promete melhorar a experiência de compra do consumidor e impulsionar as vendas.

Entenda “Qual o papel do pagamento instantâneo na crise? Como, e quanto, o Pix vai contribuir para a retomada econômica do varejo pós-pandemia?

Open Banking

Também previsto para novembro de 2020, o Open Banking consiste no compartilhamento de dados entre instituições financeiras mediante autorização do titular.

O objetivo do Banco Central com essa proposta é aumentar a transparência no sistema financeiro e fomentar a criação de produtos e serviços financeiros inovadores, aumentando a competitividade entre os players do setor.

Para os clientes, das vantagens do Open Banking que se destacam está a possibilidade de migrar facilmente entre as instituições bancárias que melhor atender suas necessidades.

Já para os bancos, fintechs e empresas do mercado financeiro, o principal benefício é atrair clientes com a oferta de soluções mais acessíveis e personalizadas.

Tendências em serviços financeiros digitais

Mas como já mencionamos, os serviços financeiros digitais estão em constante evolução. Por isso, diversas tendências já estão sendo implementadas e aguardadas para os próximos anos. 

Veja algumas dessas soluções e o que esperar de cada uma delas.

Inteligência artificial

Além de oferecer um atendimento mais ágil, a próxima contribuição esperada da Inteligência Artificial (IA) aos serviços financeiros digitais visa melhorar ainda mais a experiência do cliente.

O uso de algoritmos inteligentes é uma boa maneira de analisar o seu comportamento e, com isso, oferecer soluções mais apropriadas para as suas necessidades.

Nesse ponto entra também o Machine Learning, que contribui com a identificação de novas oportunidades de negócios, bem como com a redução de custos operacionais.

Deep Learning

Indo um pouco mais além na IA, temos o Deep Learning, que favorece a análise e a compreensão de atividade mais complexas.

No que diz respeito aos serviços financeiros digitais, essa solução pode contribuir para diagnósticos mais profundos e analíticos dos clientes, gerando insights para criação de soluções ainda mais precisas. 

Banking Analytics

Tudo se baseia no comportamento dos clientes e nas necessidades que apresentam ao longo do relacionamento com as instituições financeiras.

Assim, se o objetivo é entregar produtos e serviços bancários inovadores, quanto melhor for a análise dos dados coletados, mais resultados serão obtidos.

O Banking Analytics — soluções como assistentes virtuais inteligentes, análises preditivas, entre outras —  contribuem para esses diagnósticos e para a oferta de experiências melhores.

Blockchain

O objetivo do Blockchain é gerar mais segurança às transações digitais. Ainda que tenha sido criado com foco nas criptomoedas, essa tecnologia está sendo considerada para uso também no sistema financeiro tradicional.

Nesse caso, a utilização do Blockchain visa adicionar camadas de segurança aos produtos e serviços financeiros e, dessa forma, promover a prevenção a fraudes nos pagamentos e se precaver de possíveis ataques cibernéticos.

Antifraude preditiva

Também no que diz respeito a evitar fraudes nos serviços financeiros digitais, uma solução antifraude preditiva ajuda a combinar informações internas e externas e, assim, aumentar o grau de segurança ao se antecipar a prováveis problemas.

Principais desafios dos serviços financeiros digitais

Ainda que o comportamento do consumidor esteja mudando mais a cada dia, talvez um dos maiores desafios para a implementação dos serviços financeiros digitais seja a quebra de cultura.

De acordo com a pesquisa da Fujitsu citada anteriormente, para 57% dos clientes bancários a preocupação com a segurança dos seus dados é um dos motivos que pode influenciar na não utilização de bancos digitais futuramente. 

Talvez por isso, 27% ainda fazem uma combinação entre instituições financeiras tradicionais e as digitais para cuidarem de suas finanças.

Nesse ponto, é fundamental que as empresas que querem ofertar serviços financeiros digitais contem com bons parceiros, especialmente se esse não for o core business do seu negócio.

A Zoop é uma fintech líder em tecnologia para serviços financeiros com soluções que permitem que qualquer empresa passe a operar também como instituição de pagamento, sem desviar do seu produto principal.

O Zoop Banking, por exemplo, é uma solução Banking as a Service que transforma a sua empresa em um verdadeiro banco digital, com serviços e produtos financeiros com a sua própria marca. Tudo isso sem se preocupar com regulamentações ou desenvolvimento.

Conheça mais sobre o Zoop Banking e veja como oferecer serviços financeiros digitais, gerar uma nova receita para a sua empresa e entregar ainda mais valor e soluções pontuais aos seus clientes.

5/5 - (1 vote)
Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo