Mercado

Adquirente e subadquirente: quais as diferenças e como escolher a melhor solução para o seu e-commerce?

Publicado em 30 de abril de 2021 por Redação Zoop
5/5 - (2 votes)

Está sem tempo de ler agora? Que tal ouvir o artigo? Experimente no player abaixo!

Adquirente e subadquirente são termos bastante ouvidos por quem trabalha com pagamentos online. Além desses, há também o gateway de pagamento. Mas você sabe dizer quais são as diferenças entre essas soluções?

Adquirentes e subadquirentes são empresas responsáveis por intermediar pagamentos eletrônicos, a exemplo do que acontece via cartão (de débito ou de crédito), fazendo a ponte entre o comércio eletrônico, bandeira do cartão e banco detentor da conta do cliente

Já o gateway de pagamento é uma solução tecnológica que tem por objetivo garantir a agilidade e a segurança dos dados que estão sendo transmitidos na transação financeira.

Saber as diferenças entre esses três conceitos é essencial para escolher qual a solução mais indicada para o seu e-commerce e, com isso, evitar qualquer problema no processo de checkout oferecido aos seus clientes.

Por isso, confira agora as particularidades, os pontos positivos e negativos de cada opção e o que considerar na hora de decidir pela mais adequada.

O que é adquirente e subadquirente? Quais as diferenças?

A principal diferença entre adquirente e subadquirente se refere ao papel de cada uma dessas soluções no processo de fluxo de pagamentos online.

Adquirente

Adquirentes, ou credenciadoras, são empresas que fazem a intermediação e o processamento das transações financeiras realizadas via cartão de débito e de crédito, e também de outros meios de pagamento eletrônico, como o Pix.

A principal responsabilidade de um adquirente é garantir a comunicação entre o varejista, o banco e/ou bandeira responsável pelo cartão do cliente. 

É também essa empresa que recebe o valor da venda e, posteriormente, envia para o comerciante (geralmente, em até 30 dias).

Pontos positivos de trabalhar com um adquirente:

 

Pontos negativos de trabalhar com um adquirente:

  • para o e-commerce se credenciar a uma empresa adquirente é preciso cumprir uma série de regras de segurança, o que requer um investimento alto;
  • não oferecem soluções antifraude integradas, ficando sob responsabilidade do varejista adquirir ferramentas que garantam a segurança na transmissão dos dados;

 

Dica extra! Não deixe de ouvir este episódio do Papo na Nuvem sobre fraudes nos meios de pagamento:

Subadquirente

As empresas subadquirentes, também chamadas de intermediadoras, têm função semelhante às das adquirentes, visto que elas também fazem a intermediação e a liquidação dos pagamentos eletrônicos realizados. 

Porém, os subadquirentes fazem a comunicação com os lojistas e as empresas adquirentes, e não diretamente com o banco e/ou bandeiras de cartões.

Pontos positivos de trabalhar com um subadquirente

  • o processo de integração é facilitado, o que também contribui para adesão de pequenas e médias empresas, e até mesmo de pessoas físicas;
  • contam com sistema antifraude próprio.

 

Pontos negativos de trabalhar com um subadquirente

  • tendem a ter taxas mais elevadas que as praticadas pelas adquirentes;
  • podem contribuir para o abandono de carrinho, pois costumam direcionar os clientes para outra página de checkout.

O que é gateway de pagamento?

E como dissemos na explicação inicial sobre o que é adquirente e subadquirente, há também outra solução, que é o gateway de pagamento.

O gateway de pagamento tem a função de garantir a segurança dos dados transmitidos durante o fluxo de pagamento de uma compra online.

Ele criptografa as informações coletadas, tais como número do cartão, valor da compra, nome do cliente e outros, e garante que não possam ser aproveitadas para a realização de possíveis fraudes na internet.

Durante a conclusão de uma venda virtual, o gateway de pagamento é a primeira fase da etapa inicial do processo. Ou seja, na pré-autorização, ele já garante a segurança do envio dos dados para a empresa adquirente — para quem utiliza subadquirentes, o gateway já faz parte da solução.

Entenda o passo a passo neste artigo: “Fluxo de pagamentos online: o que acontece do fechamento da compra ao recebimento do valor pelo vendedor

Pontos positivos de trabalhar com um gateway

  • garante a segurança das informações inseridas e transmitidas para pagamento nas vendas online;
  • passa mais confiança ao cliente e confere mais credibilidade à marca

 

Pontos negativos de trabalhar com um gateway

  • pode ter um custo de implementação elevado;
  • depende de um adquirente para funcionar, bem como de conciliadores de recebíveis.

 

Aproveite e leia também o artigo “Como se adequar à Lei Geral de Proteção de Dados? E confira os impactos na indústria de meios de pagamento?”

Como escolher a melhor solução entre adquirente e subadquirente?

Agora que as diferenças entre adquirente e subadquirente ficaram mais claras, bem como o conceito e aplicação do gateway de pagamento, é bem importante que você saiba também quais critérios considerar na hora de escolher qual dessas é melhor opção para o seu e-commerce, certo?

Na lista de pontos que precisam ser analisados, os mais importantes são:

  • considere o seu modelo de negócios e o seu volume de vendas;
  • analise o custo-benefício e os valores cobrados por transação pelas empresas que ofertam essas soluções;
  • tenha também como objetivo melhorar a experiência do seu cliente;
  • verifique se a solução permite fácil integração à sua plataforma;
  • analise quanto o tipo de checkout de cada ferramenta pode impactar as suas vendas.

Considere o seu modelo de negócios e o seu volume de vendas

O primeiro ponto que você deve considerar na hora de escolher a solução de processamento de pagamento certa para a sua empresa é o seu modelo de negócios e, principalmente, o seu volume de vendas.

Como você pôde ver nas diferenças entre adquirente e subadquirente, e também de gateway de pagamento, as intermediadoras, por exemplo, tendem a atender melhor comércios eletrônicos de pequeno e médio porte.

Essa análise contribuiu para que você pague por um serviço que realmente seja compatível com o porte da sua empresa.

Leia também: “Mercado de adquirência no Brasil: o que é, como funciona e qual a expectativa para o futuro?

Analise o custo-benefício e os valores cobrados por transação pelas empresas que ofertam essas soluções

Relacionado ao ponto anterior, não deixe de fazer uma boa análise das taxas e tarifas que são cobradas pelas transações.

Pode acontecer de uma empresa oferecer um preço mais acessível de contratação dos serviços, mas ter cobranças elevadas, ou o contrário. 

Tenha também como objetivo melhorar a experiência do seu cliente

Um dos principais objetivos do uso dessas soluções deve ser melhorar a experiência de compra do cliente. Por isso, sua escolha deve garantir que a finalização do pagamento aconteça de forma fluida, rápida e segura.

Verifique se a solução permite fácil integração à sua plataforma

Geralmente, essas soluções são integradas às plataformas de e-commerce por meio de APIs, que são padrões de programação e de instruções.

A ideia é que a empresa com a qual fechou parceria promova uma integração simplificada, assim como forneça um bom serviço de suporte sempre que você precisar.

Analise quanto o tipo de checkout de cada ferramenta pode impactar as suas vendas

Basicamente, existem dois tipos de checkout de pagamentos online, o tradicional e o transparente. 

No tradicional, o cliente é direcionado para outra página, que não é a do e-commerce. No transparente, todo o processo de pagamento é realizado no próprio comércio eletrônico.

Essa diferenciação pode influenciar no seu volume de vendas, uma vez que contribui para o abandono do carrinho se o cliente não se sentir seguro.

Com as diferenças entre adquirente e subadquirente, e também gateway de pagamento bem definidas, assim como os critérios que você deve analisar antes de escolher a melhor solução, temos mais uma dica bem importante para você!

Sabia que é possível transformar a sua empresa em uma subadquirente? O artigo “Como ser um subadquirente ou fintech de sucesso? Os 7 pontos principais” explica, em detalhes, como isso é possível. 

Aproveite que está aqui, no blog da Zoop, e leia agora mesmo!

5/5 - (2 votes)
Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo