Negócios

Meio de pagamento Pix: quais são os impactos atuais?

Publicado em 03 de dezembro de 2021 por Redação Zoop
Avalie este post

De acordo com dados de uma pesquisa divulgada no site Valor Econômico, a qual foi realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Sebrae, o meio de pagamento Pix é o segundo mais utilizado pelos brasileiros.

O sistema de pagamentos instantâneo do Banco Central conta com 70% da preferência, perdendo apenas para o dinheiro, que recebeu 71% dos apontamentos dos entrevistados.

Com relação aos outros meios de pagamento, o mesmo levantamento revelou que o terceiro lugar desse ranking ficou com o cartão de débito, com 66%, seguido pelo cartão de crédito, com 57%.

É fato que, de acordo com o mercado analisado — por exemplo, vendas online ou vendas presenciais —, esses números podem mudar um pouco. Porém, eles levam a uma mesma constatação: o meio de pagamento Pix “caiu no gosto” de todos e está tomando a frente de outras soluções que foram usadas por muito tempo.

Sobre isso, é comum se deparar com diversos questionamentos, especialmente se a forma de pagamento Pix “desbancará” outros métodos, tornando-os obsoletos. 

O dinheiro, por exemplo, deixará de ser utilizado em algum momento dessa jornada? Cartões de crédito e de débito serão deixados de lado pelos clientes?

Confira, neste artigo, os principais impactos do uso do Pix no Brasil como meio de pagamento e quanto isso pode afetar o seu negócio.

Os 5 principais impactos do uso do meio de pagamento Pix

Desde o seu lançamento, em novembro de 2020, muitos foram os impactos gerados pelo sistema de pagamentos instantâneo criado pelo Banco Central. Um deles foi a maneira como, agora, é realizada a transferência de dinheiro.

Uma matéria do site UOL mostrou que o Pix já superou o TED e o DOC, movimentando R$ 1,6 trilhão desde que a sua operação foi iniciada.

Segundo informações da publicação, que tem como base dados do Banco Central, até junho de 2021, o volume total de transações realizadas por esse sistema foi três vezes maior que as feitas via TED e DOC somadas, que contou com 99 milhões para a primeira forma de transferência de valores e com 743 milhões para a segunda. 

Mas o meio de pagamento Pix também mudou a rotina de empresas, a forma de pagar e de receber no varejo, e a dinâmica e atuação das entidades que oferecem soluções e métodos de pagamentos.

Entre os principais impactos da forma de pagamento Pix que merecem ser citados estão:

  • diminuição do uso de dinheiro em espécie
  • uso maior de QR Code para efetivação de pagamentos
  • comprometimento do mercado de adquirência
  • potencial diminuição do uso da função débito
  • geração de um novo diferencial competitivo para as empresas

Os resultados do uso do Pix como meio de pagamento

Diminuição do uso de dinheiro em espécie

Quanto mais o Pix for usado como meio de pagamento, menor será a utilização de dinheiro em espécie para o pagamento de compras.

Sobre essa tendência é preciso destacar dois importantes pontos. O primeiro é que o papel-moeda continua sendo o método preferido dos brasileiros. Assim como a pesquisa citada no início deste artigo, um levantamento da Zetta apontou que ele é o preferido por 84% dos 1.520 entrevistados.

Além disso, algumas das novas funções do Pix, como o Pix Saque no varejo e Pix Troco tendem a manter a circulação de dinheiro impresso.

Entenda detalhes dessas soluções lendo o artigo: “Quais as novas funções do Pix e o que esperar desse sistema no futuro?

Uso maior de códigos de barra para efetivação de pagamentos

O uso de código de barras para a realização de pagamento não é uma novidade no Brasil, a exemplo de como é feito no boleto bancário.

A diferença da utilização dessa solução no meio de pagamento Pix é que se trata de um código de barra 2D, denominado QR Code, que permite um maior armazenamento de informações.

A realização de um pagamento via QR Code no Pix pode ser feito por meio da leitura desse código entre dois dispositivos móveis, ou da leitura direta em maquininhas de cartão.

Confira o artigo “Pix na maquininha: como usar essa solução nas vendas presenciais?” e entenda como isso é possível.

Comprometimento do mercado de adquirência

E por falar em máquinas de cartão, há a expectativa que o mercado de adquirência sofra conforme a adesão do Pix aumente. 

Entre as razões para isso está o fato de o sistema de pagamentos instantâneo gerar menos custos operacionais aos lojistas — há cobranças, mas elas tendem a ser menores que as praticadas pelas operadoras de cartão.

Para evitar esse impacto, os adquirentes precisarão ajustar os seus modelos de negócios, como reduzindo tarifas e oferecendo aos seus parceiros de negócios máquinas de cartão que aceitam Pix, como a que acabamos de citar. 

Potencial diminuição do uso da função débito

Já que o meio de pagamento Pix retira o valor da conta do pagador na hora, por que continuar usando o cartão de débito? Por terem funções bastante similares, o cartão de débito tem tudo para cair em desuso em curto prazo.

Esse novo comportamento dos consumidores pode ser um ponto bastante positivo para os lojistas. Por exemplo, ele pode gerar importantes oportunidades de novos negócios, ainda que o cliente tenha saído de casa sem o seu cartão. 

Geração de um novo diferencial competitivo para as empresas

E o que acabamos de citar também se torna um considerável e relevante diferencial competitivo entre as empresas. 

O motivo é que tende a ser escolhida pelo consumidor aquela que oferece os melhores preços e maior qualidade nos produtos e/ou serviços oferecidos, mas também a que disponibiliza o meio de pagamento preferido do cliente no momento da aquisição.

Como oferecer o Pix como meio de pagamento aos seus clientes?

Depois de todas essas informações, você deve estar se perguntando como oferecer o Pix como meio de pagamento no seu negócio, certo?

Uma das maneiras de fazer isso é com o Pix da Zoop, nova solução do Zoop Payments.

Com esse novo meio de pagamento, a Zoop, fintech líder em tecnologia para serviços financeiros, já processou R$ 1,2 bilhão em vendas, resultado de mais de 30 milhões de transações realizadas pela sua plataforma financeira de adquirência.

Quer saber, em detalhes, como isso funciona? Então entre em contato agora mesmo com um especialista.

Zoop. Tecnologia para serviços financeiros do futuro.

Avalie este post
Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo