Mercado

O que são as fintechs de crédito? Quais os benefícios para o comércio e empresas?

Publicado em 09 de fevereiro de 2021 por Redação Zoop
Avalie este post

Entre os diferentes tipos de fintechs existentes atualmente, temos a fintech de crédito. Trata-se de uma startup de serviços financeiros especializada na oferta de crédito para pessoas físicas e/ou pessoas jurídicas.

De acordo com o relatório “Inside Fintech — Setembro de 2020” da Distrito, o Brasil já conta com 828 fintechs, das quais 15% são de crédito. Inclusive, essa categoria ocupa o 3º lugar no ranking das startups financeiras, com 124 representantes.

Mas ao que se atribui o crescente número de empresas fintechs desse segmento? Um dos motivos é a facilidade com a qual pessoas e outras empresas têm acesso aos empréstimos.

Além de desburocratizar esse serviço, as fintechs de crédito oferecem juros menores que os praticados por instituições financeiras tradicionais.

Essa forma de atuação também permite que uma quantidade maior de clientes consigam os valores que precisam, seja para resolver questões pessoais, seja para aplicar em seus negócios.

Seria possível a sua empresa se tornar uma fintech de crédito? Qual caminho seguir para isso? Quais as vantagens para a sua empresa e para os seus parceiros de negócios?

O que são as fintechs de créditos?

Fintech de crédito é uma startup de serviço financeiro que trabalha com a oferta de empréstimo para pessoas físicas ou mesmo para outras empresas.

Esse tipo de fintech pode atuar sem a intermediação de um banco. Isso dá a esse modelo de negócio a autonomia necessária para definir as suas próprias regras, bem como os juros e as taxas que serão praticados.

Como funciona uma fintech de crédito?

Graças à resolução 4.656/2018 do Banco Central, que dispõe sobre a Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP) e sobre a Sociedade de Crédito Direto (SCD), uma fintech de crédito pode intermediar a oferta desse serviço, ou fazê-lo com recursos próprios.

Fintechs de crédito SEP

Para as fintechs que atuam como uma Sociedade de Empréstimo entre Pessoas, o seu principal papel é fazer a “ponte” entre quem precisa de um empréstimo e quem tem capital para oferecer.

Nesse modelo de operação, mais conhecido no mercado de serviços financeiros como peer-to-peer (de pessoa para pessoa), a fintech lucra por meio da intermediação financeira, pela qual pode cobrar as tarifas que julgar mais adequadas.

Ou seja, a fintech de crédito que opera como SEP disponibiliza a sua plataforma e as suas soluções tecnológicas para que credores e tomadores de crédito possam fazer negócios.

Conforme determinação do Banco Central, uma fintech SEP também pode oferecer outros serviços além desse, tais como a análise e cobrança de créditos, e a emissão de moedas eletrônicas.

Fintechs de crédito SCD

Já no modelo autorizado para a Sociedade de Crédito Direto, a fintech de crédito atua com recursos próprios. Em outras palavras, isso quer dizer que os valores emprestados tanto a pessoas físicas quanto a pessoas jurídicas são da própria empresa.

Dentro desse formato de atuação, o Banco Central também permite que as fintechs SCD realizem análise de crédito e cobrança para terceiros, emitam moedas eletrônicas e atuem como corretoras de seguros.

Aproveite e leia também “Regulamentação fintech: qual a principal para começar a atuar nesse mercado?

Garantia de empréstimos

Com relação à garantia dos empréstimos, tudo depende do modelo sob o qual a fintech pretende atuar.

Por exemplo, é possível ofertar créditos com ou sem garantia. Nos casos em que são exigidas garantias, essas podem ser um imóvel ou um veículo quitado.

Considerando que isso reduz os riscos para quem empresta os valores, é possível até trabalhar com juros e taxas de empréstimos menores.

Quais as vantagens oferecidas por uma fintech de crédito?

As fintechs de crédito oferecem vantagens tanto para quem fornece o empréstimo quanto para quem o recebe.

Para uma empresa que pretende atuar dessa forma, por exemplo, abre-se uma nova vertical de negócios e, com isso, uma nova fonte de receita.

Para o público e outras empresas que precisam de crédito, tomar empréstimo diretamente de uma fintech, e não de um banco tradicional, traz benefícios como:

  • custos reduzidos;
  • serviços com inovação constante;
  • processos ágeis e desburocratizados;
  • democratização dos serviços.

Custos reduzidos

As fintechs têm a característica de cobrarem juros e taxas menores por seus produtos e serviços, especialmente quando comparadas às instituições financeiras tradicionais.

Um dos motivos é que esse modelo de empresa atua 100% em ambiente digital, o que reduz os seus gastos com estrutura físicas que, quando existentes, são bastante reduzidas.

Além disso, a oferta de crédito está livre de parcerias com bancos. Esse fator elimina a necessidade de dividir os lucros, o que reflete diretamente nos valores cobrados pelos empréstimos.

Sugestão de leitura: “Tenha o seu banco digital! Confira os motivos, vantagens e como fazer isso

Serviços com inovação constante

O uso da tecnologia é a marca registrada das fintechs. Por esse motivo, seus usuários têm acesso a soluções inovadoras de maneira muito mais rápida e constante.

Isso contribui, por exemplo, para analisar mais pontualmente o perfil do cliente e entregar a ele produtos e serviços financeiros que realmente atendam às suas necessidades e resolvam as suas dores.

Processos ágeis e desburocratizados

Outra vantagem de atuar em um ambiente digital é que os processos se tornam mais ágeis e menos burocráticos.

Por exemplo, a entrega de documentos impressos que comprovem a renda para solicitação de um empréstimo pode ser descartada em uma fintech de crédito.

Afinal, tudo é feito por meio de uma plataforma própria, de maneira digitalizada e segura, o que também contribui para a liberação dos valores em bem menos tempo.

Democratização dos serviços

Não podemos deixar de citar que as fintechs têm grande peso no processo de democratização dos serviços financeiros.

A atuação dessas empresas, facilitada pelas regulamentações do Banco Central, tem contribuído para que cada dia mais pessoas participem do processo de bancarização.

No que diz respeito às fintechs de crédito, especificamente, é possível colaborar, por exemplo, para que micro e pequenas empresas expandam os seus negócios, com a oferta facilitada de acesso ao empréstimo que precisam.

Sobre esse assunto, não deixe de ouvir este episódio do Papo na Nuvem

 

Vale ressaltar que todos esses pontos são altamente atrativos para pessoas físicas e jurídicas, o que viabiliza ainda mais o crescimento desse modelo de negócio.

Como tornar a sua empresa uma fintech de crédito?

Anteriormente, dissemos que uma fintech de crédito pode atuar fazendo a intermediação entre quem procura empréstimo e quem oferece, bem como trabalhando com os próprios recursos, se lembra?

Já parou para pensar que esses modelos podem se tornar mais uma oferta dentro do seu portfólio de serviços?

Sim! A sua empresa pode se tornar uma fintech de crédito sem precisar desviar do seu negócio principal, nem se preocupar com regulamentações ou custos com desenvolvimento dos produtos.

Fechando uma parceria com uma fintech as a service você passa a oferecer mais esse serviço aos seus clientes, e com a sua própria marca.

Isso ajuda a resolver todas as dores do seu público em um mesmo lugar (a sua empresa), aumentar o diferencial competitivo do seu negócio e a gerar uma nova fonte de receita.

Quer saber como isso é possível? Então leia o artigo “Fintech as a service: o que é e por que você deve contratar uma” e confira todos os detalhes!

Avalie este post
Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo