Empreendedorismo

Startups: quais os tipos de serviços financeiros que elas oferecem?

Publicado em 18 de outubro de 2020 por agencia papoca

O mundo está de olho nas fintechs, afinal de contas, elas estão transformando o mercado financeiro a uma velocidade acelerada, trazendo benefícios a diferentes segmentos da sociedade.

Não é à toa, portanto, que a plataforma independente Distrito criou o 1° hub de inovação dedicado as fintechs, situado na Avenida Rebouças, em São Paulo.

A partir das fintechs e os diferentes tipos de serviços financeiros que elas oferecem, novos negócios são gerados, investimentos são retornados, talentos profissionais surgem, etc. Mas os efeitos da “fintech wave” não para por aí, e, para mostrar um pouco mais sobre esse universo, trouxemos para este conteúdo uma pequena amostra do que o Distrito já apurou.

O que são as fintechs e os tipos de serviços financeiros que oferecem?

Fintechs são negócios que oferecem soluções financeiras com alto valor tecnológico agregado, assim, usam a junção de financial e technology para formar o nome do segmento que é 100% digital.

Assim como outras startups, as fintechs solucionam as demandas não atendidas do público-alvo. No caso do setor financeiro, a variedade é enorme.

Cartões de crédito, débito, conta digital, investimentos, pagamentos de contas, empréstimos, seguros são alguns tipos de serviços financeiros e produtos digitais oferecidos pela fintechs.

Assim, algumas categorias que elas podem ser agrupadas, são:

  • Crédito ou empréstimos;
  • Pagamentos;
  • Transferência internacional de valores;
  • Finanças pessoais;
  • Equity;
  • Banco digital;
  • Seguros.

Mas, suas soluções não param por aí. Temos fintechs que atuam com criptomoedas, blockchain, regulação financeira, corretora de valores, aplicativos de consultoria financeira, etc.

O Distrito acompanha e fomenta esses negócios, por isso, consegue mostrar um panorama do mercado nos reports que lança periodicamente.

Qual o panorama do mercado das fintechs?

O Brasil tem uma das maiores concentrações bancárias, ou seja, os maiores bancos são absolutos no mercado. Mas, isso não significa que todo o público-alvo esteja atendido ou satisfeito com seus serviços.

Em 2019, havia um total de 553 fintechs no Brasil. Já em 2020, o Distrito Fintech Report 2020 listou 742, um crescimento de, pelo menos, 34% em meio ao período mais instável e desafiador da história recente.

Esse crescimento também é percebido globalmente já que um dos maiores números de exits é do segmento com 35% dos aportes de Venture Capital.

Porém, o mercado financeiro no Brasil ainda é desbancarizado, com uma parte significante da população sem acesso aos serviços bancários.

O spread bancário, que é o lucro dos bancos, também é muito alto, o que permite que novos players entrem no mercado otimizando os processos, cobrando menos e, por consequência, conquistando mais clientes.

Por fim, também podemos destacar que o comportamento de uso de linhas de crédito e investimentos não está completamente desenvolvido entre o público-alvo das fintechs, o que gera uma demanda por conhecimento e negócios que se posicionem como autoridades em soluções financeiras.

Tudo isso para dizer que o mercado das fintechs tem grande potencial. Mas, qual caminho as startups desse segmento devem tomar nos próximos anos?  

Quais as tendências para as fintechs?

Algumas tendências no mercado das fintechs estão mais alinhadas com as demandas atuais dos clientes e, portanto, vão se desenvolver mais ativamente.

Open banking

Em tradução literal, significa banco aberto e, consiste em facilitar o compartilhamento das informações financeiras de um cliente, previamente autorizado por ele, entre às instituições ou empresas do mercado. Tudo isso, é claro, com o máximo de segurança dos dados.

Serviços financeiros incorporados

Como o próprio nome sugere, são soluções financeiras que, em vez de ofertadas por um produto ou canal específico, são inseridas na experiência e interface do usuário em outros sistemas não financeiros. O Amazon Pay e o Apple Card são ótimos exemplos.

Pagamentos instantâneos

Os pagamentos instantâneos estão entrando para o conhecimento popular com a chegada do Pix, lançado pelo Banco Central do Brasil recentemente.

Eles, basicamente, facilitam as transações financeiras em diferentes relações, corporativas ou pessoais, e, nesse cenário, as fintechs focadas na solução vão agilizar o processo, trazer serviços auxiliares e muito mais.

Fintech as a Service

O processo de desenvolvimento de uma plataforma não é simples. Além dos riscos legais e regulatórios, em se tratando de transações financeiras, o nível de segurança de dados deve ser o maior possível.

Nesse sentido, as fintechs que passaram por esse processo têm um know-how valioso e podem oferecê-lo, junto a sua tecnologia, para outros negócios. Esse é o fundamento da Fintech As a Service.

Outras tendências também surgem no horizonte e, em se tratando de inovações, sempre existe a possibilidade de algo novo e completamente diferente do que vemos no circuito revolucionar o mercado, não é mesmo?

Então, como acompanhar ou fazer parte desse movimento?

Como acompanhar ou fazer parte da “Fintech wave”?

Esse é um desejo que investidores, empreendedores e profissionais compartilham, o de surfar na onda da inovação.

Para isso, conectar-se ao ecossistema por meio de um hub como o Distrito é essencial para ter acesso a palestras, conteúdos especializados, interações e, claro, networking valioso. 

Quem deseja dar os primeiros passos, saber como captar recursos e outras boas práticas do mercado que podem fazer a diferença na hora de elaborar suas estratégias, seja como empreendedor de uma fintech, seja como um investidor buscando informações para investir com alto potencial de retorno, será bem assistido.

Sabemos, porém, que o propósito de uma startup de tornar-se uma scale up de sucesso também inclui os percalços no desenvolvimento do MVP, o tempo de tração, dentre outros desafios que podem surgir a qualquer momento.

Uma forma de encontrar ajuda para superar tais desafios é o programa Distrito for Startups, que dá acesso a mentores, networking e muitos outros recursos.  Gostou do nosso conteúdo sobre as fintechs e quais tipos de serviços financeiros elas oferecem? Que tal deixar seu comentário?

Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo