Negócios

Pix no e-commerce: como o pagamento instantâneo está ajudando as lojas virtuais a venderem mais?

Publicado em 13 de setembro de 2021 por Redação Zoop

A utilização do Pix no e-commerce é uma estratégia que, desde o lançamento do sistema de pagamento instantâneo, está cercada por grandes expectativas dos varejistas.

A ideia inicial era que a solução contribuísse para aumentar o volume de vendas, considerando que a sua facilidade de uso pode fomentar a decisão de compra do consumidor. 

Além disso, o meio de pagamento estava sendo visto como um forte aliado para melhorar a experiência de compra do cliente, uma vez que a compensação do valor é imediata e que essa condição contribui para otimizar o processo de entrega.

Mas será que a implementação do Pix no e-commerce realmente está ajudando as lojas online a venderem mais? Como está a aceitação desse meio de pagamento entre as empresas do setor?

De acordo com dados levantados pela consultoria de comércio eletrônico GMatos, os quais foram divulgados no site Mobile Time, atualmente, essa forma de pagamento é aceita por 32,2% dos grandes comércios eletrônicos e companhias O2O, Online-to-Offline.

Esse percentual representa um crescimento de 6,8 pontos percentuais da sua utilização — em março de 2021 a aceitação era de apenas 25,4%, também segundo a GMatos. 

Que o seu uso está expandindo, isso é uma realidade, mas de quais formas o sistema de pagamento instantâneo do Banco Central (Bacen) pode influenciar o crescimento do comércio eletrônico brasileiro? 

Confira a resposta para essa pergunta neste artigo e, no final, uma entrevista exclusiva com Paulo Oliveira Andreoli, Head de OmniFinance do Grupo FCamara sobre o impacto desse meio de pagamento nas vendas online.

Como está a adesão do Pix no e-commerce?

É fato que a utilização do Pix, de modo geral, cresce a cada dia, e isso pode ser confirmado ao verificarmos os números fornecidos pelo Banco Central.

De acordo com o órgão regulador, no mês de lançamento da ferramenta (novembro de 2020), foram realizadas mais de 33 milhões de transações no total. Já em junho de 2021, esse número subiu para mais de 743 milhões.

Considerando apenas as movimentações P2B, ou seja, de pessoa para empresa, em novembro de 2020 foram realizadas mais de 1,4 milhão, e em junho de 2021, mais de 79 milhões.

Mas quanto disso representa o uso do Pix no e-commerce? Segundo uma pesquisa realizada pela empresa Spin Pay, e mencionada no site Consumidor Moderno, a média de crescimento do uso desse meio de pagamento no varejo digital é de 50%.

O levantamento também aponta que, desde o lançamento da solução, ao menos 3 milhões de transferências instantâneas foram para o comércio eletrônico.

Aproveite e ouça este episódio do Papo na Nuvem:

Quais são os benefícios do Pix para o e-commerce?

Ainda com base na pesquisa que acabamos de citar, os setores que se sobressaem quanto ao uso do Pix para o e-commerce atingem uma margem de crescimento de até 80%.

Mas além de aumentar o volume de vendas e, consequentemente, o faturamento das marcas, quais outros benefícios o sistema de pagamento instantâneo traz para o comércio eletrônico e para os seus clientes? 

Confira os que mais se destacam!

Atendimento de variados grupos de consumidores

O uso do Pix no e-commerce é uma excelente forma de atender diferentes grupos de consumidores.

No caso, estamos nos referindo, especialmente, às pessoas que, por algum motivo, estão sem acesso aos seus cartões de débito, ou àquelas que não têm cartão de crédito, mas que também preferem não usar o boleto bancário devido ao prazo de compensação do pagamento.

Como a efetivação da transferência de valor no Pix depende apenas que o cliente tenha saldo em conta, a oferta desse meio de pagamento contribui para democratizar as compras online, atender necessidades como as que acabamos de mencionar e, consequentemente, evitar que o varejista perca vendas. 

Possibilidade de diminuir as taxas de abandono de carrinho

A quantidade limitada de opções de pagamento é um dos motivos que geram carrinhos abandonados no comércio eletrônico.

Por esse motivo, a inclusão do Pix para o e-commerce é uma forma de expandir esse leque e de dar ao cliente a chance de escolher a solução de pagamento mais adequada para o seu momento e, com isso, contribuir para que ele não desista da aquisição.

Redução dos custos para os lojistas

O sistema de pagamento instantâneo tende a ter taxas bem menores que as praticadas por outros meios de pagamento, tais como as cobradas para o processamento de transações com cartões de crédito ou boleto.

O valor varia de acordo com a instituição financeira utilizada pelo varejista. Porém, um levantamento divulgado no site “6 minutos”, do UOL, apontou que as tarifas podem chegar a R$ 10, ainda assim mais baratas que TED e DOC.

Aprimoramento da gestão de estoque

De acordo com a “Pesquisa Meios de Pagamento 2021”, do Opinion Box, o boleto bancário é o meio de pagamento preferido de 15% dos consumidores que fazem compras online, perdendo apenas para o cartão de crédito (58%).

Ainda que seja uma forma de atender a preferência do público, para o lojista, essa solução impacta na sua gestão de estoque. Isso acontece porque, até que o boleto seja compensado (o que, geralmente, demora 3 dias úteis), é preciso reservar o produto.

Se, porventura, não houver o pagamento, o varejista perde essa venda e a chance de ter vendido esse mesmo produto para outro cliente durante o tempo que ficou reservado.

Já com o Pix isso não acontece, pois, como a transferência de valores é instantânea, o item vendido não precisa ser reservado.

Dessa forma, o gerenciamento de estoque se torna mais eficiente, e o lojista ainda tem a chance de enviar a compra mais rápido ao cliente, melhorando o relacionamento entre eles.

Melhoria do fluxo de caixa

Também considerando o fato que o valor pago pelo cliente cai imediatamente na conta do lojista, o Pix no e-commerce melhora o fluxo de caixa e contribui para manter a saúde financeira do negócio em dia.

Possibilidade de utilizar diferentes funções da ferramenta

Um grande diferencial do sistema de pagamento instantâneo é que ele dispõe de diferentes funções.

Seguindo a agenda evolutiva do Banco Central, uma das funcionalidades recentemente lançada (março de 2021) e que tem tudo para contribuir com aumento do volume de vendas do varejo digital é o Pix Cobrança.

O Pix Cobrança é um meio de pagamento que possibilita a realização de cobrança de valores com data de vencimento futura. Similar ao boleto bancário, a principal diferença é que, uma vez pago, o valor é creditado instantaneamente na conta do lojista.

Entenda mais neste artigo: “Pix Cobrança: como funciona e quais as vantagens desse meio de pagamento?

Como os especialistas do setor veem o uso do Pix para o e-commerce?

O Grupo FCamara é uma empresa líder no desenvolvimento de soluções digitais. Atuando em diferentes segmentos, um deles é o varejo e o e-commerce.

Para saber outros pontos sobre o impacto do Pix nas vendas online, conversamos com Paulo Oliveira Andreoli, Head de OmniFinance do grupo.

Andreoli, vocês têm notado uma maior adesão do Pix no e-commerce, seja por parte dos lojistas, seja por parte dos consumidores? Se sim, qual impacto isso tem causado no segmento?

Sim, o número total de transações via Pix tem aumentado em torno de 20% a cada mês, e notamos um crescimento ainda maior no e-commerce à medida que mais lojistas passam a oferecer esse meio de pagamento. 

Em muitas lojas virtuais que oferecem o Pix, esse método já se torna o terceiro mais utilizado, e tende a obter uma fatia maior do total das compras nessas empresas.

É possível dizer que o Pix e as novas funções que estão sendo liberadas pelo Banco Central tomarão espaço de outros métodos de pagamento no varejo digital, a exemplo do boleto bancário ou mesmo do cartão de crédito?

Com certeza. O Pix, além de substituir com vantagens meios de pagamento como o boleto bancário, está trazendo novos clientes para as lojas virtuais que o oferecem como opção de pagamento. 

Com o Pix, pessoas que não têm conta em banco, mas que possuem carteiras digitais, podem começar a comprar no e-commerce.

Acredito que os meios de pagamento mais impactados pelo Pix, em um primeiro momento, são os cartões de débito, principalmente no comércio eletrônico, segmento no qual não se oferece uma boa experiência com essa solução; e também o boleto pela questão da demora para a liberação da compra por causa do tempo de compensação.

Muitas pessoas que têm conta em bancos, mas não têm acesso a cartões de crédito, ou têm cartões de crédito com o limite baixo, muitas vezes não faziam compras no e-commerce porque não tinham uma boa experiência de pagamento para usar o cartão de débito e pela demora do boleto. 

O Pix torna a experiência de pagamento muito melhor e mais fácil, além de ter a confirmação imediata.

Para as lojas virtuais, o Pix tem um custo mais baixo, as lojas recebem os valores de forma mais rápida e elimina o problema da trava de estoque — já que a confirmação é instantânea, o Pix não tem o problema do boleto, no qual a loja virtual tem que reservar o produto até que seja compensado.

Por vezes, o boleto não é pago e o varejista tende a deixar de vender o produto para outro cliente.

Com o avanço de novas modalidades do Pix, a exemplo do Pix Garantido, esse meio de pagamento pode começar a competir com os pagamentos no cartão de crédito, além de, possivelmente, trazer novos clientes para o e-commerce que não tinham uma alternativa de pagamento a crédito e/ou em parcelado.

O que se pode esperar do futuro do e-commerce no que se refere ao volume de vendas e oportunidade de novos negócios com a adesão mais ampla do sistema de pagamento instantâneo?

Conforme comentei nas respostas anteriores, o Pix já está trazendo novos clientes para o e-commerce por oferecer uma forma rápida, fácil de usar e inclusiva para pessoas que até então não tinham uma boa opção de método de pagamento, seja por não terem conta em banco, seja por não terem uma forma de pagamento com a qual possam receber a confirmação e entrega do produto com rapidez.

Com a evolução do Pix, como o Pix Garantido, clientes que não têm acesso aos cartões de crédito ou que tem limites baixos também poderão ter mais uma opção para comprar no comércio eletrônico.

Por ser um meio de pagamento mais barato e com recebimento dos valores de forma mais rápida, as lojas virtuais devem aumentar cada vez mais os estímulos para que os seus clientes utilizem o Pix, por exemplo, dando descontos e/ou condições especiais para os clientes que escolherem pagar desta forma. 

Os pagamentos instantâneos tendem a aumentar a sua participação nos métodos de pagamento do e-commerce e estarão entre os três mais importantes nas lojas virtuais que oferecerem essa opção.

Teria algum conselho para dar aos varejistas que ainda restringem suas opções de pagamento?

É extremamente importante para os varejistas oferecerem diversas opções de pagamento para seus clientes. 

Cada meio de pagamento atende a necessidades específicas de cada tipo de consumidor, e deixar de oferecer um deles pode levar a empresa a perder vendas. 

Se um cliente passa por todo processo de compra e, quando vai pagar, não tem a opção de escolher o método de pagamento que tem disponível em suas mãos ou que prefere, a chance de abandonar a compra é grande.

É interessante também oferecer a possibilidade de combinar um ou mais métodos de pagamento em uma mesma compra, como a opção de pagar com mais de um cartão de crédito, ou o pagamento uma parte com Pix e outra com cartão de crédito, por exemplo.

Isso tende a ser muito útil para clientes que têm mais de um cartão, mas com limites de crédito baixos.

Essas ações têm tudo para ajudar a aumentar as vendas e reduzir as taxas de abandono de carrinhos de compra, além de aumentar a satisfação dos atuais clientes e de trazer novos consumidores para a loja.

Quer saber mais sobre a influência do Pix no crescimento dos negócios? Então não deixe de ler o artigo “Tudo sobre o Pix: confira as 13 respostas que a sua empresa precisa saber e a opinião de grandes especialistas!

Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo