Negócios

Por que oferecer soluções de pagamento internacional se tornou um bom negócio?

Publicado em 01 de junho de 2021 por Redação Zoop

A expansão do comércio eletrônico em todo mundo chamou a atenção para uma nova necessidade: a oferta de boas soluções de pagamento internacional para empresas brasileiras.

Segundo dados da Worldpay, as vendas online tiveram o maior crescimento dos últimos 5 anos. Com um aumento de 19% entre os anos de 2019 e 2020, o volume de transação global foi de US$ 4,6 trilhões, o que acelerou a penetração do setor em quase três anos.

Mas para que as empresas brasileiras possam expandir o seu atendimento, ter uma parcela maior de participação nesse crescimento e atingir consumidores de outros países, é fundamental que o processo de pagar e receber seja otimizado, seguro e com taxas de conversão justas.

Boas soluções de pagamento internacional ajudam, por exemplo, na oferta de métodos de pagamento locais, contribuindo para que os potenciais clientes tenham mais confiança no varejista e, com isso, concretizem a aquisição do produto desejado, elevando suas taxas de conversão.

Isso melhora a experiência de compra para o cliente, aumenta a reputação e a confiabilidade da marca, bem como colabora para a expansão da marca. 

Já parou para pensar que a oferta de uma solução de pagamento internacional pode ser uma nova oportunidade de negócio? 

Confira, neste artigo, os motivos que levam a isso e a opinião de quem já atua no setor.

Motivos para oferecer pagamento internacional a empresas brasileiras

Além do crescimento acentuado do comércio eletrônico, que aumenta ainda mais as chances de venda para outros países, é bem importante considerar também o alto número de brasileiros morando no exterior — estima-se que mais de 2,5 milhões de brasileiros moram em outros países. 

Esse cenário abre a oportunidade para que empresas nacionais comercializem, por exemplo, produtos que só são encontrados aqui no Brasil. Isso permite atender consumidores que vivem em outras partes do mundo.

Seja qual for o objetivo do varejista que pretende expandir o seu negócio para fora do país, um dos maiores obstáculos para a concretização desse projeto diz respeito às soluções de pagamento e de recebimento dos valores de venda.

Receber em moeda estrangeira, diretamente por um banco, é um processo que custa caro para o comerciante e tende a ser demorado, o que pode comprometer a saúde financeira da empresa.

Não oferecer meios de pagamento locais é outro obstáculo que compromete as conversões. A principal razão é que, se os clientes não encontram métodos de pagamento conhecidos, ou aquele da sua preferência, isso gera insegurança, fazendo-os desistir da aquisição.

Oferecer uma solução de pagamento internacional que ajude os seus parceiros de negócio a vender para outros países é uma maneira de solucionar todas essas questões.

Características de uma solução de pagamento internacional

Uma boa ferramenta de pagamento internacional precisa atender a alguns critérios. Um dos principais é aceitar diferentes meios de pagamento.

A pesquisa da Worldpay que citamos no início deste artigo mostrou uma considerável expansão no uso da carteira digital como forma de pagamento no e-commerce.

De acordo com o levantamento, o checkout online realizado com essa solução aumentou 6,5% em todo o mundo. A expectativa é que, até 2024, o uso das carteiras digitais para pagamento no comércio eletrônico chegue a 51,7% de todo o volume transacionado no setor.

Somada a essa oferta, não podemos deixar de citar que o cartão de crédito ainda é um dos meios de pagamento preferido dos brasileiros.

Segundo a mesma pesquisa, o mix de métodos oferecidos pelo e-commerce brasileiro em 2020, era de cartão de crédito (43%); carteira digital (17%) e cartão de débito (13%). Um dos motivos que levam a essa preferência é a possibilidade de parcelar as compras. 

E por falar em parcelamento, essa é mais uma alternativa que não pode faltar em uma solução de pagamento internacional. A ideia é atender à necessidade dos consumidores, contribuindo para a aquisição de uma forma ainda mais facilitada.

Mas há outros pontos que uma boa ferramenta de pagamento internacional não pode deixar de ter, que são:

  • aceitar pagamentos via transferência bancária, boleto, cartão de débito, pré-pago, dinheiro e outros;
  • aceitar pagamentos na moeda local do comprador;
  • facilitar ao varejista o recebimento dos valores em moeda local (Real), ainda que tenha sido realizada em moeda estrangeira;
  • praticar juros e taxas de conversão melhores que os bancos tradicionais;
  • ter a opção de pagamentos recorrentes;
  • enviar os valores diretamente para a conta do comerciante;
  • oferecer fácil integração à plataforma de e-commerce utilizada;
  • contar com um bom sistema antifraude;
  • absorver volumes maiores de transações financeiras conforme a empresa crescer.

A opinião de quem já atua no setor

Como você pôde ver, oferecer uma solução de pagamento internacional tem se apresentado um bom negócio. Além de expandir a sua oferta de serviços financeiros, você colabora para o crescimento dos seus parceiros, que podem alçar voos mais altos.

Mas como está o mercado de pagamentos internacionais? Toda empresa que trabalha com meios de pagamento pode adentrar esse segmento?

Sobre isso, conversamos com Pablo Klein, fundador da Preme Pay, fintech do Reino Unido que oferece métodos de pagamentos globais.

Pablo, qual o atual cenário dos pagamentos internacionais no Brasil no que diz respeito às dificuldades encontradas pelas empresas brasileiras para vender para o exterior?

Devido aos inúmeros entraves burocráticos, os incentivos de internacionalização de vendas são escassos. Entretanto, a internacionalização de uma empresa carrega grandes benefícios como expansão de mercado e alcance de um novo público. 

A situação atual é ainda mais vantajosa no que diz respeito ao câmbio atual, que coloca o Brasil com um excelente preço final dolarizado.

A Preme Pay oferece a possibilidade de as empresas brasileiras venderem para 150 países em apenas um dia, sem a necessidade de abertura de novas empresas no exterior, visto que a nossa solução cuida de toda a operação de processamento de pagamento, tributos internacionais e conversão cambial.

Somos uma solução que apoia e facilita operações para o empresário brasileiro durante as diversas etapas desse processo.

Qual ponto você considera o mais importante para quem deseja oferecer uma solução de pagamento internacional para os clientes, ou seja, o que não pode faltar em uma ferramenta desse tipo?

O mercado internacional tem diferentes comportamentos de compra e consumo, baseado na diversidade cultural de cada região. Por esse motivo, entendemos que oferecer uma ótima experiência aos usuários é essencial para tornar a operação um sucesso e resultar em mais conversão. 

A Preme Pay é desenvolvida para atender as necessidades dos nossos clientes (as empresas), mas também para auxiliar que a jornada do usuário final (consumidor) atinja e, por que não, ultrapasse as suas expectativas. 

Entendemos que a implementação do UX (Experiência do Usuário) é o que torna o processo simplificado e agradável de ser realizado, funcionando como motivador para vendas e, consequentemente, impulsionando a operação internacional para o sucesso absoluto. 

A empresa que deseja internacionalizar as suas vendas deve considerar a equação que soma uma ótima experiência às particularidades de cada customer behaviour (comportamento do cliente). O resultado dessa soma, com certeza, é o ponto-chave para essa resposta.

De acordo com a experiência da Preme Pay, todas as empresas que trabalham no mercado de serviços financeiros nacionais também podem trabalhar com a oferta de pagamento internacional?

O brasileiro conta com um mercado sensacional de 212 milhões de pessoas, no qual boa parte é totalmente conectada à internet e tem o hábito de interação diária com o mundo online. 

Essa característica é muito benéfica para as empresas brasileiras, caso elas se atentem a criar detalhados e certeiros planejamentos de marketing digital. 

Porém, é preciso entender que as pequenas e médias empresas brasileiras têm pouco poder de tração paga quando estão competindo com as grandes empresas. É por isso que precisam focar em expandir o público para que possam aumentar o faturamento orgânico. 

As fintechs brasileiras precisam olhar para o mercado internacional com mais atenção. A Preme Pay processa pagamentos em 150 países para empresas brasileiras, e oferta o mercado brasileiro para empresas de 125 países. 

E a razão para isso acontecer é porque desde o Day 1 (início da operação) vemos o valor que o mercado brasileiro tem internacionalmente, e estamos focados em potencializar isso com as nossas soluções inteligentes. 

O objetivo é possibilitar uma empresa brasileira, por exemplo, vender para empresas nos Estados Unidos, Canadá, Europa e diversas outras localidades de forma facilitada e ágil.

Já estamos trilhando esse caminho com a nossa solução, oferecendo custos reduzidos e diminuição das burocracias.

Achou interessante saber mais sobre pagamento internacional? Então confira outras informações sobre soluções de pagamento para negócios digitais!  

Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo