12 de setembro de 2019

Como será o futuro da indústria dos meios de pagamento? Quem gosta de acompanhar os movimentos do mercado deve ter notado algumas mudanças de comportamento quando o assunto são serviços financeiros. 

Está sem tempo de ler agora? Que tal ouvir o artigo? Experimente no player abaixo!

 

Em um cenário em que dificilmente encontramos um comércio que não aceite cartões, é fácil chegar a uma conclusão: a utilidade do dinheiro físico está sumindo e, com ela, surgem novas formas para o público pagar por produtos e serviços.

Uma prova disso é que, até pouco tempo, a fatura do seu cartão de crédito era composta por nomes de empresas dos mais diversos segmentos, tais como companhias aéreas, mercados, grandes lojas, e-commerces etc. Hoje, já é comum encontrarmos nomes de pessoas físicas também.

São pequenos vendedores, empreendedores e até mesmo um amigo ou familiar que gerou um link de pagamento para que você pudesse reembolsá-lo por algo. Ou seja, ainda que nem toda a população brasileira usufrua do sistema bancário tradicional, não há dúvidas de que a maneira de movimentar dinheiro para pagar e receber está cada dia mais acessível.

Se quiser entender mais sobre como funciona a indústria de meios de pagamento, clique e confira uma leitura complementar. 

Seguindo esse caminho, quais os pagamentos do futuro, as tendências e as novas tecnologias de meios de pagamento? 

É o que vamos esclarecer neste post!

O futuro dos meios de pagamento no Brasil: em que fase estamos?

Ao olharmos para o nosso país, temos alguns dados interessantes quando o assunto são meios de pagamento. 

Segundo o Relatório de Economia Bancária do Banco Central, publicado em 28 de maio de 2019 e referente ao ano de 2018, cinco grandes bancos detêm o mercado de crédito e depósitos no país. Itaú-Unibanco, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica e Santander, juntos, fecharam o ano passado com 84,8% e 83,4% desses serviços, respectivamente. 

Apesar de ser um dos maiores mercados consumidores do mundo, o Brasil ainda conta com 45 milhões de brasileiros sem acesso formal aos serviços bancários, segundo pesquisa do Instituto Locomotiva

Isso significa que quem entra no mercado de meios de pagamento e serviços financeiros encontra um espaço com muitas oportunidades. Porém, não quer dizer que a preocupação em oferecer o melhor serviço, a melhor experiência e o maior valor agregado possível não seja uma constante. 

A influência da tecnologia nos meios de pagamento

Com a crescente transformação digital e criação de novos serviços, a mudança prevista para futuro dos meios de pagamento chega cada vez mais rapidamente e promete ser intensa.

Para reforçar o conceito, saiba que atualmente são mais de 230 milhões de smartphones ativos no Brasil, de acordo com a 30ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP)

Com isso, 2,5 bilhões de pagamentos e transferências foram feitos on-line, representando um aumento de 33% na utilização de canais digitais para esses serviços, sendo 80% via smartphones, conforme pesquisa da Febraban (Federação Brasileira das Associações de Bancos) publicada no Estadão.

Ou seja, uma boa fatia da população que já não vai mais ao banco e, conforme a realidade de muda, é comum que as soluções para o dia a dia, incluindo os meios de pagamentos, mudem também. 

Entenda mais sobre o futuro dos meios de pagamento neste webinar:

Quais os novos meios de pagamento?

Hoje, temos acesso a diversas formas de pagamento além das convencionais. Com isso, é possível prever que algumas tendências vindas de fora ganharão força por aqui. 

Um exemplo é o pagamento via QR Code. A solução consiste em um código de barras bidimensional facilmente lido pela maioria dos smartphones. Na China, atualmente, esse meio de pagamento já é muito mais disseminado que o uso do cartão de plástico e dinheiro físico. 

Veja mais sobre algumas tendências de meios de pagamento.

NFC (Contactless)

O Near Field Communication (NFC), é uma tecnologia de meio de pagamento com a qual os clientes efetuam pagamentos apenas aproximando celulares ou cartões habilitamos a dispositivos compatíveis, sejam eles máquinas de cartão ou mesmo outros smartphones. 

Essa tecnologia funciona em dispositivos já fabricados com NFC e disponíveis em sistema Android ou iOS. 

Carteira digital

A carteira digital, também conhecida como e-wallet, é outra alternativa que faz parte do futuro dos meios de pagamento.

Com o armazenamento de dados bancários um ambiente seguro, os clientes podem realizar transações eletrônicas rapidamente via aplicativo, direto de seus smartphones. Seja através de cartão de crédito ou saldo, é possível fazer compras on-line, transferências e pagamentos de maneira rápida, deixando a carteira física em casa.

Pagamento sem interação humana

Cada dia mais utilizados, os pagamentos on-line pelo celular ou computador estão se tornando os meios mais utilizados. De acordo com o E-commerce Trends, grande parte das compras feitas em e-commerces são efetivadas através desses dispositivos.

A novidade fica por conta dos pagamentos sem interação humana em lojas físicas. Um exemplo é a Amazon Go, que permite que as compras sejam pagas sem a necessidade de passar no caixa, sendo tudo cobrado automaticamente pelas contas da Amazon e acompanhadas pelo cliente via smartphone. Outra tendência é a prateleira digital, com anúncios e preços atualizados em tempo real.  

O uso do QR Code também vem sendo bastante utilizado para pagamento presencial sem interação humana. Além disso, a solução se tornou uma excelente forma de direcionar os clientes para sites e promoções exclusivas durante a compra presencial. 

Criptomoedas

Mesmo ainda não sendo muito utilizadas aqui no Brasil, as criptomoedas já fazem parte do futuro dos meios de pagamento. Em Tóquio, por exemplo, já são utilizadas em diversas lojas de eletrônicos. 

Dentre os motivos que podem estar contribuindo para a demora de sua adoção em massa está a grande variação de valores e a falta de regulamentação que as criptomoedas ainda sofrem. Por outro lado, a possibilidade de guarda dessas quantias em carteiras digitais e de administração via dispositivos móveis ou computadores são os maiores atrativos que contribuem para que, em breve, sejam mais utilizadas.

Omnichannel: como a integração de serviços melhora a experiência do consumidor?

O conceito de multicanal, ou Omnichannel, também vem ganhando muito destaque. O principal foco dessa estratégia é facilitar a vida do consumidor, unindo todos os canais de vendas utilizados pelas empresas.

O Magazine Luiza é um bom exemplo de case de sucesso Omnichannel. Além da loja física, a marca possui também o e-commerce, e a união dos dois dá vida ao conceito “Retire na Loja”, que é quando o consumidor adquire o produto pela loja virtual, mas o retira na loja física. Segundo eles, esse modelo de compra representa 30% das vendas virtuais. 

A proposta desse serviço é oferecer ao consumidor o melhor dois mundos, ou seja, comprar pelo site, beneficiando-se dos preços e variedade, ao mesmo tempo em que economiza com frete e pode obter o produto mais rapidamente, retirando na loja física mais próxima ao seu endereço. 

Esse novo universo de possibilidades para o consumidor resulta em uma melhor experiência de compra e, consequentemente, no aumento das vendas para o lojista ou empreendedor. Porém, para que essa estratégia tenha sucesso e não cause frustrações ou prejuízos aos envolvidos, é fundamental um forte trabalho de logística para gerenciamento correto do fluxo de produtos que saem.

Além disso, é importante que o acesso às plataformas digitais seja fácil, sua usabilidade descomplicada e objetiva e, claro, ter ofertas de meios de pagamento compatíveis e diversificados para os clientes.

Como a solução de pagamento ideal melhora a experiência do consumidor?

O que não faltam são campos a serem explorados quando o assunto são serviços financeiros e o futuro dos meios de pagamento. Algumas soluções podem até ser inimagináveis hoje, mas nada impede que se tornem tendências daqui a um ou dois anos.

Porém, é fundamental não esquecer que tais soluções devem priorizar a experiência do usuário, seja ele vendedor ou comprador. Assim, mesmo que essas tenham inúmeros benefícios do ponto de vista tecnológico, ainda devem ser usuais e intuitivas.

Para conseguir isso, é essencial entender a dor e a necessidade do cliente e oferecer a solução adequada para o seu negócio, com a melhor experiência de consumo possível, além de entregar um resultado que seja único e funcional.

Quando deixamos o processo complexo, é natural que o usuário fique inseguro e desconfortável com a transação. Isso frustra o consumidor, reduz o impacto positivo de quaisquer que sejam os diferenciais oferecidos e faz com que esses negócios percam receitas.

Com tantas tendências quando o assunto é o futuro dos meios de pagamento, surgem cada dia mais novas oportunidades de inovação. Essas novidades podem fazer a diferença para quem pretende se diferenciar da concorrência e buscar a satisfação do cliente. 

Elas também ajudam a preparar os consumidores para cada vez mais transformações na hora de adquirirem produtos e serviços.

Por que a transformação digital é um fator necessário para o crescimento da sua empresa?

A inovação aberta vai fundamentar todas as iniciativas de inovação dos pagamentos digitais, porque se nos fecharmos em nosso próprio mundo, certamente seremos ultrapassados.” (Visa) 

Podemos considerar transformação digital o processo no qual as empresas utilizam da tecnologia para gerar e garantir resultados, aumentando seu alcance e melhorando seu desempenho. 

O futuro dos meios de pagamento faz parte dessa mudança. A prova disso é que, até 2020, 60% dos investimentos empresariais serão direcionados para a transformação digital, segundo o International Data Corporation (IDC).

Aqui, podemos entender também que a transformação digital não está ligada somente ao atendimento ao cliente e a satisfação de suas necessidades, mas ao uso de tecnologias que permitam conduzir os negócios da melhor forma possível.

Regulamentação do Bacen: quanto isso afeta na abertura da indústria de serviços financeiros e no desenvolvimento das fintechs?

O Banco Central (Bacen) vem buscando estabelecer um diálogo mais aberto com o mercado, promovendo uma verdadeira democratização em toda a indústria de meios de pagamento e serviços financeiros.

Com a intenção de diminuir os riscos sistêmicos, o órgão regulador vem trabalhando em outro aspecto muito positivo para novos empreendimentos no setor, que é se basear na transparência e em processos bem definidos, deixando os lojistas confiantes em relação à segurança do sistema financeiro nacional. 

Com isso, estão se abrindo cada vez mais oportunidades para geração de novos negócios dentro desse segmento, fazendo com que o espaço para inovações, tecnologias e competição cresça a cada dia.

E como seu negócio pode aproveitar essa oportunidade?

Achou interessante? Pois saiba que sua empresa pode aumentar o faturamento e escalar a rentabilidade, construindo suas próprias soluções de pagamentos integradas para ajudar seus clientes a crescerem, através da criação de uma fintech de pagamentos dentro da própria operação. 

A Zoop possibilita que Marketplaces, ERPs, empreendedores e outros tipos de negócios passem a gerenciar o fluxo transacional de seus clientes, gerando novas receitas através de serviços de conta digital, splits de pagamento e antecipação de recebíveis.

→  Converse com um especialista! ← 

Com nossa plataforma de serviços financeiros e pagamentos white label, que conta com tecnologias de captura para maquininhas, boletos e outros meios de pagamentos com sua própria marca, você elimina barreiras regulatórias, custos de desenvolvimento e tempo de implementação para sua empresa crescer focada no que faz melhor

Junte-se ao iFood, Sympla, Avec e outras grandes empresas que também geram valor com serviços financeiros e crie sua fintech agora

 

Chief Strategy Officer at Zoop & Board Member at Innova Capture