Mercado

O que é PSD2? Quanto essa diretiva impacta os serviços financeiros no Brasil?

Publicado em 29 de março de 2021 por Redação Zoop
Avalie este post

O Open Banking é um dos assuntos mais comentados nos últimos tempos. No entanto, não tem como falar sobre esse tema sem saber o que é PSD2. 

PSD2 é uma diretiva que determinou a nova forma de atuação do mercado financeiro europeu. Consiste em um conjunto de normas e instruções que definiram, entre outros ajustes, o início do sistema do banco aberto. 

Em outras palavras, o PSD2 deu origem e se tornou a base para a implementação do Open Banking nos países europeus.

A ideia com essa determinação era atualizar o setor e modificar a maneira como os clientes bancários realizam pagamentos, acessam as suas contas, compartilham os seus históricos bancários, entre outras funções.

A diretiva PSD2 tira o poder dos grandes bancos e permite que novos participantes entrem para o mercado de serviços financeiros, fomentando a criação de soluções mais adequadas para o atual perfil dos consumidores.

Mas por se tratar de uma normativa europeia, quanto e como impacta aqui no Brasil? Entenda agora!

O que é PSD2?

O primeiro passo para saber o que é PSD2 e sua relação com o Open Banking é conhecer o significado dessa sigla. 

PSD2 é a abreviação de Payments Services Directive, em português, Diretiva de Serviços de Pagamento

Consiste em uma diretiva europeia de 2018 (atualização da PSD1), criada com o objetivo de modificar a atuação do mercado financeiro europeu.

Um dos focos da PSD2 foi trazer o setor para um conceito mais digital, permitindo também um melhor alinhamento com as novas regulamentações e tecnologias.

A PSD2 é resultado do impacto causado com a chegada das fintechs. A atuação dessas empresas têm contribuído para colocar um fim no monopólio bancário, com a oferta de produtos financeiros mais acessíveis, desburocratizados e baratos.

Entenda mais sobre empresas fintech e a sua importância no processo de democratização dos serviços financeiros no Brasil ouvindo este podcast do Papo na Nuvem:

Como funciona a PSD2 na prática?

Mas não basta saber o que é PSD2, o entendimento sobre esse conceito só fica completo quando se compreende também como funciona.

A diretiva PSD2 tem por três objetivos principais:

  • contribuir para a criação de um mercado europeu de pagamentos mais integrado e eficiente;
  • melhorar as condições de concorrência, permitindo que novos prestadores de serviços financeiros participem desse mercado;
  • tornar as soluções financeiras mais seguras, protegendo, assim, os consumidores.

 

Foi a Payments Services Directive que determinou a abertura das informações bancárias entre as instituições europeias, tendo como base o conceito de que o dono desses dados é o cliente bancário.

Dessa forma, a PSD2 criou um mercado de serviços financeiros únicos na Europa, ao permitir que os usuários movimentem as suas contas como querem, inclusive, utilizando aplicativos de terceiros e não apenas do seu banco de origem.

Essa diretiva também dita as regras sobre os requisitos necessários no que diz respeito à segurança. Uma das mudanças mais importante da atualização diz respeito à autenticação de dois fatores.

Fundamentais para combater e prevenir fraudes, essas verificações devem ser realizadas em tempo real e não comprometer a transação realizada pelo cliente bancário.

Aproveite e leia também “Fraudes na internet: conheça os tipos mais comuns e veja como evitá-las

Qual a influência do PSD2 no Brasil?

Agora que você sabe melhor o que é PSD2 deve estar se perguntando como uma diretiva europeia influencia o mercado de serviços financeiros no Brasil, certo?

A Payments Services Directive serviu de modelo para a criação do Open Banking no Brasil, da mesma maneira que vem acontecendo em locais como Estados Unidos, Índia, Japão, África do Sul e outros.

Aqui, o princípio é o mesmo:

  • compartilhar dados, produtos e serviços financeiros;
  • promover a abertura e a integração de infraestruturas e plataformas financeiras;
  • aumentar a eficiência do setor;
  • fomentar a competitividade entre os players;
  • colaborar para a entrega de soluções financeiras melhores e mais alinhadas com as necessidades atuais dos clientes.

o que é psd2 1

Quanto a PSD2 impacta os serviços financeiros brasileiros?

Ao tirar o monopólio dos bancos tradicionais, a PSD2 abre caminho para que novos entrantes apresentem ao público as suas soluções financeiras

Esse impacto que a diretiva causou na Europa é o mesmo esperado aqui no Brasil quando o Open Banking for implementado.

A nova forma de atuação permite que mesmo empresas que não tem seu core business nesse mercado tenham a chance de competir de maneira igualitária com instituições consolidadas.

Dica de leitura: “Qual a importância dos serviços financeiros? Por que você deve agregá-los ao seu negócio?

Isso aumenta a concorrência entre as instituições bancárias e ainda inclui outros participantes, deixando essa disputa para atrair e fidelizar os clientes ainda maior.

Como resultado, será preciso melhorar a oferta de produtos e serviços financeiros já existentes, bem como criar e desenvolver novas soluções, tendo como base a atual necessidade dos consumidores.

Como está a implementação do Open Banking no Brasil?

Inicialmente, a primeira fase da implementação do Open Banking, Sistema Financeiro Aberto, aqui no Brasil, seria dia 30 de novembro.

No entanto, devido aos impactos causados no setor em decorrência da pandemia do novo coronavírus, o Banco Central do Brasil e o Conselho Monetário Nacional aprovaram o adiamento para 1º de fevereiro de 2021.

Dessa forma, o prazo final de conclusão da implementação do sistema mudou de outubro de 2021 para 15 de dezembro de 2021.

Na primeira fase, os participantes do Sistema Financeiro Aberto precisam divulgar quais são os produtos e serviços financeiros que oferecem. Com isso, terceiros podem consultar essas informações e comparar com as suas soluções.

O compartilhamento dos dados dos clientes só ocorre na segunda fase do Open Banking e mediante sua expressa autorização.

A terceira fase consiste no início das transações de pagamento. Por fim, a quarta fase vai permitir a expansão de outros serviços.

A participação no Open Banking não é obrigatória para todos que, de alguma forma, atuam no mercado de serviços financeiros. 

Por exemplo, são obrigadas a compartilhar dados as instituições enquadradas nos segmentos S1 (porte igual ou superior a 10% do PIB, ou internacionalmente ativos).

No entanto, por conta das vantagens do compartilhamento de informações (tais como atrair mais público e gerar novos negócios), a participação voluntária se torna bastante interessante. 

Agora que você sabe o que é PSD2 e entendeu um pouco mais sobre Open Banking, é bem interessante conhecer como esse compartilhamento de dados será feito na prática.

Para isso, leia o artigo “O que é API Open Banking? Como funciona a tecnologia por trás dessa aplicação?” e confira também como podemos lhe ajudar nesse processo.

Avalie este post
Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo