Mercado

M-commerce: o que é e qual a importância de oferecer aos seus clientes?

Publicado em 22 de setembro de 2021 por Redação Zoop
Avalie este post

M-commerce, ou mobile commerce, é uma forma de venda online realizada via dispositivos móveis, a exemplo dos tablets e dos smartphones.

Essa modalidade de varejo digital pode ser oferecida pelos varejistas aos seus clientes utilizando marketplaces, o site da empresa otimizado para funcionar em telas menores, por meio de aplicativos próprios da marca, ou até mesmo por lojas virtuais criadas em redes sociais.

Mas por que aderir a uma estratégia de mobile commerce é importante para o seu negócio? Um dos principais motivos é que, cada vez mais, as pessoas estão deixando os computadores de lado na hora de fazer compras online.

Uma pesquisa da CNDL, Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e do SPC Brasil, Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), revelou que 87% dos brasileiros usam seus smartphones para comprar via internet.

Isso quer dizer que trabalhar com uma solução m-commerce é uma forma de atender a esse atual do comportamento dos consumidores, às suas necessidades, preferências e expectativas. 

Consequentemente, as chances de destacar a sua marca dos concorrentes e de elevar o seu volume de vendas e faturamento também aumentam.

E como tornar essa estratégia real para o seu negócio? Quais pontos precisam ser considerados para a sua implementação? 

Neste artigo você vai conferir o que é m-commerce, quais as vantagens dessa forma de venda e o que não pode faltar nessa oferta. Continue a leitura e confira!

O que é m-commerce e como funciona?

M-commerce é um tipo de comércio eletrônico realizado por meio da utilização de dispositivos móveis

Nessa forma de vendas via internet, todo o processo é feito por esses equipamentos, ou seja, desde a escolha do produto pelo potencial cliente, até a conclusão do pagamento.

Há, basicamente, três maneiras de os varejistas trabalharem com mobile commerce, que são: 

  • pelo navegador;
  • por aplicativos;
  • pelas redes sociais.

Pelo navegador

O m-commerce pelo navegador nada mais é do que a utilização do endereço eletrônico da marca, ou do marketplace que a empresa utiliza para vender os seus produtos e/ou serviços. 

Na prática, o potencial comprador precisa acessar o site da marca utilizando um navegador web, instalado em seu smartphone ou tablet, e visualizar as páginas da mesma maneira que faria se estive utilizando um computador.

Nessa forma de oferta do mobile commerce, é essencial que o site seja responsivo e otimizado para abrir com rapidez e com todas as funcionalidades nos dispositivos com telas menores

Caso isso não aconteça, a experiência de compra do cliente pode ser seriamente comprometida, aumentando as chances de ele desistir da aquisição e até mesmo de migrar para um concorrente da marca.

Dica da leitura: “Por que você deve melhorar a experiência de compra do seu cliente?

Por aplicativos

Os aplicativos para vendas via m-commerce podem ser próprios da marca ou de um marketplace com o qual a companhia tem parceria.

Além de facilitar bastante a navegação, a oferta de apps no comércio eletrônico também contribuem para:

  • criar um canal de vendas rápido e direto;
  • gerar mais visibilidade para a marca;
  • expandir os seus canais de vendas;
  • otimizar o processo de compra;
  • fomentar a realização de aquisições não programadas;
  • estabelecer uma comunicação direta com os consumidores;
  • fidelizar os clientes;
  • otimizar o processo de pagamento com a oferta de métodos integrados.

 

Sobre isso, não deixe de ler: “Pagamentos invisíveis: a nova onda de evolução do setor muda o futuro de empresas e clientes

Pelas redes sociais

Já oferecer vendas via mobile commerce pelas redes sociais consiste em utilizar as soluções oferecidas por essas plataformas para construir uma loja virtual e, com isso, criar mais um canal de venda para a sua empresa.

De acordo com dados da Nuvemshop, divulgados no site Mercado&Consumo, as vendas realizadas por esses canais subiram de 22% em 2019, para 34% em 2020. Esses números mostram que apostar nessa estratégia pode ser outra boa maneira de aumentar o faturamento da sua marca.

Quais as vantagens de trabalhar com mobile commerce?

Segundo a 44ª edição da Webshoppers, o m-commerce se destacou do desktop no e-commerce tanto em número de pedidos quanto em faturamento.

No que se refere ao volume de pedidos realizados, o mobile commerce representou 56% das vendas em 2020, percentual que se repetiu em 2021, contra apenas 44% no desktop, também nos dois anos analisados.

Sobre o faturamento, os dispositivos móveis representaram 54% do comércio eletrônico em 2020, e 53% em 2021 —  pelos computadores, essa porcentagem foi de 46% e de 47%, respectivamente.

Assim, podemos dizer que as duas primeiras vantagens de trabalhar com m-commerce são o aumento da quantidade de vendas e do faturamento da marca.

Além dessas, também se destacam:

  • geração de maior conveniência para o cliente na hora compra;
  • entrega de um canal de venda, literalmente, na palma das mãos dos compradores, contribuindo para a sua decisão de compra;
  • atendimento do novo perfil do consumidor, que se tornou mais digital por conta da pandemia;
  • atendimento das novas gerações de clientes de forma mais assertiva.

 

Sugestão de leitura: “E-consumidor: quem é esse cliente e como atender às suas expectativas?

O que não pode faltar em uma oferta de m-commerce?

Na hora de implementar a oferta do m-commerce na sua empresa, alguns pontos que não podem faltar são:

  • trabalhar com sites responsivos, que abram as suas páginas corretamente em diferentes dispositivos móveis;
  • desenvolver aplicativos “leves”, que possam ser abertos facilmente em diversos modelos de tablets e smartphones, sem travamentos ou outros problemas semelhantes;
  • criar um fluxo de vendas simplificado, facilitando a aquisição;
  • utilizar conteúdos personalizados para esse canal de venda, como uma descrição dos produtos mais otimizada;
  • alinhar as estratégias de vendas desse formato às demais utilizadas, garantindo ao comprador uma experiência de compra omnichannel.

 

Aproveite e ouça este episódio do Papo na Nuvem:

Somando a todos esses requisitos, também é essencial cuidar dos meios de pagamentos oferecidos. Afinal, eles podem ser decisivos para o cliente concluir, ou não, a sua aquisição.

Sobre isso, é interessante destacarmos uma pesquisa da empresa Juniper Research, divulgada no site E-commerce Brasil, a qual informa que os pagamentos mobile movimentarão US$ 3,1 trilhões em 2025. 

Conforme aponta o estudo, é bastante indicado priorizar a entrega de novas soluções de pagamento aos consumidores, especialmente as carteiras digitais de pagamento mais utilizadas no país.

No que se refere à oferta de boas soluções de pagamento para alavancar o seu negócio, a nossa dica é a leitura do artigo: “Tecnologia no comércio: o impacto das novas soluções e meios de pagamento para negócios físicos e digitais”.

Avalie este post
Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo