Empreendedorismo

E-commerce ou Marketplace: por onde começar?

Publicado em 13 de dezembro de 2021 por Redação Zoop
1/5 - (1 vote)

Quer expandir o seu negócio para o comércio virtual (ou começá-lo do zero) e está em dúvida entre e-commerce ou marketplace? Saiba que ambos podem ser boas opções. Para escolher a mais adequada às suas necessidades, é preciso analisar algumas questões.

Antes disso, é importante avaliar o contexto atual. Apesar da pandemia do coronavírus ter prejudicado inúmeros donos de lojas físicas, o mesmo não ocorreu com muitos que empreenderam online.

Só no primeiro semestre do período dessa crise de saúde mundial, cerca de 100 mil comerciantes optaram por vender seus produtos de forma online, como mostrou o UOL.

Além disso,  de acordo com a pesquisa realizada pela Cybersource em 2020, houve um aumento de 30% na preferência dos brasileiros por compras virtuais. Ou seja, atualmente, cerca de 46% das pessoas preferem fazer suas compras sem sair de casa.

Isto é, o momento parece favorável para vender virtualmente, não é mesmo? Daí volta em cena a questão: melhor apostar em um e-commerce ou em marketplace? É o que verá a seguir!

E-commerce ou Marketplace: qual a diferença?

Em um primeiro momento, pode ser que você se pergunte: há diferença? Sim, há diferenças entre e-commerce e marketplace, e isso pode impactar seu bolso.

Portanto, veja quais são as definições, similaridades e benefícios de cada um.

Marketplace: colocando sua loja em um shopping virtual

Há quem defenda que começar suas vendas virtuais pelo marketplace é o mais indicado – e a ideia tem fundamento. Entretanto, antes de começar a falar dos benefícios, vamos entender como esse canal funciona.

Podemos dizer que o marketplace é como um shopping virtual, no qual várias lojas – os e-commerces –  anunciam seus produtos e serviços. Ou seja, ele reúne em um mesmo lugar vários empreendedores e seus serviços.

E por que um marketplace é mais indicado que um e-commerce para quem está iniciando na área de vendas online?

  • Processo mais acessível: não há necessidade de criar uma loja virtual pois ela já está pronta. Basta inserir seus dados, os produtos ou serviços e montar um anúncio bem chamativo;
  • Clientes sentem mais segurança: marketplaces já possuem o nome consolidado, e isso transmite segurança aos consumidores. Além disso, só anuncia em marketplace quem comprova comprometimento, tem um CNPJ e produtos de qualidade. E, devido a isso, o anunciante ganha mais visibilidade;
  • Potencialização do crescimento de vendas: um mesmo produto pode ser anunciado em vários marketplaces ao mesmo tempo, aumentando as chances de ser visualizado;
  • Otimização e assertividade: se o lojista anunciar em vários marketplaces, ele pode adotar uma ferramenta de integração – como o Olist Store, que facilita a gestão e a performance de vendas em mais de 10 grandes marketplaces brasileiros – para centralizar a gestão das vendas em um mesmo lugar. Dessa forma, problemas como divergência no estoque podem ser evitados.
  • Tudo junto em um mesmo pacote: para facilitar a vida do empresário, alguns marketplaces oferecem serviços como soluções de fretes, facilidades em pagamento e outras soluções integradas;
  • Marketing praticamente de graça: o próprio marketplace faz o marketing, o que atrai ainda mais clientes.

Fatos a serem levados em consideração:

  1. Anunciar em um marketplace não tem custo, entretanto, é preciso pagar uma comissão em cima das vendas. A porcentagem varia de empresa para empresa;
  2. Ao iniciar sua jornada, os produtos não serão exibidos no topo das pesquisas. Isso vem com o tempo e com o fluxo de vendas;
  3. É preciso construir uma reputação e isso só vem com as vendas. O fato de ainda não ter uma história pode ser um empecilho para alguns compradores. Entretanto, isso pode ser resolvido se o vendedor se cadastrar em um marketplace. Dessa forma, os lojistas utilizam a boa reputação da empresa para ter mais destaque e melhorar a visibilidade dos produtos.  

E-commerce: uma loja virtual para chamar de sua

Primeiramente, e-commerce nada mais é que uma loja virtual, um site no qual produtos e serviços são anunciados e comercializados.

E ter uma loja virtual de sucesso depende de muitos fatores, que vão desde o lado criativo até a parte técnica. Ou seja, um e-commerce exige muito de você no início, mas depois fica mais fácil. Mas qual o passo a passo?

  1. Registre seu domínio, ou seja, o endereço pelo qual o cliente irá acessar sua loja;
  2. Escolha um serviço de hospedagem. É por meio dele que ficarão armazenados os dados do site e disponibilizados na web;
  3. Desenvolva uma plataforma de vendas própria ou escolha uma pronta. Existem várias e com planos diversos que cabem em todos os bolsos. É por meio dela que seu e-commerce ganha corpo e vida, com funcionalidades úteis, como responsividade, carrinho, busca, integração etc;
  4. Garanta que a experiência do cliente seja satisfatória, sem problemas na hora de realizar os pagamentos. Inclusive, é possível usar soluções como o Online Payments da Zoop. Tanto um e-commerce quanto um marketplace, precisam ser assertivos nessa hora. Ao oferecer algo seguro, customizado e que passe segurança ao cliente, as vendas tendem a aumentar.

 

 

As vantagens de ter um e-commerce é que, ao contrário do marketplace, ele não demanda o pagamento de comissões. Afinal, o site é seu. Além disso, ele pode ser montado da forma que você quiser, com maior liberdade.

E-commerce ou marketplace: qual é melhor para você?

Agora que você já sabe as diferenças, qual vai escolher: e-commerce ou marketplace? Não existe um formato melhor que outro. O que existe são serviços que atendam você da melhor forma.

Dessa forma, se o que você deseja é testar seu produto ou serviço, ver se tem aceitação e público, o ideal é um marketplace. Por meio dele, é possível ter ideia de demanda e fluxo. Além do mais, você não precisa se preocupar em manter estrutura, como pagar hospedagem.

Contudo, se você já conhece seu público consumidor, já tem um nome consolidado e quer ter uma loja virtual que é a cara do seu negócio, o e-commerce é o ideal.

Lá você terá tudo personalizado, desde o seu domínio até a aparência da loja. Inclusive, pode escolher as melhores formas de pagamento e ter um domínio maior da parte financeira.

No final, o mais importante é você oferecer uma boa experiência para o cliente e ter boas vendas. 

Este texto foi criado pela equipe do olist, uma solução completa para lojas que querem vender online de forma prática e profissional. 

Temos ferramentas que facilitam a criação de loja virtual, a venda em marketplaces e a operação logística no e-commerce. O olist já tem milhares de lojas parceiras no Brasil e em mais de 180 países.

1/5 - (1 vote)
Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo