Negócios

Inovação no varejo em tempos de crise: veja como continuar crescendo mesmo durante a pandemia

Publicado em 05 de junho de 2020 por Redação Zoop

Está sem tempo de ler agora? Que tal ouvir o artigo? Experimente no player abaixo!

Como manter a inovação no varejo em tempos de crise? A dúvida assola milhares de empresas que vemos o faturamento cair por conta da pandemia do coronavírus.

Aqui, podemos entender como inovação no varejo, soluções que supram as necessidades dos clientes e que, ao mesmo tempo, mantenham os negócios lucrativos.

No cenário em que estamos vivendo no momento, dois motivos fizeram com que as pessoas passassem a comprar menos: um é o fato de estarmos em quarentena, que resultou no fechamento dos comércios.

O segundo é o medo do desemprego, fazendo com que as famílias priorizassem a aquisição de itens mais essenciais, como alimentos e medicamentos.

De acordo com o IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o comércio teve um recuo de 2,5%, o maior índice nos últimos 17 anos.

Na avaliação do chamado “varejo ampliado”, categoria que inclui a venda de automóveis, a baixa chegou a 13,7%.

O PIB, Produto Interno Bruto, teve queda de 1,5% no primeiro trimestre de 2020, comparado ao mesmo período do ano passado.

Esse índice é resultado da baixa rentabilidade de todos os setores, por exemplo, indústria -1,4% e serviços -1,6%.

No entanto, ainda que esses números não sejam o esperado, é preciso pensar em como inovar no comércio varejista, a fim de minimizar o impacto da crise e já se preparar para o período pós-pandemia.

Como promover uma inovação no varejo durante a crise de coronavírus

Mas afinal, o que seria inovação no varejo? Podemos dizer que inovação no varejo, especialmente em tempos de crise, é encontrar soluções que atendam as necessidades dos clientes, tendo como base o cenário atual que estão vivendo.

Por exemplo, um ponto que ficou bastante evidente neste período de quarentena foi o uso maior da internet e de serviços online.

Dados da Opinion Box mostraram que no começo do isolamento social, 60% dos entrevistados disseram estar passando mais tempo conectados. Esse número subiu para 63% no início do mês de abril.

Sabemos que parte disso vem da necessidade de buscar entretenimento. No entanto, a orientação de não sair de casa também levou ao aumento do número de compras online.

Segundo a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), 61% dos consumidores aumentaram seu volume de aquisições via internet.

A consequência disso foi o crescimento dos e-commerces nesse período: 30,5% mais vendas entre fevereiro e março de 2020, de acordo com a ABComm, Associação Brasileira de Comércio Eletrônico.

Ou seja, se a transformação digital já era uma crescente entre negócios de todos os setores, ganhou ainda mais urgência por conta do isolamento social provocado pelo coronavírus.

Tudo isso deixa claro que para promover a inovação no varejo neste momento é preciso:

  • estar presente nos meios digitais;
  • oferecer diferentes canais de compras e atendimento;
  • utilizar uma estratégia de varejo omnichannel;
  • melhorar, ou modificar, os processos de logística;
  • disponibilizar diferentes meios de pagamentos eletrônicos.

Exemplo de inovação no comércio varejista

A MagaPay é uma empresa de tecnologia que oferece aos seus clientes diversas soluções de pagamento para o mundo físico e online.

Com mais de 300 clientes em sua carteira, a empresa viu seus números crescerem mesmo durante a pandemia de coronavírus.

Batendo recordes no mês de abril, a Magapay alcançou mais de 200 mil transações em um único mês, o que representa mais de R$ 40 milhões transacionados.

Para saber como chegaram a esses números, conversamos com Gabriel Linardi, CEO e Cofundador da Magapay.

Mesmo em meio à crise financeira pela qual todos estão passando, vocês conseguiram cresceram nos últimos meses. Como isso foi possível?

O crescimento se deu pelo fato de atuarmos em mais de um mercado. O mundo online, ao contrário do físico, trouxe esse crescimento durante a crise provocada pelo coronavírus.

As vendas pela internet supriram totalmente a queda que tivemos no presencial. Conseguindo assim manter nosso trabalho e retomada em ambos no retorno das atividades.

Das soluções que oferecem aos seus clientes, quais consideram que tiveram mais influência nesse crescimento?

Clientes do mundo online tiveram um aumento natural das vendas pela necessidade do momento de compras pela internet. Já clientes do mundo físico tiveram que trabalhar com o delivery e venda online para conseguir suprir um pouco da queda gigantesca nas vendas.

Com base nessa experiência de resultados positivos, quais dicas dariam aos seus clientes, e demais empresas, para não deixarem de lucrar mesmo em tempos de crise?

Trabalhar, se possível, em mercados distintos para que um possa ajudar o outro no momento da crise. A Magapay conseguiu ter crescimento justamente por isso, pois uma abordagem minimizou a queda da outra.

Além disso, tentar ser o mais enxuto possível em sua operação em momentos como esses. Despesas excessivas são normalmente os maiores problemas para se manter em pé com a receita reduzida.

A participação da Zoop na inovação no varejo

A parceria entre a Zoop e a Magapay surgiu da necessidade que a empresa tinha de solucionar o problema de um de seus clientes, relacionado a split de pagamento.

Ao sanar essa questão com as soluções apresentadas pela Zoop, a Magapay viu a oportunidade de expandir sua oferta de serviços. Com isso, desenvolveu uma nova unidade de negócios voltada para pagamentos e ampliaram ainda mais os seus negócios.

Veja algumas dicas de como a Magapay conseguiu aumentar em 70% seu faturamento em meio a crise:

Gostou? Entenda como a solução da Zoop foi essencial para a ligação entre mundo físico e digital:

Assim como a MagaPay, sua empresa pode aumentar o faturamento e escalar a rentabilidade ao construir suas próprias soluções de pagamentos integradas.

Com isso, você ajudará seus clientes a crescerem, criando uma fintech de pagamentos dentro da própria operação.

Isso é possível graças a nossa plataforma de serviços financeiros White Label, que conta com tecnologias de captura para pagamentos presenciais (maquininhas), boletos e outros meios de pagamentos.

Tudo com sua própria marca e sem se preocupar com barreiras regulatórias, custos de desenvolvimento e tempo de implementação, mantendo a sua empresa focada no que faz melhor.

A Zoop possibilita que marketplaces, ERPs, empreendedores e outros tipos de negócios passem a gerenciar o fluxo financeiro dos seus clientes, gerando novas receitas através de serviços de conta digital, splits de pagamento e antecipação de recebíveis.

Converse com um especialista!  Junte-se ao iFood, Sympla, Avec e outras grandes empresas que também geram valor com serviços financeiros e crie sua fintech agora!

Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo