Empreendedorismo

Fraudes na internet: conheça os tipos mais comuns e veja como evitá-las

Publicado em 06 de julho de 2020 por Redação Zoop
Avalie este post

Fraudes na internet podem ser definidas como ações de má-fé realizadas por um fraudador com o objetivo de obter vantagens (geralmente financeiras) sobre uma vítima.

Vale lembrar que a fraude na internet se equipara ao crime de estelionato, previsto no Art. 171 do Código Penal brasileiro, com pena de reclusão/prisão de 1 a 5 anos, e multa. Ainda assim, é bastante comum que esse tipo de crime ocorra no Brasil, especialmente em ambiente virtual.

Segundo dados da ClearSale, empresa de soluções antifraude, citados em uma matéria do site InfoMoney, por aqui, as tentativas de fraudes aumentaram 74% em 2021

Considerando setores como telecomunicações, mercado financeiro e e-commerce, o estudo constatou que o valor geral dessas tentativas chegou a R$ 5,8 bilhões, quantia 61% superior ao contabilizado no ano anterior, que foi de R$ 3,6 bilhões.

No comércio eletrônico, especificamente, as fraudes financeiras mais comuns são as resultantes das compras com cartão de crédito, conhecidas como fraude amigável, efetiva a autofraude, segundo o mesmo estudo.

Somando a essas informações, podemos considerar outro dado apontado na mesma reportagem, esse da Neotrust, empresa de segurança e monitoramento online.

De acordo com o apontado, o e-commerce brasileiro bateu recorde de vendas em 2021, resultando em mais de R$ 161 bilhões movimentados, e um aumento de quase 17% no número de pedidos.

Relacionando ambas as informações, torna-se ainda mais clara a importância de os negócios desse setor adotarem boas camadas de segurança para proteger suas plataformas e seus clientes.

Dito isso, quais seriam as fraudes na internet mais comuns? Como você pode evitá-las a fim de proteger seu negócio, parceiros e clientes finais?

Além dessas respostas, trouxemos orientações bem importantes do time de segurança da informação da Zoop. Por isso, continue a leitura e confira!

O que são fraudes na internet? Quais os tipos mais comuns?

As fraudes na internet são caracterizadas por ações realizadas por pessoas de má índole que visam obter vantagens financeiras sobre outras pessoas ou negócios.

Segundo dados apresentados no nosso Relatório de Tendências 2022, O Brasil é o 5º maior alvo global de ataques de hackers a empresas. No mundo, a cada 11 segundos uma companhia é vítima de um ataque de ransomware.

É sabido que marketplaces e e-commerces se preocupam em tomar medidas que visam proteger sellers e consumidores finais desse problema. Mas, infelizmente, os denominados hackers (indivíduos com grande conhecimento de tecnologia e de informática), ainda encontram brechas para burlar os sistemas.

Não por menos, essa é uma grande preocupação dos consumidores, resultando em um dos motivos para que desistam das suas aquisições.

Para se ter uma ideia, também segundo apontado no relatório de tendências, até 72% dos compradores online abandonam seus carrinhos de compras por questões de segurança.

A fim de evitar que problemas como esse afete o se faturamento, separamos algumas das fraudes na internet mais comuns para que você conheça, que são

  • fraude do cartão de crédito;
  • autofraude;
  • fraude amiga;
  • fraude de triangulação;
  • fraude das páginas clonadas;
  • phishing.

Fraude do cartão de crédito

Também conhecida como fraude limpa, acontece quando o fraudador tem em mãos todos os dados necessários para realizar a transação, por exemplo, o número do cartão.

Autofraude

Chamada também de fraude do reembolso, acontece quando uma compra on-line é realizada pelo próprio dono do cartão que, posteriormente, entra em contato com a operadora alegando que foi roubado.

Fraude amiga

Ocorre quando o cartão é utilizado por uma pessoa conhecida do titular, porém sem seu consentimento.

Fraude de triangulação

Consiste na criação de uma loja virtual falsa que captura os dados bancários dos clientes para realizar compras em lojas reais.

Fraude das páginas clonadas

Nessa, o fraudador cria apenas uma página falsa do e-commerce ou marketplace e captura os dados dos clientes.

Phishing

Envio de links por mensagens eletrônicas (geralmente e-mails), em nome de marcas conhecidas, com a proposta de atualizar o cadastro do cliente, porém visando roubar seus dados.

Dica extra! Entenda mais sobre prevenção a fraudes nos pagamentos ouvindo este podcast do nosso canal Papo na Nuvem:

Como evitar fraudes na internet?

Ainda segundo o apontado no nosso relatório de tendências, os custos com reparos e as perdas de receita provocadas por ataques digitais poderão alcançar US$ 5,2 trilhões em cinco anos.

Ou seja, encontrar meios de evitar esses golpes é essencial para o crescimento sustentável dos negócios. 

E assim como dissemos logo na abertura deste artigo, os cartões de crédito são os meios de pagamento mais visados pelos cibercriminosos. No entanto, esse ainda segue como um dos métodos mais utilizados pelos brasileiros, ainda que outras soluções, a exemplo do Pix no checkout, estejam crescendo consideravelmente.

Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços, Abecs, 31,1 bilhões de transações foram realizadas via cartões em 2021, o que representa um aumento de 33,4% comparado a 2020.

Considerando apenas compras não presenciais, foram movimentados R$ 569,7 bilhões (+30,8%), a seguinte forma:

  • cartão de crédito: R$ 550,1 bilhões (+41,7%);
  • cartão de débito: R$ 13,5 bi (-69,3%);
  • cartão pré-pago: R$ 6,2 bi (+80%)

 

Só por esse meio de pagamento, é possível ver que a quantidade de pessoas que informam seus dados financeiros em sites é bastante alta. 

Além de prejudicar os clientes, é importante lembrar que as fraudes na internet geram grandes prejuízos financeiros a e-commerces e marketplaces por conta do chargeback, uma vez que as compras são canceladas, o valor estornado, mas a mercadoria não é devolvida.

Considerando todos esses pontos, é importante conhecer, e aplicar, ações que podem evitar que sua empresa e clientes sejam vítimas de fraudes on-line. Por isso, veja algumas soluções:

  • sistemas antifraude: softwares próprios que analisam padrões de comportamento, entre outras funcionalidades;
  • certificado digital SSL: cadeado digital para domínios “https://” que permite a criptografia dos dados transitados;
  • padrão de segurança PCI: padrão de segurança internacional para transações realizadas com cartões;
  • gateways seguros: uso de intermediadores de meios de pagamento confiáveis;
  • solicitação de CVV: código de segurança que consta na parte posterior dos cartões.

O que diz a equipe de segurança da informação da Zoop sobre isso?

A Zoop é uma fintech líder em tecnologia para serviços financeiros que possibilita que marketplaces, ERPs, empreendedores e outros tipos de negócios passem a gerenciar o fluxo financeiro de seus clientes, gerando novas receitas por meio de serviços como conta digital, splits de pagamento e antecipação de recebíveis.

Para isso, é oferecida uma plataforma de serviços financeiros White Label, que conta com tecnologias de captura para pagamentos presenciais (maquininhas), boletos e outros meios de pagamentos.

Dessa forma, você pode criar soluções de pagamentos pontuais para os seus clientes, e tudo com sua própria marca, sem se preocupar com barreiras regulatórias, reduzindo custos de desenvolvimento e diminuindo o tempo de implementação.

Mas para chegar a esse resultado, a sua segurança, a dos seus parceiros e a dos consumidores finais é uma de nossas prioridades.

A fim de contribuir para evitar possíveis fraudes no seu negócio, as quais podem afetar todos os envolvidos, nossa equipe de segurança da informação trabalha constantemente em busca de novas soluções.

Considerando isso, veja algumas informações e dicas importantes dadas por Nicolly Galvão, Advogada Contencioso/Preventivo e por Elizabeth Pereira, Coordenadora de Prevenção a Fraudes, sobre o que você pode fazer para evitar esse tipo de problema.

Vimos que as fraudes na internet ainda são uma realidade. Das que mencionamos, quais consideram que requer mais cuidado das empresas?

Todos os tipos requerem muitos cuidados, pois, sem dúvida, qualquer uma das modalidades podem trazer muitos prejuízos.

A fraude do cartão de crédito se destaca por ocorrer em maior volume. Já as fraudes de página clonada e phishing merecem total atenção, porque, além do risco financeiro, também afetam a imagem do marketplace ou e-commerce.

Do ponto de vista contencioso é importante, também, que as empresas se atentem aos boletos.

O boleto é uma credencial de pagamento que não permite análise, ou seja, qualquer pessoa consegue emitir se possuir uma tecnologia de pagamento, de qualquer valor. Por isso, procure sempre deixar o boleto com a cara da sua empresa.

Por exemplo, nas compras feitas em grandes marketplaces, eles encaminham todas as informações necessárias para que o consumidor se certifique de que aquele boleto que está pagando de fato foi emitido pela empresa.

É possível fazer isso e, em uma eventual ação judicial, demonstrar o modelo emitido pela sua empresa versus o boleto pago pela pessoa que sofreu a fraude.

Temos conseguido diversas decisões favoráveis nesse sentido, comprovando que não somos responsáveis pela fraude de boletos, visto que essa pode ocorrer de qualquer forma e chegar ao consumidor final, de todas as maneiras possíveis (correios, e-mail etc).

Para evitar ser vítima de um desses golpes, qual a primeira ação que o responsável por um marketplace ou e-commerce deve tomar?

É muito importante manter a monitoria frequente de todos os seus indicadores, conhecer bem os seus clientes e ter um bom sistema antifraude para todas as operações.

Além disso, é essencial cuidar de toda a estrutura de segurança dos dados trafegados no site, bem como fornecer o máximo de informações possíveis aos consumidores, para que não seja penalizado pelas regras consumeristas.

E se o negócio estiver iniciando, ou estiver com capital de investimento limitado, qual tipo de proteção não pode faltar?

É importante refletir que a segurança é primordial em qualquer negócio.

Estabelecer a sua matriz de risco é o primeiro passo, seguido pelas formas de controle e monitoria das transações/operações realizadas.

Pense que uma pessoa (funcionário), ou uma planilha automatizada no Excel, podem fazer a função de antifraude, buscando identificar comportamentos e situações atípicas em sua empresa.

Muitos empreendedores ainda acreditam que basta adquirir uma solução de segurança para nunca mais se preocuparem com o problema de fraudes. No caso, pode haver vários recursos utilizados simultaneamente, certo?

Sim, os recursos devem ser utilizados simultaneamente.

A monitoria dos indicadores deve ser constante e o sistema antifraude, para que tenha efetividade, precisa ser acompanhado por um especialista, monitorando os seus resultados e calibrando com frequência as suas regras. Desse modo, o empreendedor conseguirá resultados mais efetivos.

De quanto em quanto tempo essas proteções precisam ser revistas?

É necessário que o acompanhamento seja diário, somente assim será possível tomar ações rapidamente, mitigando os riscos e alterando as estratégias e soluções de acordo com a complexidade dos problemas enfrentados.

Qual a principal dica dariam para que um marketplace ou e-commerce não seja vítima de fraudes relacionadas a meios de pagamento?

Tenha controle e um processo antifraude.

Você, mais do que ninguém, conhece seu negócio e deve sempre estar atento a comportamentos fora do perfil e/ou grande comercialização de produtos de fácil revenda, como eletrônicos e artigos de luxo.

Desconfie de situações muito vantajosas e tome ações rapidamente.

E como a Zoop contribui para manter o seu ambiente seguro?

A Zoop conta com um time especializado em prevenção e combate a fraudes para apoiar seus parceiros, prestando o suporte necessário para mitigação do risco dos seus negócios.

Além disso, somos uma empresa certificada pelo PCI (PCI Security Standards Council — Conselho Padrão de Segurança PCI) e com profissionais empenhados em garantir a segurança dos dados trafegados em nossa rede.

Agora que você sabe mais sobre fraudes na internet e como a nossa equipe atua para evitá-las, que tal conhecer o que mais a Zoop pode oferecer para a sua empresa?

Assista a este vídeo e conheça todas as nossas soluções:

Converse com um de nossos especialistas e junte-se ao iFood, Sympla, Avec e outras grandes empresas que também geram valor com serviços financeiros.

Crie sua empresa de pagamentos agora mesmo!

Avalie este post
Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo