Todo empreendedor que já se debateu com a missão de encontrar a melhor solução de pagamentos para o seu negócio busca informações sobre o funcionamento da cadeia de pagamentos no Brasil. Gateways, adquirentes, subadquirentes, emissores, bandeiras de cartões de crédito, entre outros são os termos da indústria mais buscados na internet. 

Ao procurar o fornecedor ideal para gerir recebíveis para os seus clientes, é importante saber que existem dois mundos diferentes na indústria: os pagamentos digitais, ou pagamentos online, que são os pagamentos feitos pela internet; e os pagamentos presenciais, que são feitos numa compra física por meio de um terminal (maquininha). 

Sendo assim, você já parou para pensar, por exemplo, como funciona a transação entre o cliente, portador do cartão, uma loja e o banco? Quais movimentações ocorrem, no momento dessas transações, entre o portador do cartão, o estabelecimento, a adquirente, a bandeira e o banco emissor? E mais ainda: quem é responsável por garantir que as regras do jogo estejam sendo cumpridas?

Neste artigo, explicaremos melhor todo o processo, focando em uma das etapas fundamentais, que é a certificação das bandeiras de cartões de crédito. Acompanhe!

Os diferentes papéis em uma transação

O Banco Central definiu no chamado Marco Regulatório da Indústria que o mercado de pagamento necessita de um agente que determine e gerencie as regras gerais de uma operação de pagamento eletrônico. As bandeiras de cartões de crédito exercem essa função, ditando o funcionamento do sistema de pagamentos com cartões.

Por sua vez, as adquirentes, também conhecidas como credenciadoras, possuem a licença das bandeiras para credenciar os estabelecimentos comerciais para a aceitação de seus cartões na aquisição de bens e serviços.

Elas também são as responsáveis por capturar as transações, transmitir os dados às bandeiras de cartões de crédito, processar e liquidar as transações financeiras para a conta de recebimento dos estabelecimentos credenciados. 

Já os emissores detêm a licença das bandeiras para emitir os cartões, oferecer crédito e estabelecer limites aos portadores. Também se responsabilizam por validar se o portador do cartão está liberado para realizar uma transação.

Geralmente, os emissores de cartões são bancos que já possuem os dados financeiros dos clientes, porém, hoje existem casos no Brasil e no mundo de startups que criaram modelos de negócio baseados na emissão de cartão pré e pós-pago e não possuem, necessariamente, uma licença para atuar como instituição financeira. São casos como: Neon, Brex e Nubank.

bandeiras de cartoes de credito

Passo a passo de uma transação com senha (em maquininha)

Entendida a cadeia, vamos falar como funciona o fluxo de uma transação a partir do pagamento em uma maquininha de cartão.

Na prática funciona assim: o usuário/portador insere seu cartão em uma maquininha e autoriza, mediante a digitação da senha, a cobrança do valor em questão. No momento que o usuário confirma a senha, a adquirente captura os dados da transação e envia para a bandeira. Essa, por sua vez, valida os dados com o emissor do cartão, que verifica se o cliente tem saldo ou limite de crédito para concluir a compra. 

O emissor se comunica com a bandeira de cartão de crédito para aprovar ou não a transação e o adquirente envia uma mensagem de aprovação para o lojista através da maquininha (“compra aprovada”).

bandeiras de cartoes de credito

Afinal, para que servem as bandeiras de cartões de crédito? 

As bandeiras de cartões de crédito, débito e pré-pago podem ser consideradas como a “marca” do cartão. São elas que concedem as licenças que definem quem pode aceitar e pagar produtos e serviços com um cartão. 

Uma das vantagens que alavancou a utilização de cartões de crédito pelo mundo é que as bandeiras que operam a nível global permitem que um usuário possa fazer uma compra em qualquer lugar do mundo que aceite uma determinada bandeira. Elas criaram uma grande rede que permite que trocas comerciais aconteçam em qualquer canto do planeta por meio da tecnologia. 

É importante ressaltar que as adquirentes que operam internacionalmente se comunicam por meio da bandeira de cartão de crédito com os emissores locais para autorizar as compras. Para isso, as bandeiras criaram serviços para os emissores que permitem que o fluxo transacional aconteça de forma inoperável.

E não termina por aí: as bandeiras também são responsáveis pelos programas de benefícios, como por exemplo, os programas de milhagem e salas VIP em aeroportos. Elas usam o marketing para fidelizar clientes e aumentar o uso dos cartões

Resumidamente, as bandeiras de cartões de crédito:

  • São responsáveis pela afiliação de emissores e adquirentes;
  • Enquanto detentora da tecnologia de comunicação necessária para o funcionamento do arranjo e da marca a ela atrelada, é responsável pelo licenciamento do uso de ambas aos emissores e às credenciadoras;
  • Administra a relação entre emissores e credenciadoras de pagamento, de forma a permitir o processamento das transações de pagamento realizadas com instrumentos de pagamento/cartões;
  • Não é responsável pelo processamento de tais transações, apenas viabiliza a sua ocorrência.

Quais são as etapas e quanto custa a certificação de uma bandeira de cartão de crédito?

Explicado o ponto de vista da cadeia de uma transação quando falamos da autorização de um pagamento feito em uma maquininha, precisamos abordar sob a ótica de quem desenvolve a tecnologia que é implementada nas maquininhas. 

A Zoop, por exemplo, possui tecnologias que rodam em maquininhas, como o POS. A tecnologia por si só não garante a adequação necessária para operar um fluxo de pagamentos; é preciso que o software esteja certificado com as bandeiras de cartões de crédito.

É importante que os parceiros possam focar no que é importante: o seu core business. Por isso, resumimos o processo abaixo para que você que quer ingressar no mercado de meios de pagamentos possa pensar duas vezes antes de pensar em implementar por conta própria. Confira:

  • A empresa precisa possuir uma ferramenta certificadora das bandeiras em que o custo é de aproximadamente R$ 91 mil;
  • Se tornar um adquirente ou possuir integração com alguma empresa que possua o serviço de subadquirência (ou facilitador), para utilizar o simulador da bandeira de cartão de crédito a ser certificada;
  • Ter uma equipe especializada em certificação de bandeiras;
  • Para cada equipamento (maquininha) é necessário pelo menos um certificado por bandeira. Ou seja: o equipamento X do fabricante Y precisa realizar a certificação para cada um das bandeiras: Visa, Master, Elo, etc.
  • Pagar à empresa credenciada para obtenção da Carta de Aprovação (LOA), o que tem o custo total de R$50 mil a cada aprovação por equipamento e bandeira.

Ou seja, se você quer ter apenas um modelo de maquininha com a sua marca que aceite 3 bandeiras você terá que fazer um investimento de aproximadamente:

  • R$ 91 mil (ferramenta certificadora);
  • R$ 50 mil reais pela carta de aprovação para cada bandeira, totalizando em R$ 150 mil reais;
  • O total de R$ 241 mil reais não considera custos de equipe de certificação e integração com adquirente ou custo para obtenção de licença de adquirência com as bandeiras. Esse custo atinge alguns milhões de reais. 

Quanto tempo leva para certificar uma bandeira de cartão de crédito?

Além do processo de certificação em si, existe uma dinâmica comercial, em que é necessário entrar em contato com as bandeiras para solicitar a autorização e iniciação do processo de certificação de um determinado equipamento. 

Numa segunda fase, são elencadas todas as especificações técnicas para seguir o processo e, após ter tudo isso em mãos, é executada uma terceira etapa, focada na criação de uma matriz de informação em que se valida se o equipamento atende aos requisitos exigidos pela bandeira. 

O prazo de todo o processo de certificação pode levar em torno de 30 dias. Imagine: o caminho entre colocar a senha e receber a nota fiscal da compra efetuada leva apenas segundos para o cliente final, mas, no background, precisamos regularizar os equipamentos com a bandeira e o processo gera em torno de um mês! 

Se você chegou a conclusão de que esse processo não é para você, continue a ler o artigo. 

Por que é necessário garantir a certificação?

Já falamos que a bandeira é responsável por definir as regras de uso dos cartões e fazer a ponte entre credenciador e emissor. Dessa forma, garante-se uma análise necessária para verificar riscos relacionados a cada tentativa de compra.

Em outras palavras, ela funciona como intermediário entre o consumidor e o estabelecimento, e essa interface garante segurança ao sistema financeiro, além de reduzir os custos de operação para e instituições financeiras.

Afinal, pagar com cartão no ato da compra é mais barato operacionalmente do que pagar com dinheiro físico, depositar em um caixa eletrônico e transferir para uma outra conta bancária.

O mais importante é que, com a validação dos requisitos, um equipamento estará apto a capturar transações com cartão. Sem as devidas certificações, ele pode ser considerado um terminal “pirata”. 

Como a Zoop pode me ajudar com a certificação de bandeiras de cartões de crédito agora?

A plataforma Zoop oferece soluções de captura em maquininhas e adquirência whitelabel. Isso significa que nossos parceiros podem configurar suas marcas nos terminais, sem a necessidade de investir em custo de certificação ou estrutura de adquirência. Nós fazemos tudo para você começar a operar rápido. 

Todo equipamento que tem uma solução whitelabel Zoop embarcada é certificado pelas maiores bandeiras de aceitação nacional e possui um conjunto de certificações para operacionalizar em produção.

A Zoop conta com um time responsável por atender os requisitos necessários para garantir a certificação por com as bandeiras. Também realizamos inúmeros testes com o objetivo de analisar se os equipamentos homologados estão de acordo com as regras das bandeiras. 

Além de garantir o cumprimento de diversos papéis, também cobrimos todos os elos da cadeia de cobrança e recebimento dos valores, oferecendo diversos serviços, como:

  • Credenciamento;
  • Proteção de dados do comprador;
  • Certificação PCI;
  • Conta digital;
  • Liquidação na conta bancária dos clientes de nossos parceiros;
  • Atendimento a desenvolvedores e empreendedores.

Ao reunir várias soluções em uma plataforma, a Zoop torna o processo de inserção de empresas no mercado de pagamentos mais simples, rápido e seguro. Temos soluções de prateleira, como o software de POS, que está pronto para operar.

Parceiros que já utilizam a plataforma Zoop, além de uma redução expressiva em custos de desenvolvimento e certificação, economizam o maior ativo do mundo: o tempo!

Além de auxiliar com a certificação de bandeiras de cartões de crédito, a Zoop possibilita que Marketplaces, ERPs, empreendedores e outros tipos de negócios passem a gerenciar o fluxo transacional de seus clientes, gerando novas receitas por meio de serviços de contas digitais, splits de pagamento e antecipação de recebíveis.

→ Converse com um especialista! ← 

Com a nossa plataforma de serviços financeiros whitelabel, que conta com tecnologias de captura para maquininhas, boletos e outros meios de pagamentos com sua própria marca, você elimina barreiras regulatórias, custos de desenvolvimento e tempo de implementação para sua empresa crescer focada no core business.

Junte-se ao iFood, Sympla, Avec e outras grandes empresas que também geram valor com serviços financeiros e crie sua fintech agora!

André Silveira é Head de Qualidade na Zoop, especialista em Gestão de Projetos e entusiasta de Marketing.