Negócios

Quais são os meios de pagamento mais utilizados no Brasil?

Publicado em 30 de março de 2022 por Redação Zoop
Avalie este post

O Pix alcançou o segundo lugar no ranking dos meios de pagamento mais utilizados no Brasil, de acordo com uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Sebrae, em agosto de 2021.

Segundo o levantamento, o dinheiro ainda ocupa o primeiro lugar da preferência. Porém, é preciso destacar que essa posição pode ser perdida futuramente.

Dados do Banco Central, apresentados no “Relatório de Tendências 2022”, da Zoop, revelaram que R$ 40 bilhões de dinheiro em espécie deixaram de circular por aqui entre os meses de janeiro e outubro de 2021.

Especificamente quanto ao posicionamento do Pix como uma dos meios de pagamento mais utilizados no Brasil, uma matéria da Folha de S. Paulo destacou que o total de transações realizadas por essa ferramenta bateu o recorde em 7 janeiro de 2022, com 52,3 milhões de operações feitas em um único dia.

Rapidez, praticidade e gratuidade para pessoas físicas são alguns dos motivos que estão levando os consumidores, cada vez mais, usarem o sistema de pagamento instantâneo para pagarem as suas compras. 

Para as pessoas jurídicas, o Pix para empresa tem, como uma das vantagens, o fato de ter tarifas menores que as praticadas por outros métodos de pagamento. 

Mas, além dele, quais são os outros meios de pagamento mais utilizados no Brasil? Confira, agora, a lista com os quatro que se destacam e, ao final, os vistos como promissores pelo setor.

Os 4 meios de pagamento mais utilizados no Brasil

Os meios de pagamento mais utilizados no Brasil são o dinheiro, o Pix, o cartão de débito e o cartão de crédito.

Tendo como base a pesquisa da CNDL, as formas de pagamento que os brasileiros mais usam para compras à vista são:

  • dinheiro: 71%;
  • Pix: 70%;
  • cartão de débito: 66%;
  • cartão de crédito: 57%.

 

Dos citados para uso no dia a dia, o estudo aponta:

  • cartão de débito: 41%;
  • Pix: 41%;
  • dinheiro: 40%;
  • cartão de crédito: 36%.

 

Já um levantamento realizado pela Zetta, associação criado por e para empresas de tecnologia que atuam com serviços financeiros digitais, revelou que os meios de pagamento mais utilizados no Brasil, por pessoas que têm chave Pix cadastrada, são:

  • cartão de débito: 85%;
  • dinheiro: 84%;
  • Pix: 81%;
  • cartão de crédito: 74%

 

Ainda que haja diferença nos percentuais de uso e preferência, é importante considerar que os quatro métodos são citados e se repetem em ambas as pesquisas, por isso, podem ser considerados os mais usados pelos brasileiros no momento.

Dica de leitura: “Meio de pagamento Pix: quais são os impactos atuais?

Por quais motivos essas são as formas de pagamento mais utilizadas no Brasil?

Agora que você sabe quais são os meios de pagamento mais utilizados no Brasil, é interessante entender também o que motiva os consumidores a optar por esses métodos. 

Isso é importante porque, dessa forma, você pode relacionar essa necessidade ao perfil do público-alvo que pretende alcançar e, com isso, melhorar a experiência de compra dos seus clientes.

Dinheiro

A CNDL revela que, entre as pessoas que usam dinheiro no dia a dia, os motivos são:

  • praticidade e rapidez (39%);
  • possibilidade de conseguir descontos (38%);
  • controle maior dos gastos (35%);
  • garantia de aceitação em diferentes estabelecimentos (32%)

Pix

O levantamento da Zetta apontou que o Pix é usado para pagamento de produtos variados, alimentos, mensalidades e serviços prestados por pessoas físicas por 67% dos entrevistados.

Para 57%, o uso se destina ao pagamento dos mesmos itens, porém, provindos de pessoas jurídicas.

Os motivos que levam a preferirem o sistema de pagamento instantâneo do Banco Central são: facilidade, comodidade, rapidez, agilidade, segurança, preferência do recebedor.

Se considerarmos um dos meios como o Pix pode ser feito, a comodidade (71%) e a rapidez (34%) se destacam para quem faz a transação via QR Code.

Aproveite e ouça este episódio do Papo na Nuvem, podcast da Zoop sobre o primeiro ano do Pix!

Cartão de débito

Dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços, Abecs, referentes ao terceiro trimestre de 2021, revelam que o valor transacionado via cartão de crédito nesse período foi de R$ 235,3 bilhões.

Em quantidade de transações, esse montante representa R$ 3,5 bilhões movimentados com essa função.

Para os entrevistados da pesquisa da CNLD, o cartão de débito é interessante, pois, é rápido e prático (58%); ajuda a controlar os gastos (34%) e é seguro (26%).

Cartão de crédito

Também segundo a Abecs, na função crédito foram realizadas 3,9 bilhões de transações no terceiro trimestre de 2021, número que resultou em R$ 420,1 bilhões transacionados.

Maior prazo de pagamento (50%), possibilidade de parcelar as compras (36%) e praticidade (33%) foram as principais razões que os participantes da pesquisa da CNDL apontaram para justificar a preferência pelo cartão de crédito.

Dica extra! Não deixe de ouvir este outro episódio:

Quais são os outros meios de pagamento mais promissores?

Mas ainda que não configurem como os meios de pagamento mais utilizados pelos brasileiros, há outros métodos que estão ganhando destaque e, por isso, podem ser vistos como promissores.

O “Relatório de Tendências 2022 — o consumidor no centro dos pagamentos”, da Zoop, também revelou que houve um crescimento de 89% no uso das carteiras digitais.

Quanto a esse método, é interessante destacarmos também que o relatório The Global Payments Report, da Worldpay from FIS, empresa de tecnologia de pagamentos, apontou que a expectativa é que essa solução represente 51,7% de todo o volume transacionado no e-commerce até 2024.

Já o pagamento por aproximação tem como projeção de volume transacionado em 2022, R$ 3 trilhões, de acordo com o descrito no relatório da Zoop.

Segundo a Abecs, no terceiro trimestre de 2021, essa forma de pagamento foi responsável por R$ 57,5 bilhões transacionados, sendo:

  • cartão de crédito: R$ 32,1 bi;
  • cartão de débito: R$ 16,9 bi;
  • cartão pré-pago: R$ 8,5 bi.

 

O Pix, ao que tudo indica, seguirá como uma das formas de pagamento mais utilizadas no Brasil e também um dos métodos mais promissores, especialmente considerando os mais de 117,7 milhões de usuários atuais, dado citado no relatório da Zoop que comprova a sua consolidação.

Para saber mais sobre o futuro dos meios de pagamentos na era digital, assista a este vídeo da Zoop:

 

Avalie este post
Diga como podemos lhe ajudar!
Avalie o artigo