Negócios

Boleto bancário é uma invenção brasileira? Existe em outros países?

Publicado em 08 de dezembro de 2021 por Redação Zoop
Avalie este post

Mesmo com a chegada de diferentes métodos de pagamento digitais, o boleto bancário segue como um dos preferidos dos brasileiros.

De acordo com uma pesquisa do E-commerce Brasil e do Sebrae, a qual foi divulgada no site Valor Econômico, 75% das pessoas que fazem compras online escolhem o boleto bancário como meio para realizarem o pagamento das suas aquisições.

A mesma matéria também revelou que, aproximadamente, 3,6 bilhões de boletos são gerados todos os anos no Brasil.

O fato de não precisar informar dados de pagamento, assim como a facilidade de emissão, estão entre os motivos que fazem com que essa solução continue entre as preferidas dos consumidores.

Mas uma curiosidade sobre o boleto bancário que talvez você não saiba é que esse meio de pagamento é uma invenção nacional.

Sim! Até o momento, esse método só existe no nosso país, e desde a sua criação tem se posicionado como uma solução eficaz e que traz inúmeros benefícios tanto para quem paga quanto para quem recebe.

Confira agora, neste artigo, como surgiu o boleto bancário, quais as regras vigentes para esse meio de pagamento e as suas principais suas vantagens.

O que é o boleto bancário e como ele surgiu?

O boleto bancário é um título de cobrança emitido por uma pessoa física ou jurídica, para outra pessoa física ou jurídica, com um código de barras pagável em qualquer banco ou instituição financeira.

Criado e instituído pelo Banco Central em 7 de outubro de 1993, por meio da Carta Circular nº 2.414, esse documento bancário tem características gerais e formato desenvolvido pelo Centro Nacional de Estudos da Arrecadação Bancária, CENEABAN, e padronizado pela FEBRABAN, Federação Brasileira dos Bancos.

Os elementos (informações) que compõem esse título de cobrança são:

  • cedente ou beneficiário: pessoa ou empresa responsável pela emissão da cobrança, ou seja, quem receberá a quantia a ser paga;
  • sacador ou pagador: pessoa ou empresa para quem o boleto é emitido. Assim, é quem deve efetuar o pagamento do valor descrito no documento;
  • banco: instituição financeira responsável pela intermediação do pagamento;
  • valor do documento: quantia a ser paga pelo sacador/pagador;
  • data de vencimento: prazo limite para pagamento do valor sem cobrança de juros e/ou multas;
  • código de barras: representação gráfica que armazena todos os dados anteriormente descritos.

Quais as funcionalidades do boleto bancário?

A principal funcionalidade de um boleto bancário é atuar como um título de cobrança. Na prática, ele funciona como um documento no qual um valor é cobrado de uma pessoa, que pode ser tanto física quanto jurídica, o qual deve ser quitado até a data de vencimento estipulada.

Esse pagamento, por sua vez, pode ser realizado de diferentes maneiras pelo pagador, de acordo com as determinações do cedente, por exemplo:

  • internet banking;
  • aplicativos bancários;
  • pessoalmente em agências bancárias ou casas lotéricas.

Quais são as regras vigentes para esse meio de pagamento?

Uma importante modificação pela qual passou esse meio de pagamento, e que foi gradualmente implementada, se refere à Nova Plataforma de Boletos de Pagamento, também chamada de Lei do Boleto Bancário.

A Nova Plataforma de Boletos de Pagamento é um sistema que tem por objetivo modernizar o processo de liquidação dessa solução de pagamento. Para isso, foram criados e implementados mecanismos de controle, segurança e confiabilidade aos títulos.

Instituída pelas circulares nºs 3.598/12 e 3.656/13, o Banco Central determinou que os boletos bancários passassem a ter dados mais pontuais da transação financeira, incluindo CPF ou CNPJ do beneficiário e do pagador, data de vencimento e valor do título.

Um dos principais motivos dessa mudança era reduzir o número de fraudes (emissão de boletos falsos). Com isso, o chamado “boleto simples”, ou “boleto sem registro” — aquele que não é registrado e, por isso, os bancos não têm conhecimento — deixou de existir.

Esse processo, que se iniciou em 2015 e foi finalizado em 2018, também contou com outra importante alteração que beneficia, especialmente, os pagadores.

Antes da Nova Plataforma de Boletos de Pagamento, boletos bancários vencidos só podiam ser pagos no banco emissor. Assim, ou o cliente providenciava o pagamento junto a essa instituição, ou solicitava uma segunda via boleto ao cedente com os valores atualizados.

Mas desde 2018, boletos bancários vencidos com valores iguais ou superiores a R$ 800 podem ser pagos em qualquer banco ou instituição financeira, incluindo casas lotéricas, com atualização de juros e multas no momento do pagamento. 

Aproveite e ouça este episódio do Papo na Nuvem: 

Como está a atual adesão ao boleto bancário?

No início deste artigo citamos uma pesquisa que aponta que o boleto bancário continua sendo bastante utilizado pelos brasileiros, se lembra? Mas há várias outras que reforçam a importância de oferecer esse meio de pagamento para os clientes.

Um levantamento realizado pelo Opinion Box, por exemplo, revelou que, no ranking geral de soluções de pagamento mais utilizadas pelos brasileiros na hora de pagar as suas compras, o boleto bancário aparece em quarto lugar, com 59% da preferência dos consumidores.

Esse método de pagamento fica atrás somente do dinheiro (78%), do cartão de crédito (73%) e do cartão de débito (66%). Mas ainda passa à frente do Pix (50%) e das carteiras digitais (47%).

Considerando apenas as compras online, o boleto é o segundo mais utilizado, com 15%, perdendo apenas para o cartão de crédito, que tem 58% do uso.

Não deixe de ler: “Pagamento por boleto bancário: por que é tão importante oferecer essa opção de pagamentos?

Quais as vantagens do boleto bancário?

Com base nesses números, se formos listar as principais vantagens de trabalhar com boleto bancário, a primeira seria atender às preferências dos clientes

Como resultado dessa oferta, as chances de perder boas vendas diminuem, visto que o comprador encontrará o seu meio de pagamento preferido, o que o induz a concluir o processo de aquisição.

Mas há diversos outros benefícios de oferecer o boleto bancário como meio de pagamento aos consumidores. Entre os que mais se destacam estão:

  • possibilidade de vender para pessoas que não têm relacionamento bancário (conta corrente e/ou cartões);
  • atendimento de clientes que não têm cartão de crédito, ou que têm, mas não querem comprometer o limite, e também daqueles que ainda têm receio de informar dados de pagamento em plataformas de vendas;
  • redução de custos operacionais para a empresa;
  • possibilidade de oferecer descontos exclusivos.

 

Achou interessante? Quer saber mais sobre esse meio de pagamento? Então aproveite que está aqui no blog da Zoop e leia agora mesmo o artigo “Como fazer um boleto bancário? Por que entender isso ainda vale a pena?

 

Avalie este post
Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo