Gestão

Futuro das empresas: por que o modelo distribuído de trabalho está conquistando organizações de todos os tamanhos

Publicado em 16 de outubro de 2020 por Redação Zoop

Para muitas pessoas trabalhar de qualquer lugar pode parecer estranho. Para outras, esse formato já é normal há algum tempo. Fato é que o isolamento social acelerou um processo que já estava acontecendo, e o trabalho remoto se tornou uma realidade presente na grande maioria das empresas. Levando esse método a um outro nível há quem já esteja optando, agora, pelo modelo distribuído de trabalho.

Estimuladas pela necessidade e pelas mudanças nas preferências dos funcionários, as empresas em todo o mundo estão adotando rapidamente esse estilo de vida. Podemos chamá-lo assim porque ele vai muito além da escolha do escritório, proporcionando liberdade, flexibilidade e autonomia para os colaboradores.

Seja em home office, na sede da empresa, em um espaço de coworking perto de casa ou até mesmo viajando, os funcionários podem realizar suas tarefas normalmente, sem precisar da presença física junto à equipe — o que não quer dizer que esses momentos de encontro também não existam.

Neste texto vamos te explicar em detalhes como funciona o modelo distribuído de trabalho, quais suas vantagens e por que organizações de todos os tamanhos e mercados estão começando a adotá-lo. Continue conosco!

 

O que é o modelo distribuído de trabalho

Modelo de trabalho distribuído refere-se a empresas que possuem um ou mais funcionários que trabalham em diferentes locais físicos. Ou seja, para que uma empresa o adote basta que ela tenha equipes remotas

Isso quer dizer que parte do time estará em um local, enquanto outra parte estará em outro, e por aí vai. Pode até ser que haja profissionais em cidades, estados e países diferentes. Algumas modalidades do trabalho distribuído são:

  • Funcionários divididos entre a sede da empresa e home office;
  • Equipes em espaços de trabalho compartilhados (coworkings);
  • Colaboradores que trabalham em trânsito — geralmente equipe de vendas;
  • Um mix de todas as opções acima.

 

Vantagens do modelo distribuído de trabalho

Flexibilidade, melhor produtividade, acesso a talentos em qualquer lugar e uma força de trabalho diversificada tornam o trabalho distribuído um dos melhores modelos para empresas em crescimento ou que buscam inovar seu negócio. Mas também é ideal para as grandes e tradicionais organizações, já que traz um frescor à cultura interna e insere novos hábitos e processos.

Veja quais são os principais benefícios desse formato:

1. Flexibilidade para os colaboradores

Uma das vantagens mais óbvias do trabalho remoto é a flexibilidade. Poder trabalhar de qualquer lugar significa ter a liberdade de estar onde se sente mais produtivo e confortável. A ideia é que as pessoas tenham, também, a flexibilidade de projetar seus dias para que a vida profissional e a pessoal coexistam pacificamente.

De acordo com a Business Insider, um estudo que foi feito com 3.900 pessoas constatou que 64% dos trabalhadores acham que “poder trabalhar em casa melhoraria sua vida sexual e beneficiaria seu relacionamento romântico”. Além disso, 80% dos entrevistados disseram que ter um emprego flexível os ajudaria a estar mais atentos ao seu parceiro. Outros 84% disseram que ter um emprego flexível os ajudaria a gerenciar melhor sua saúde mental.

2. Aumento da produtividade

Intuitivamente sabemos que pessoas mais felizes e satisfeitas tendem a ser mais produtivas em seus trabalhos. Mas há, também, estudos que comprovam essa teoria. estudo realizado por economistas da Universidade de Warwick descobriu que a felicidade levou a um aumento de 12% na produtividade, enquanto trabalhadores infelizes se mostraram 10% menos produtivos. Como a equipe de pesquisa colocou: “Achamos que a felicidade humana tem efeitos causais grandes e positivos na produtividade. As emoções positivas parecem revigorar os seres humanos.”

Portanto, se o modelo de trabalho distribuído aumenta a felicidade, ele consequentemente gera um aumento da produtividade dos colaboradores.

3. Economia de recursos da empresa

Manter uma sede de escritório não é nada barato. Considerando o tamanho da sua equipe é possível reduzir significativamente os custos com infraestrutura ao migrar para um modelo distribuído. Isso porque tendo partes do time divididas entre espaços de coworking, home office e a sede propriamente dita, esse espaço físico se torna menor e mais flexível — e consequentemente mais em conta.

Outro ponto a ser considerado é a economia de tempo dos profissionais de facilities, que teriam que lidar com tarefas extremamente operacionais relacionadas à estrutura do escritório. Hellen Cossão, gerente administrativa da Rappi, contou sua experiência em um webinar com o BeerOrCoffee: 

“A Rappi está dentro de coworkings em várias cidades no Brasil. E se eu tenho um problema hoje eu abro um ticket, eu não preciso me preocupar. Eu não tenho uma preocupação com os serviços, tudo funciona. Eu me tornei um facilities extremamente estratégico, eu olho para a conta final de over head, para economia, para o que a gente transforma em bem-estar para o funcionário”, disse.

4. Oportunidades de encontros e networking

Em um modelo exclusivo de home office o caráter social do escritório acaba sendo perdido. E não há como negar que o ser humano é gregário, sentindo falta desse contato com os colegas e outras pessoas de áreas correlatas. No modelo híbrido de trabalho, como é possível frequentar espaços de escritórios compartilhados, há oportunidades não só de se reunir com o próprio time, mas também de encontrar pessoas para tomar um café e fazer aquele networking que abre muitas portas.

 

Por que as empresas estão adotando o modelo distribuído de trabalho

O futuro do trabalho é flexível. E os modelos tradicionais já não estão mais alinhados com os valores e necessidades das empresas e seus colaboradores. Pesquisas mostram consistentemente que os funcionários mais jovens preferem trabalhar de onde sejam mais confortáveis ​​e produtivos. Como resultado, os empregadores estão desenvolvendo políticas de trabalho remoto para acomodar diferentes métodos de colaboração.

Além disso, as empresas estão aproveitando equipes distribuídas para lidar com a escassez de talentos. Ao adotar políticas de trabalho remoto e distribuído, as organizações agora podem contratar os melhores e mais qualificados profissionais para qualquer função, independentemente de sua localização geográfica ou disponibilidade de horários.

Por último, mas não menos importante, podemos citar novamente a economia de recursos e otimização dos investimentos. O Grupo Movile (responsável por marcas como iFood), por exemplo, conseguiu otimizar suas operações em diversas cidades do país onde atua. Legal, não é mesmo? E sua empresa, já considerou o modelo distribuído de trabalho?

Guest post escrito pela equipe do BeerOrCoffee, a maior plataforma de coworkings do país.

Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo