Mercado

Transformação digital nas empresas: o que é (e o que não é) e por onde você deve começar

Publicado em 29 de abril de 2020 por Redação Zoop

O que você tem acompanhado sobre a transformação digital nas empresas? Sente que é um processo que está acontecendo naturalmente, ou as organizações estão sendo “obrigadas” a se adaptarem?

Para responder a essas perguntas é preciso, primeiro, entender o conceito: transformação digital é utilizar soluções tecnológicas para alcançar mais e melhores resultados.

É fundamental frisar que não se trata apenas de adquirir novas soluções ou aprimorar por exemplo, o setor de TI (Tecnologia da Informação). Para que essa mudança realmente aconteça é preciso alterar também a estrutura organizacional das empresas. O objetivo? Melhorar a experiência dos clientes é um deles.

Para esse, vale destacar um estudo feito pela Walker, empresa de consultoria, o qual constatou que, até o final de 2020, uma experiência melhor para o consumidor estaria acima do preço e do produto oferecido por uma empresa, se tornando seu verdadeiro diferencial.

Sua empresa está pronta para essa transformação? Como “surfar” nessa onda? Descubra agora!

O que é transformação digital nas empresas

A transformação digital nas empresas consiste no uso da tecnologia para modificar, de maneira profunda, a forma como um negócio atua.

Trata-se de promover uma transformação na estrutura organizacional, por meio de recursos tecnológicos, para melhorar o desempenho e, assim, alcançar resultados melhores.

Entre os objetivos da transformação digital estão:

  • Aumentar a satisfação dos clientes;
  • Otimizar e desburocratizar processos;
  • Alcançar níveis mais altos de eficiência;
  • Aumentar a produtividade;
  • Ter um diferencial competitivo.

O fato é que essa mudança não se trata de algo tangível, nem tão pouco futurista. Ou seja, as empresas precisam se adaptar a isso quanto antes. As que resistem a essa nova realidade ficarão cada vez mais distantes (de uma forma negativa) de seus concorrentes.

Ainda que a transformação digital no mundo já esteja ocorrendo há algum tempo — o trabalho remoto e as compras on-line são dois bons exemplos — nem todas as empresas estão no mesmo ritmo.

Uma pesquisa conduzida pela Capgemini mostrou que metade dos executivos brasileiros C-Level entrevistados já estão investindo nessa mudança. Porém, há setores que estão mais avançados do que os outros.

Das empresas de varejo que participaram da pesquisa, 46% consideram que haverá uma mudança radical na maneira que fazem negócios por conta das inovações tecnológicas. No entanto, apenas 36% têm um planejamento para se adaptar à nova realidade.

Por outro lado, o mercado financeiro é o que se mostra mais preparado: 53% das instituições entrevistadas disseram já ter uma estratégia de transformação digital bem definida.

Por falar em serviços financeiros, esse é um setor bastante impactado (positivamente) pela transformação digital no mundo.

De acordo com um infográfico produzido pela McAfee, empresa americana de informática, em até 3 anos, aproximadamente, 56% dos cartões de créditos utilizados nos Estados Unidos serão contactless.

Além disso, afirmaram que essas mudanças causaram um forte impacto na maneira que trabalham atualmente.

O impacto dos pagamentos instantâneos na transformação digital

Por aqui foi anunciado recentemente o PIX, novo sistema do Banco Central que permite pagamentos e transferências de maneira instantânea.

Disponível a partir de novembro de 2020, o PIX tem por objetivo otimizar essas transações, se tornando uma opção mais rápida às alternativas existentes — TED, DOC, pagamentos efetuados com cartão, cheque, boletos e outros.

Com o novo sistema, todo o trâmite entre pagador e recebedor será feito em poucos segundos, sem limitação de dia ou horário, ou seja, em tempo real.

Após o lançamento oficial, as instituições financeiras, bancos e fintechs de serviços financeiros com mais de 500 mil contas ativas deverão se adaptar para oferta e recebimento do PIX.

Isso claramente vai gerar um grande impacto em como realizamos transações financeiras, movendo muito do que hoje acontece em dinheiro, boleto, débito e TED para pagamentos com o PIX. Empresas de diversos setores vão precisar se adaptar a nova forma de pagar.

Essa transformação digital nas empresas do setor financeiro vai gerar para o consumidor uma redução de gastos (há instituições que cobram até R$ 20 por TED) e um serviço de melhor qualidade.

Já para as organizações, as tornarão mais competitivas e pode, inclusive, ser a oportunidade para surgimento de novos negócios.

O que não é transformação digital nas empresas

Mas como o conceito ainda não está tão claro para todo mundo, é importante desvendar alguns mitos e esclarecer também o que não é transformação digital.

  • Não se trata de melhorar sistemas de TI, mas sim de criar estratégias e diferentes formas de executar funções que já fazem parte da empresa.
  • Não se resume a ter operações mais eficientes, mas de agregar valor a processos utilizando, para isso, novas tecnologias.
  • Transformação digital não se limita a empresas de tecnologia.
  • Ainda que a experiência do cliente seja um dos objetivos, não é o único foco. Essa mudança visa impactar todos os setores da empresa positivamente.

O que estamos falando aqui é de uma ampla digitalização do mundo e de como pessoas interagem com negócios.

Exemplos de empresas que já iniciaram a mudança

Fintechs são empresas que já nascem respaldadas na inovação tecnológica. No entanto, como citado anteriormente, não apenas as que trabalham especificamente com tecnologia devem fazer parte da transformação.

É fundamental que todas as empresas se reinventem, a fim de se tornarem mais competitivas dentro do seu ramo de atuação.

Segunda a pesquisa da Capgemini, a transformação digital nas empresas brasileiras está sendo aplicada para melhorar o entendimento que têm do mercado, bem como para conhecerem melhor o perfil dos clientes. Para isso:

  • 63% dos entrevistados usam a internet, de maneira generalizada, para fazer essa análise;
  • 57% se beneficiam das redes sociais.

De forma mais estratégica:

  • 46% estão utilizando tecnologia digital para fornecer orientações mais precisas ao departamento de marketing;
  • 44% para melhorarem os preços praticados.

E quais seriam as empresas que já alcançaram bons resultados com a transformação? Conheça agora alguns nomes.

McDonald’s

A primeira loja digital da marca fica em São Paulo e tem como diferencial o autoatendimento.

Usando um dos totens ou tablets disponíveis o cliente faz o seu pedido, podendo personalizar os ingredientes de acordo com o seu gosto, efetua o pagamento e retira o lanche.

Magazine Luiza

O objetivo do Magazine Luiza era deixar de ser uma empresa tradicional do varejo para se transformar em uma digital, mas mantendo o contato humano em suas lojas físicas.

Para isso, a marca mudou seus processos de venda, reforçou a equipe comercial e investiu em marketing digital.

Disney

A transformação digital da Disney World teve como foco aprimorar a experiência dos seus clientes e, com isso, melhorar o índice de satisfação que estava em queda.

Para isso, lançou o MyMagic+, pacote de produtos que une site, pulseira e aplicativo móvel. Com ele, os visitantes do parque podem planejar o itinerário de passeio e fazer reservas com antecedência.

A pulseira de identificação também serve como chave do quarto, bilhete de entrada e permite que os personagens saibam, por exemplo, quem está fazendo aniversário, proporcionando uma abordagem totalmente personalizada.

Além disso, a empresa que já tinha forte atuação na produção de conteúdo, lançou sua plataforma de streaming de vídeos a Disney+.

O que sua empresa deve fazer para começar a se transformar

São várias as vantagens obtidas pela transformação digital. Veja alguns exemplos nos gráficos abaixo:

dados sobre transformação digital 1

dados sobre transformação digital

O professor da Columbia Business School e consultor, David Rogers, chama atenção para cinco áreas de domínio para a transformação digital: clientes, competição, dados, inovação e valor.

  • Clientes: explore a rede de clientes e como eles podem contribuir de maneira recíproca na construção da reputação de sua empresa;
  • Competição: atenção com o processo de desintermediação que vem ocorrendo e que pode transformar um aliado em concorrente, além disso atenção com a possibilidade de novas tecnologias o negócio de plataforma tem se potencializado;
  • Dados: entenda a melhor forma de produzir, gerenciar e utilizar informação, hoje com a ampla disponibilidade de informações é possível não só oferecer experiências mais personalizadas como enxergar esse dado como ativo essencial a diferenciação
  • Inovação
  • Valor

Mas o que sua empresa precisa fazer para iniciar essa mudança e se beneficiar também? Veja:

  • repense seu modelo de negócio e reavalie os processos, procurando otimizá-los;
  • promova uma mudança cultural dentro da organização;
  • capacite, desenvolva habilidades e engaje seus colaboradores;
  • tenha a experiência do usuário como um dos focos da transformação digital;
  • pense “fora da caixa” e encontre novas soluções para processos já existentes.

Como a Zoop pode lhe ajudar a se transformar digitalmente

Como você pode ver, a transformação digital nas empresas é uma realidade que deve ser aplicada, por todos os segmentos, quanto antes.

No que diz respeito aos meios de pagamento, a Zoop pode lhe ajudar.

Nossas soluções permitem que Marketplaces, ERPs, Empreendedores e outros tipos de negócios passem a gerenciar o fluxo transacional de seus clientes.

Com isso, é possível gerar novas receitas através de serviços de conta digital, splits de pagamento e antecipação de recebíveis.

Conheça os nossos serviços!

A plataforma de serviços financeiros White Label da Zoop conta com tecnologias de captura para maquininhas, boletos e outros meios de pagamentos, para que você ofereça a seus clientes diferentes soluções financeiras e, tudo isso, com sua própria marca!

Com a Zoop você elimina barreiras regulatórias, custos de desenvolvimento e tempo de implementação.

Converse com um especialista, descubra mais e junte-se ao iFood, Sympla, Avec, e outras grandes empresas, que também geram valor com serviços financeiros e crie sua fintech agora!

Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo