Negócios

O que é o limite Pix? Quanto essa limitação pode afetar as suas vendas?

Publicado em 01 de julho de 2022 por Redação Zoop
Avalie este post

O limite Pix é uma determinação do Banco Central que define um valor máximo que pode ser transacionado pelos clientes bancários no período noturno.

Na época do lançamento do Pix, em 16 de novembro de 2020, essa definição não existia. No entanto, a fim de tentar combater fraudes, roubos noturnos e até sequestros, o órgão regulamentador adotou essa ação como uma medida de segurança para os usuários do sistema de pagamentos instantâneo.

Sendo assim, durante o dia é possível fazer transferências via Pix sem limites (considerando apenas o determinado pela instituição financeira). No entanto, das 20h às 6h pessoas físicas e MEI, Microempreendedores Individuais, só podem movimentar até R$ 1 mil por essa ferramenta.

Mas, em linhas gerais, o limite Pix não afeta diretamente as vendas de empresas que oferecem aos seus clientes esse meio de pagamento, visto essa restrição de valor ser válida apenas por algumas horas. Por essa razão, não precisa ser um motivo de preocupação.

Ainda que sejam vendas online, as quais podem acontecer a qualquer hora do dia ou da noite, essa limitação tende a não gerar impactos tão negativos. 

Ou seja, ter um valor máximo que pode ser transacionado pelos clientes não é motivo para deixar de oferecer o Pix como meio de pagamento para os seus consumidores. Ao contrário disso, essa é uma oferta esperada pelo público que, cada dia mais, busca soluções de pagamento rápidas, seguras e otimizadas.

Apenas para você ter uma ideia, o nosso Relatório de Tendências 2022, revelou que o Pix já se consolidou como método de pagamento, sendo utilizado por mais de 117 milhões de usuários. 

Aqui, vale lembrar também que não disponibilizar a solução de pagamento preferido dos clientes pode ser um risco para as vendas. Sobre isso, o nosso relatório apontou que 80% dos consumidores que não encontraram o meio de pagamento que queriam deixaram de concluir um pedido.

Assim, saber o que é limite Pix é importante, mas oferecê-lo é ainda mais! Por isso, confira agora tudo o que diz respeito a essa limitação de transferência do sistema de pagamentos instantâneo, se é possível orientar os clientes sobre como solicitar aumento e muito mais sobre esse tema!

Afinal, o que é limite Pix?

Como dissemos logo na abertura deste artigo, o limite Pix foi uma determinação do Banco Central como medida de segurança para evitar roubos noturnos, fraudes e sequestros.

Dessa forma, pessoas físicas e microempreendedores individuais só podem movimentar até R$ 1 mil pelo sistema de pagamentos instantâneo entre as 20h e 6h. Nos demais horários do dia, os usuários da solução só precisam se atentar à limitação estabelecida pela instituição bancária ou de pagamento que utiliza.

Isso acontece porque desde que o Pix foi lançado, o Banco Central deu autonomia para bancos, fintechs e empresas que oferecem produtos e serviços financeiros aos seus usuários definirem o limite Pix de acordo com o perfil do cliente.

Na prática, isso quer dizer que cada uma dessas instituições pode trabalhar com a limitação de valores que julgar mais adequada para o seu público. 

A única regra estabelecida pelo órgão regulador quanto a isso é que esse valor não pode ser inferior ao determinado para TED (Transferência Eletrônica Disponível), DOC (Documento de Crédito) ou pagamentos via cartão de débito.

Por exemplo, se um banco ou fintech estabelece que um cliente só pode movimentar até R$ 5 mil via TED, o limite de transferência via Pix para esse usuário deve ser, no mínimo, igual a esse valor, mas preferencialmente superior.

Dica de leitura: “Tendências de meios de pagamento para 2022: 7 soluções para ficar de olho!

Como aumentar o limite do Pix?

O valor limite a ser transacionado via Pix no período noturno deve, obrigatoriamente, ser cumprido por todas as instituições que oferecem essa ferramenta aos seus usuários. Ou seja, a possibilidade de definir limites é possível apenas para as transferências e pagamentos fora do horário estabelecido pelo Banco Central.

O mesmo critério vale para os clientes bancários, que não têm a opção de escolherem que querem a aplicação desse limite ou não. 

Por outro lado, as pessoas físicas que usam o Pix podem solicitar diretamente nos seus bancos, fintechs ou empresas de pagamento a inclusão de contas específicas para as quais valores superiores ao limite podem ser enviados. É possível também fazer o processo inverso, e solicitar que os limites sejam reduzidos.

Quanto a esses dois processos, vale destacar que, em linhas gerais, a redução de valor tende a acontecer automaticamente. Já o aumento pode levar de 24 horas a 48 horas para ser aprovado, a depender do acréscimo solicitado pelo titular da conta.

Aproveite e leia também: “Após 1 ano de Pix: como esse produto segue mudando o comportamento do mercado?

O limite Pix pode afetar as suas vendas?

Como já comentamos logo no início deste artigo, o limite de transferência Pix tende a não afetar as vendas diretamente, considerando que esse valor reduzido é específico por um pequeno período.

Porém, é bem importante que você saiba mais sobre essa limitação por dois motivos. O primeiro é caso o seu negócio use essa solução como forma de recebimento de valores. O segundo é se decidir criar a sua própria solução de pagamentos.

Pix como canal de recebimento de valores

Vamos imaginar uma empresa que realize vendas online. Esse modelo de negócios funciona 24 horas por dia, 7 dias da semana, certo? Isso quer dizer que a qualquer hora os clientes podem entrar na plataforma de vendas para comprar produtos e/ou contratar serviços.

Entretanto, se isso acontecer no período noturno e o Pix for o meio de pagamento escolhido para conclusão do pedido, a depender do valor da aquisição (acima de R$ 1 mil), o potencial comprador não conseguirá finalizar a sua compra.

Para evitar que boas vendas sejam perdidas, é essencial que a empresa trabalhe com a oferta de diferentes métodos de pagamento, dando ao consumidor mais opções na hora do checkout, tais como os tradicionais cartão de crédito e de débito, e as atuais carteiras digitais.

Sugestão de leitura: “Quais são os meios de pagamento mais utilizados no Brasil?

Pix como oferta própria de soluções de pagamento

O que muitos empreendedores não sabem é que podem transformar seus negócios em verdadeiras empresas de pagamento, independentemente do segmento que atuam, sem precisar se desviar do seu core business e ainda gerar uma receita extra com essa abordagem.

Isso é possível graças a uma solução chamada Banking as a Service, ou simplesmente BaaS, que é uma tecnologia que permite que qualquer companhia ofereça aos seus clientes e parceiros de negócio meios de pagamentos digitais com a sua própria marca.

No caso, é possível criar e oferecer serviços e produtos financeiros como:

  • conta digital;
  • cartões de crédito, de débito e/ou pré-pago;
  • pagamento de contas;
  • transferências bancárias;
  • Pix

 

Entenda mais como essa estratégia funciona e suas vantagens assistindo a este vídeo:

Como funciona o Pix para empresas?

Mas se existe limite Pix para pessoas físicas e MEI, existe também para pessoas jurídicas de outros portes? Na verdade, não. Os demais negócios podem continuar transacionando valores a qualquer hora do dia ou da hora sem limitações.

O que difere no sistema de pagamentos instantâneo nesse caso é que o Pix para empresas é passível de cobrança de taxas.

Conforme estabelecido pelo Banco Central, as instituições financeiras e de pagamento que oferecem o Pix para pessoas jurídicas podem cobrar pela oferta desse serviço. Considerando que não há uma tabela criada pelo órgão regulador que estabeleça esses valores, cada instituição é livre para determinar quais tarifas serão praticadas. 

Ter esse conhecimento é bem importante porque essas taxas podem afetar o preço dos seus produtos e/ou serviços e a sua margem de lucro. Por exemplo, se o seu banco cobrar pela geração de QR Code para cobrança via Pix, pode ser necessário contabilizar essa quantia a fim de não ter prejuízo nas transações.

Quais as vantagens de oferecer o Pix para os seus clientes?

Mas ainda que possa haver essa cobrança, isso não muda o fato que oferecer o Pix como meio de pagamento para os seus clientes pode ser extremamente vantajoso para a sua empresa. 

Aqui, partimos do princípio que não são todas as instituições financeiras que estão cobrando tarifas dos seus clientes PJ pelo uso do sistema de pagamentos instantâneo, o que já é bastante benéfico.

Além disso, o retorno que o Pix pode dar por ser um meio de pagamento rápido, prático e seguro, já justifica o seu uso.

Entre as vantagens que o seu negócio pode ter ao disponibilizar o Pix para os seus clientes pagarem suas compras estão:

  • processo de checkout otimizado, melhorando a experiência do cliente;
  • possibilidade de converter compras não programadas;
  • aumento do poder de atração de consumidores;
  • redução de custos, especialmente comparado aos gerados por outras soluções de pagamento;
  • atendimento de diferentes grupos de compradores, a exemplo dos que não têm ou preferem não utilizar cartão de crédito.

 

Não deixe de ouvir este podcast do Papo na Nuvem que fala sobre o que se pode esperar do Pix para 2022

De quais formas o Pix pode ajudar o crescimento do varejo?

Além das vantagens que acabamos de citar, o Pix pode ajudar no crescimento das empresas varejistas por conta das novas funções que foram disponibilizadas.

Seguindo a agenda evolutiva, o Banco Central liberou uma série de novas funcionalidades para o sistema de pagamentos instantâneo. Algumas delas podem ajudar a atrair mais clientes para os estabelecimentos e, com isso, gerar novas oportunidades de negócios.

Somado a isso, o Pix no varejo também pode contribuir para diminuir o volume de dinheiro em espécie movimentado nos estabelecimentos comerciais. Isso, por sua vez, tende a reduzir os gastos com segurança e transporte de valores.

Alguns exemplos das novas funções do Pix são:

  • Pix Saque: permite que os clientes saquem valores em espécie diretamente nos caixas das lojas que aderirem a essa solução;
  • Pix Troco: possibilita a entrega de troco em espécie em compras pagas com esse meio de pagamento;
  • Pix Cobrança: semelhante a um boleto bancário, permite a realização de cobranças com datas futuras.

 

De acordo com o apresentado no site do órgão regulador estão previstas, ainda sem data definida, outras funções, tais como:

  • Débito automático no Pix: solução para facilitar pagamentos recorrentes por meio desse sistema;
  • Pix Garantido: parcelamento de compras pelo sistema instantâneo de pagamentos.

 

Entenda mais sobre essa última funcionalidade lendo este artigo: “Pix Parcelado: confira como funcionará o parcelamento de compras desse sistema e suas vantagens

O que é preciso para receber pagamento via Pix no seu negócio?

Achou tudo isso interessante? Pois é mesmo! Agora resta saber como tornar o Pix uma realidade na sua empresa, certo? Quanto a isso, a Zoop pode ajudar você!

O Pix da Zoop é uma solução completa tanto para pagamento presencial quanto para pagamento online por esse sistema. 

Além de a transação ser aprovada em poucos segundos (considerando a existência de saldo na conta do pagador), a sua empresa ainda conta com conciliação financeira a partir de um fluxo totalmente automatizado.

No Pix da Zoop você não paga mensalidade, nem custos de implementação, apenas um percentual sobre o valor de cada transação realizada. 

E quais são as vantagens dessa solução? As que mais se destacam são:

  • chance de elevar o seu volume de vendas;
  • melhora da experiência de compra dos seus clientes;
  • sem custos para o seu cliente final;
  • processo de recebimentos seguro;
  • agilidade no recebimento dos valores (sistema D+1, ou seja, um dia após o pagamento).

 

Que tal saber, em detalhes, como o Pix da Zoop funciona e como trazê-lo para o seu negócio? Basta entrar em contato agora mesmo com um dos nossos especialistas.

Zoop. Tecnologia para os serviços financeiros do futuro.

Avalie este post
Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo